Seculo


  • Lava Jato no ES

 

Mitos e verdades sobre a água


23/03/2017 às 23:47
Por oportuno, uma vez que esta é a Semana da Água, devido às comemorações em 22 de março do Dia Mundial da Água, declarado pelas Nações Unidas, vamos falar sobre a água em nosso corpo e tratar alguns mitos e verdades sobre a água. Estão hidratados para nossa jornada?
Então, vamos lá. Primeiro, é muito importante compreender que a água não cobre apenas 2/3 da superfície terrestre, mas está presente na mesma proporção em, praticamente, todos os corpos vivos, e isso inclui nossos alimentos.  
Bem, somente para recordar, o corpo é um organismo formado por vários órgãos, com funções próprias, mas que trabalham em rede em favor do corpo. Sozinhos, os órgãos não representam nada. Eles têm vida inteligente, a chamada inteligência natural ou física.
Vou explicar isso: você não precisa dizer para seus rins, seu fígado, seus pulmões, seu coração, o que eles têm que fazer. Eles estão ali já posicionados para cumprir sua missão de manter o corpo em equilíbrio e perfeito funcionamento. Às vezes, somos nós que atrapalhamos com as nossas escolhas de estilo de vida e hábitos que desenvolvemos.
E do que são formados os órgãos? De tecidos. É legal imaginar que o “tecido social” imita o “tecido biológico”. E os tecidos são formados de células, que existem aos trilhões em nosso corpo. A maioria dos especialistas concorda que temos 10 trilhões de células compondo nosso organismo.
Você sabia que a água é o maior componente da estrutura da célula e dos fluidos do organismo? Pois é, a água tem funções indispensáveis ao corpo. É o solvente de vários solutos, gases e enzimas; é um meio para as reações celulares e para o transporte de nutrientes; é necessária para a função e estrutura correta do músculo.
Quando pensamos na água precisamos refletir que ela é essencial para o sistema cardiovascular e respiratório; faz parte dos processos químicos da digestão e absorção; transporta e excreta as toxinas do corpo; regula a temperatura corporal.
A água está presente em 70% da composição de nossos músculos. Eliminamos água permanentemente pela urina, fezes, suor e respiração. Por isso, necessitamos de hidratação adequada para fazer esse balanço hídrico.
Quando você não se hidrata adequadamente, para fazer a “troca de fluidos”, seu corpo começa um processo de armazenamento, a chamada “retenção de líquidos”, que tanto atazana a vida de algumas pessoas, especialmente, as mulheres, que, por diversos fatores, mas em especial o sociológico, acabam ingerindo menos água que um homem.
Sendo francos, se um homem sente sua bexiga cheia e está numa estrada, para ele é muito mais fácil parar o carro na beira da estrada e aliviar a pressão. Agora, imaginem a ginástica que isso representa para as mulheres. No dia a dia do trabalho e das cidades a cena se repete. Qualquer poste mais escondido é um espaço para o homem liberar o excesso de urina, mas e a mulher?
Então, agora estamos preparados para tratar alguns mitos e verdades sobre a água.
Mito: “Quatro litros de água é, garantidamente, o que todos os adultos precisam para estarem bem hidratados no dia”.
Fato: As pessoas têm necessidades específicas de consumo de água mas, em geral, recomenda-se tomar em torno de 2 litros de líquidos por dia, ou 35 mililitros por quilograma de peso corporal. Então, se você tem 100kg, deve ingerir 3,5 litros de água para se hidratar.
Mito: “Sede é o melhor indicador de desidratação”.
Fato: Seu mecanismo de sede não é tão rápido até que esteja ligeiramente desidratado. Monitorar a cor da sua urina pode ser o melhor indicador de  hidratação. Urina amarela clara e transparente demonstra hidratação adequada, enquanto urina amarela escura e concentrada indica que precisa beber mais água.
Mito: “Não é saudável beber muita água”.
Fato: Com exceção de alguns estados específicos de saúde, seu corpo somente usará a água que precisa e eliminará o resto. Sob condições normais, não há riscos associados por beber muita água. É recomendado que a água seja bebida devagar, ao invés de engolida de uma só vez, para evitar problemas gástricos.
Mito: “Beber muita água é exigir demais dos seus rins”.
Fato: A água é necessária para o bom funcionamento dos rins. Quando a água ingerida é insuficiente, os rins compensam essa deficiência expelindo mais urina concentrada, que podem causar a formação de pedras nos rins.
Mito: “Se você tem um problema de retenção de líquidos, beba menos água”.
Fato: Na verdade, o correto é o contrário. Beber uma quantidade adequada de água vai ajudar seu corpo a manter o balanço adequado de líquido e também jogar fora o excesso de sódio, que pode contribuir para a retenção de líquido.
Mito: “Bebidas esportivas são melhores que água durante a prática de exercícios”.
Fato: Em exercícios que duram menos que 60 minutos, a água é a bebida mais indicada. Reposição eletrolítica (bebidas esportivas) não é necessária durante curto período de exercícios. Você deve restabelecer o nível de líquido perdido nos exercícios ou você terá cansaço prematuro e diminuirá seu desempenho. Caso você se exercite por mais tempo e de forma intensa, provocando muito suor, os repositores hidroeletrolíticos são recomendados.
Mito: “Você precisa de mais água no verão do que no inverno”.
Fato: Desidratação costuma ser relacionada somente aos meses quentes de verão, mas manter seu corpo hidratado no inverno é tão importante quanto no verão. Durante atividades esportivas no inverno, não parece que você sua tanto. No entanto, seu corpo também está perdendo líquido. Beber água é uma necessidade para seu desempenho atlético não ser afetado.
Chamo atenção aqui também para regiões de clima seco. Por exemplo: numa cidade litorânea, onde a umidade do ar é maior, você sua mais. Agora, se mora numa cidade de clima seco, como Brasília, você quase não sua, nem quando faz atividade física ao ar livre, porque a “água” do corpo evapora rápido. Então, fique atento a isso. Não é porque não está suando que você não está desidratando.
Sucos doces, bebidas doces e café não são bebidas consideradas água. Você deve beber água e chás, que, na verdade, se constituem de água com ervas aromáticas.
Um dos fatores determinantes da hidratação adequada é a concentração de açúcares na bebida. Vou dar dois exemplos:
Exemplo 1: Bebidas com uma concentração de açúcares em torno de 15% (que é metade da concentração de açúcar de um refrigerante) determinam um esvaziamento gástrico lento, com demora para absorção intestinal da água, ou seja, causando uma hidratação inadequada. Logo, refrigerante é uma péssima bebida para sua hidratação. Além da alta concentração de açúcar, normalmente, têm alta concentração de sódio.
Exemplo 2: Já as bebidas sem açúcares ou com uma concentração de açúcares em torno de 6% (equivalente às bebidas reidratantes ou “soro”) provocam um esvaziamento gástrico rápido, a água chega ao intestino para a sua absorção, promovendo assim uma hidratação adequada.
Tem gente que pergunta se a água ajuda mesmo no processo de emagrecimento. A grande ajuda da água neste sentido é a chamada sensação de saciedade. Quando ingerimos líquidos e comemos frutas durante os intervalos das refeições, temos uma sensação de estar com o estômago cheio e não sentimos fome. No entanto, não devemos tomar líquidos em excesso durante as refeições.
Tomar vários copos de suco durante as refeições dilata o estômago. Isso, além de lhe fazer comer mais, também não é o ideal sob o ponto de vista estético.
E uma última dica: se você está com a pele ressecada, precisa beber muita água. Se sua pele é oleosa, precisa beber muita água. A boa hidratação reflete em sua pele, vistosa, mas não oleosa.
 

Lídia Caldas é nutricionista pela Faculdade Católica de Vitória, especialista em Nutrição Esportiva pela Universidade Gama Filho (RJ) e gestora de Unidade de Alimentação e Nutrição. Fale com a nutri: lidiarncaldas@gmail.com 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

Os fantasmas de PH

Delações e medo das ruas assombram Hartung, cada vez mais distante das eleições de 2018

OPINIÃO
Renata Oliveira
Reformas inócuas
A Lava Jato revelou como a classe política articulou sua sobrevivência no ''mundo cão'' enquanto vendia honestidade
BLOGS
Blog do Phil

Phil Palma

Imperdivel! Já em cartaz!
Flânerie

Manuela Neves

Nenna, em transição
Panorama Atual

Roberto Junquilho

A Odebrecht quebrou a "Omertá", e agora?
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Nossa Terra, nossa gente
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Quem quer ser vizinho de uma siderúrgica?

Envolvimento de Ricardo Ferraço no esquema da Odebrecht inibe oposição de Theodorico na Assembleia

Delações jogam luz sobre passagens obscuras da política capixaba

Com baixa de 119 servidores em três anos, governo adia nomeação de escrivães de Polícia

Polícia Militar antecipa reintegração de posse de área em Vitória