Seculo

 

Delação revela que Neivaldo Bragato era ‘executivo de Hartung’ para caixa 2


13/04/2017 às 14:46
A referência ao nome do ex-secretário de Gabinete do governador Paulo Hartung (PMDB) e atual conselheiro do Banestes, Neivaldo Bragato – próximos, desde a época do movimento estudantil – reforça a acusação de “caixa dois” ao mandatário do Palácio Anchieta, citado na delação de executivos da Odebrecht. O braço direito de Hartung já exerceu vários postos nas gestões do peemedebista e está atualmente como representante do governo do Estado no Conselho de Administração do Banestes.
 
Em depoimento ao Ministério Público Federal (MPF), o ex-presidente da Odebrecht Infraestrutura, Benedicto Barbosa da Silva Júnior, afirmou que repassou R$ 1 milhão para Hartung, através de quatro repasses em dinheiro para Bragato – que teria recolhido os valores em hotéis na zona sul do Rio de Janeiro, em setembro de 2010. Naquela ocasião, ele atuava como titular da Secretaria de Transportes e Obras Públicos (Setop), onde permaneceu por quase todos os dois primeiros mandatos de Hartung.
 
Benedicto mostrou conhecimento ao descrever o local do escritório de consultoria Éconos, onde Hartung atuou logo após deixar o governo (em 2010) ao lado do sócio, o ex-secretário da Fazenda, José Teófilo de Oliveira. Na delação, o ex-executivo informou a localização exata do prédio em que funcionava a Éconos, na Reta da Penha, em Vitória, além dos nomes das principais auxiliares de Hartung na empresa, Deise e Simone – esta última Simone Modolo, secretária do então ex-governador na firma e que também atuou como chefe de Gabinete no Palácio (hoje ela é subsecretária de Turismo na atual gestão do peemedebista).
 
No termo de colaboração, nome dado à delação pelo MPF,  o ex-executivo detalhou que o pagamento do caixa dois a Hartung foi feito através do setor de Operação Estruturadas da empresa, que concentrava o esquema de propina do grupo. Os repasses teriam sido feitos pela equipe de Hilberto Silva ao peemedebista, sendo que os contatos da “operação” eram Sérgio Neves pela Odebrecht e Bragato pela parte do governador. Tudo isso apenas escancara a relação antiga entre o peemedebista e sua “pessoa de confiança”. Para Benedicto, Hartung teria conhecimento de que se tratava de caixa dois.
 
Chama atenção que Bragato sempre foi apontado como a principal figura ligada ao governador junto ao empresariado. Tanto que, logo após o fim da primeira “era Hartung”, ele foi rapidamente alçado à presidência da Companhia Espírito-Santense de Saneamento (Cesan), no início da gestão Renato Casagrande (PSB), que foi apoiado por Hartung no pleito de 2010. Bragato deixou o cargo de maneira brusca em 2013, coincidentemente, após o grupo Odebrecht ser preterido na concessão de saneamento no município da Serra.
 
Dentro do grupo de pessoas ligadas a Bragato se destacam outros importantes personagens durante a Era Hartung – e que seguem próximas à administração do peemedebista. Casos do atual secretário de Transportes, Paulo Ruy Carnelli, que sucedeu Bragato na companhia – após retornar de um período como consultor da Odebrecht. Outros nomes são da atual diretora de Administração e Finanças do Bandes, Denise de Moura Cadete Gazzinelli Cruz, e de sua assessora, Marilza Barbosa Prado Lopes. As duas exerceram diversos cargos públicos nas primeiras de gestões de Hartung e hoje estão abrigadas na instituição financeira estatal.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
'Devoção' cega

Enquanto lideranças partidárias ecoam o ‘Volta Hartung’, o próprio lava as mãos e deixa seu exército fiel em apuros nas eleições deste ano

OPINIÃO
Erfen Santos
O Cidadão Ilustre
O filme suscita reflexões pertinentes sobre prêmios literários como o Nobel, que rejeitou grandes escritores
Geraldo Hasse
Notícias do fundo do poço
Se não ceder às pressões externas, a Petrobras pode voltar a liderar a economia
JR Mignone
A importância das eleições
Cada empresa de comunicação tem de se esmerar nas campanhas, sem partido ou cores políticas
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Além das lágrimas
MAIS LIDAS

Ministério Público investiga suspeita de cartel em licitações da Secretaria de Agricultura

Amancio, um cantador da capoeira

Vagas no Senado viram a grande disputa deste ano no Espírito Santo

A quadrilha democrática da Rua Sete

Contratação do Instituto da Mata Atlântica gera PAD contra gerente do Iema