Seculo

 

Tribunal de Contas vai apurar efeitos de isenção tributária em Cariacica


20/03/2017 às 14:37
A isenção de cobrança do IPTU para moradores de rua sem pavimentação no município de Cariacica está na mira do Tribunal de Contas do Estado (TCE). A corte decidiu que vai examinar se o benefício – em vigor desde maio de 2015 – comprometeu o atendimento dos objetivos centrais da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). No julgamento realizado no último dia 14 de fevereiro, foi julgada procedente uma representação contra o prefeito Geraldo Luzia, o Juninho (PPS).

No processo (TC 6766/2015), o vereador Celso Andreon (PT) apontou supostos indícios de irregularidades na tramitação do projeto encaminhado pelo prefeito, garantindo a isenção do IPTU – que havia sido sua principal promessa de campanha no pleito de 2012. A representação citou o eventual descumprimento do artigo 14 da LRF, que exige a estimativa da renúncia fiscal do impacto orçamentário-financeiro no exercício em que iniciar a vigência do benefício e nos dois seguintes.

Em sua defesa, o prefeito alegou que a Lei Complementar nº 55/2015 observou todos os procedimentos legislativos, além de que o benefício teria “caráter social” por ser restrito aos contribuintes de baixa renda e que o custo da isenção seria menor do que a cobrança do tributo. No entanto, o relator do caso, conselheiro em substituição, Marco Antônio da Silva, acolheu a manifestação da área técnica e do Ministério Público de Contas (MPC) pela procedência da ação, tendo em vista que a isenção de IPTU não observou as exigências legais.

Mesmo com a procedência da ação, a Corte decidiu pela adoção de outras providências, mantendo a vigência da norma e livrando o prefeito Juninho do pagamento de multa. Além da determinação ao chefe do Executivo para se abster de encaminhar novos projetos à Câmara Municipal sobre a concessão de incentivos sem encaminhar a previsão de renúncia fiscal, o tribunal recomendou ao Poder Legislativo que passe a exigir a documentação prevista em lei. Também foi dada ciência à Câmara quanto à aprovação da medida sem o atendimento de todos os requisitos previstos na LRF.

Já a verificação se a isenção do IPTU comprometeu o atendimento dos objetivos centrais da LRF deverá ser providenciado pela Secretaria de Controle Externo, do próprio TCE, quando da instrução do processo de prestação de contas anual da Prefeitura de Cariacica no exercício de 2015.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
CMV
Blindagem coletiva

Greve dos professores não reforçou apenas o perfil antidemocrático do prefeito, mas também a omissão da Câmara de Vitória. Só Roberto Martins enxerga o óbvio?

OPINIÃO
Editorial
'Gestão compartilhada'
Ofensiva de Luciano Rezende contra movimento dos professores revela autoritarismo e inabilidade política
Piero Ruschi
Pets: uma questão de responsabilidade socioambiental
Felizes as pessoas que podem ter um animal de estimação! Felizes os animais de estimação que têm um dono responsável!
Gustavo Bastos
Para que Filosofia?
''é melhor existir do que o nada''
Bruno Toledo
Por que negar os Direitos Humanos?
Não há nada de novo nesse discurso verde e amarelo que toma as ruas. É a simples manutenção das bases oligárquicas do Brasil
JR Mignone
O voto facultativo
Atual insatisfação com a política seria uma chance para começar a estudar a implantação do voto facultativo?
Roberto Junquilho
Que novo é esse?
O presidenciável do PRB, Flávio Rocha, apresenta velhas fórmulas de gestão e envolve jovens lideranças
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Para, relógio
MAIS LIDAS

STF mantém interrupção de pagamento de gratificação a procuradores de Justiça no ES

Blindagem coletiva

Que novo é esse?

Professores encerram greve, mas movimento reivindicatório continua em Vitória

MAB: 'Falta organização e profissionalismo na Fundação Renova'