Seculo

 

Sedu coage conselheiros de escolas e comunidades rurais


08/04/2017 às 19:22
“Isso é coação, é caso de polícia”, denunciam educadores membros do Comitê Intermunicipal de Educação de Sooretama e Linhares, um dos coletivos empenhados em combater a plano, em curso pela Secretaria Estadual de Educação (Sedu), de extinguir  todos os conselhos de escolas com menos de 100 alunos, a maioria absoluta delas, pequenas escolas de comunidades rurais de norte a sul do Espírito Santo.
O novo prazo dado pela Sedu é o dia 28 de abril, para que os presidentes dos conselhos assinem atas de extinção dos mesmos. A medida é autoritária e ilegal, pois, segundo a legislação federal dos conselhos escolares, os conselhos só podem ser extintos caso suas escolas o sejam ou, em caso dos membros do conselho assim desejarem. O que não é o caso.
 
Ao contrário, a revolta, por parte dos conselheiros, educadores e comunidades em geral, cresce à medida que a coação se torna mais intensa. Essa pressão parte dos técnicos das Superintendências Regionais de Educação, contra os presidentes e as comunidades.
 
“Enviaram os técnicos nas comunidades e, onde houve resistência, estão convocando os presidentes pessoalmente nas superintendências e ameaçando, caso não assinem ata de extinção, de não enviar mais nenhuma verba para as escolas e até de comprometer seus CPFs!”, denunciam membros do Comitê Intermunicipal, que preferiram não se identificar com medo de represálias.
 
Retrocesso histórico
 
“Estão tentando implantar a discórdia, colocando conselheiros contra as suas comunidades”, complementa. “Os presidentes estão com muito medo e as comunidades se sentindo coagidas”, revelam.
 
O ataque à Educação do Campo começou no final do ano passado, quando a Sedu impediu a realização de eleições para renovar as diretorias dos conselhos e, em seguida, iniciou o processo de desativação dos conselhos, visando posterior extinção. A alegação é de que é preciso incorporar as pequenas escolas a escolas maiores, localizadas nos centros urbanos mais próximos, o que contraria absolutamente a lógica da Educação do Campo, que é manter os estudantes próximos de suas comunidades, de suas realidades, de suas culturas, de suas famílias.
 
Nesta primeira semana de abril, o Comitê Estadual de Educação do Campo lançou uma nota de esclarecimento – aos conselheiros, comunidades e população em geral – sobre as irregularidades cometidas pela Sedu em seu plano de acabar com a Educação do Campo.
 
“Não devemos temer”
 
O documento enfatiza que os conselheiros não foram devidamente informados sobre as conseqüências de obedecerem às ordens, dadas pelas Superintendências, de assinarem atas de extinção de seus conselhos, que eles podem sim se recusar a obedecer à imposição, que é ilegal, e que não podem sofrer qualquer tipo de sanção ou punição por isso.
 
Apesar de todo o arsenal de irregularidades e coações, os conselheiros mantêm a resistência. Na próxima segunda-feira (10) estarão novamente reunidos com o Ministério Público Estadual para traçar novas estratégias de luta. “Não devemos temer”, afirmam. 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Quem dá mais?

Enquanto o mercado político se divide cada vez mais entre o bloco palaciano e o puxado por Casagrande, Audifax segue com acenos para o lado que mais convém

OPINIÃO
Editorial
Castigada seja a hipocrisia!
Ideal, mesmo, seria ver tamanha indignação dos deputados estaduais no debate sobre nudez artística em casos reais de atentado à paciência da sociedade
Piero Ruschi
A decadência da celulose
O plantio de eucalipto destinado à produção de celulose no Estado sofrerá reduções extremamente positivas ao capixaba
Gustavo Bastos
Conto carnavalesco
''Qual é o sentido do carnaval para você?''
Geraldo Hasse
Manobras perigosas
Os empresários, que surfaram na onda de Lula, estão assustados com a pororoca de Temer
JR Mignone
Banalização
O carnaval fez com que se desse uma trégua nas informações sobre política no Brasil
Roberto Junquilho
Hora do plano B
Os planos de Hartung e Colnago retornam à estaca zero com a saída de Luiz Paulo do PSDB
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

A arte de pilotar motocicletas – ou com Chico na garupa
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Yes, nós também!
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Hora do plano B

Polícia Militar tenta calar cabos e soldados após publicações na internet

Quem dá mais?

Ricardo Ferraço ensaia chapa casada ao Senado com Amaro Neto

Estudantes reagem contra manutenção do reajuste na passagem de ônibus