Seculo

 

Hartung recebeu R$ 1 milhão da Odebrecht, afirma Veja


11/04/2017 às 18:25
(Atualizada às 22h38) O governador Paulo Hartung (PMDB) teria recebido pagamentos indevidos em duas parcelas nas campanhas eleitorais em 2010 e 2012. A informação foi publicada no site da Revista Veja no fim da tarde desta terça-feira (11). E se espalhou como um rastilho de pólvora na classe política do Estado. Já que a notícia pode ter efeitos no cenário político de 2018 tanto no Espírito Santo quanto fora do Estado.
 
Segundo a notícia de Veja, no acordo de delação homologado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), o ex-presidente de Infraestrutura da construtora Odebrecht, Benedicto Barbosa da Silva Júnior, cita pagamentos feitos ao governador do Estado.
 
Hartung, segundo a delação, teria recebido R$ 1 milhão da empreiteira durante as campanhas eleitorais de 2010 e 2012. Em 2010, ele apoiou a candidatura de seu sucessor, Renato Casagrande (PSB), e em 2012, foi cabo eleitoral de Luiz Paulo Vellozo Lucas (PSDB), na disputa à Prefeitura de Vitória.
 
"Trata-se de petição instaurada com lastro no termo de depoimento do colaborador Benedicto Barbosa da Silva Júnior (Termo de Depoimento n. 46), o qual relata que foram feitos pagamentos indevidos a Paulo César Hartung Gomes, atual Governado do Estado do Espírito Santo, para as campanhas eleitorais dos anos de 2010 e 2012. Os repasses somariam R$ 1.080.000,00 (um milhão e oitenta mil reais), parcelados nos meses de setembro de 2010 e setembro de 2012, estando o relato acompanhado de documentos que, em tese, comprovariam esses pagamentos", diz um trecho da delação.

Como não existe menção a crimes praticados por autoridades detentoras de foro por prerrogativa do supremo, o procurador-Geral da República, Rodrigo Janot autoriza a utilização do termo de declaração no âmbito do Superior Tribunal de Justiça e postula “o levantamento do sigilo em relação ao termo aqui referido (fl. 4)”.
 
O governador Paulo Hartung não disputou a eleição nessas duas ocasiões. Ele deixou o governo em 2010 e só voltou a disputar eleição, novamente ao governo, em 2014. Benedicto Barbosa da Silva afirmou ter feito “pagamentos indevidos” em parcelas nos meses de setembro de 2010 e setembro de 2012. Os documentos da delação que citam o governador sejam remetidos ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).
 
Em nota, o governador Paulo Hartung disse que "não disputou as eleições de 2010 e 2012. Portanto, é leviana, mentirosa e delirante a citação de que ele teria recebido recursos da construtora Odebrecht. O governador afirma que acusações infundadas como essa só contribuem para confundir, tumultuar a investigação e manchar a trajetória das pessoas de forma irresponsável".

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Equilibrista

Reestruturação de Luciano Rezende joga luz, mais uma vez, na delimitação de espaços de aliados da linha de frente, Gandini e Sérgio de Sá

OPINIÃO
Editorial
Morta-viva
Enfim, cumpre-se o destino óbvio no País das relações promíscuas: a Samarco/Vale-BHP tem as primeiras licenças ambientais para voltar a operar
Piero Ruschi
Carta de aniversário ao papai
‘Venho lhe desejar um feliz aniversário de 102 anos, o mais feliz possível, diante de todas mazelas que atormentam o Museu que o senhor criou e o meio ambiente que tanto defendeu
Gustavo Bastos
Destino e acaso
''Quanto ao cético do acaso, ele chama destino de delírio e acaso de nada''
Roberto Junquilho
A política e os poker face
Transferência de atribuições de César Colnago deixa o terreno limpo para movimentações de 2018
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Quem quer dinheiro?
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Destino e acaso

A política e os poker face

Deputados querem explicações do secretário de Meio Ambiente sobre licenças à ETE da Vale

Equilibrista

Governo reduz atribuições de Colnago e cria sistema de políticas sobre drogas