Seculo

 

Quem tem medo de Rose?


20/03/2017 às 13:53

O governador Paulo Hartung (PMDB) recorre mais uma vez ao maniqueísmo para tentar esvaziar a candidatura do prefeito de Viana, Gilson Daniel (PV), à presidência da Associação dos Municípios do Estado (Amunes). Desde sua eleição, o verde é uma figura controversa da política capixaba, mas não é o prefeito o problema de Hartung e sim seus cabos eleitorais. Mais precisamente a senadora Rose de Freitas (PMDB).

A eleição de Gilson Daniel representa a vitória de Rose de Freitas em uma associação que transita em sua principal base política: os prefeitos. Isso pode colocá-la em uma situação ainda mais confortável para 2018. Rose já sinalizou interesse na disputa ao governo do Estado. Ainda na metade do mandato no Senado, ela não tem nada a perder.

Outro fator positivo para a senadora é o fato de que ela não tem nenhuma movimentação de saída do PMDB, o que deixa o governador em uma situação complicada. Ele sim, já sinalizou a intenção de mudar de partido. Mas se sair deixa o caminho livre para a senadora dentro do PMDB. Ele mesmo já tirou da sigla seus aliados do partido, então, o campo fica totalmente desobstruído para Rose se credenciar partidariamente ao governo.

Não é segredo para a classe política que Hartung e Rose são desafetos antigos. Diante dos holofotes os dois fazem cena de parceria, mas não é bem assim que as coisas se dão nos bastidores. Desde sua primeira passagem pelo Palácio Anchieta, o governador se movimentou para esvaziar o capital político de Rose, que conseguiu fugir do cerco palaciano, se reelegendo para a Câmara em duas oportunidades.

Em 2014, quando ela disputou o Senado e ele o governo, os dois estiveram em campos distintos no início da eleição. Hartung tentou alavancar uma candidatura de João Coser (PT), em uma parceria clandestina. No interior, as conversas eram de desconfiança dos prefeitos, achando que Rose não se elegeria e eles perderiam o apoio tão essencial em Brasília.

Mas com o passar do tempo, a candidatura da peemedebista ganhou fôlego e o governador teve de aderir ao seu palanque para não ser derrotado na campanha de Coser. Hoje, a candidatura de Rose ao governo é um pesadelo do qual Hartung não consegue se livrar. Com o controle da Amunes sua capilaridade aumenta e o medo de ver sua desafeta em uma campanha ao governo também.

Fragmentos:

1 – O governo insiste nesse discurso do caixa vazio, jogando a culpa no antecessor. O prazo de validade desse texto já venceu e não vai demorar para que a conta comece a ser cobrada.

2 – O presidente da Câmara de Cachoeiro, vereador Alexandre Bastos (PSB), deixou a UTI do Hospital Unimed, mas ainda não tem prazo para ter alta médica. Ele sofreu uma queda do terceiro andar da casa onde mora, no bairro Independência, na última sexta-feira (17),

3 – Tomou posse nessa sexta-feira (17), na sede do Solidariedade, em Vitória, como presidente municipal do Solidariedade Mulher, a jornalista e escritora Izabel Mendonça. Como vice-presidente a advogada Daniella Lisboa.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Lá e cá

Enquanto Rose volta a se movimentar em Brasília, Casagrande delimita território no Estado. Cada um no seu quadrado...

OPINIÃO
Geraldo Hasse
Vendilhões no comando
Os governos petistas deram mole aos Mercados, mas o MDB escancara a prática do entreguismo
Roberto Junquilho
Os calos da esquerda
Apesar de possuir lideranças bem posicionadas, a esquerda só aparece quando os fatos são diretamente ligados ao cenário político partidário
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Admirável mundo novo
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Os calos da esquerda

Comitê em Defesa de Lula é criado no Estado

Lá e cá

Atílio Vivácqua decreta luto oficial de três dias por morte de prefeito

Relatório internacional de Direitos Humanos destaca violência policial no Brasil