Seculo

 

Resolução com emenda 'Jabuti' para barrar CPI da Cesan é publicada


18/04/2017 às 14:12
Foi publicada no Diário Oficial desta terça-feira (18), a resolução aprovada pela Assembleia Legislativa que permite a manobra para impedir a criação da CPI da Cesan. A matéria foi aprovada na tarde dessa segunda-feira (17) em meio à polêmica e muitas críticas à base governista por causa da utilização da proposição do deputado Sérgio Majeski (PSDB), que visava a garantir transparência nas votações, mas acabou sendo enxertada por uma emenda do líder do governo, Gildevan Fernandes (PMDB).
 
A Resolução modifica a redação do § 13 do  art. 59 e do § 2º do art. 203 da Resolução nº 2.700, de 15 de julho de 2009, do Regimento Interno, usando das atribuições que lhe são conferidas pelo artigo 17, inciso XXVI do Regimento Interno, aprovado pela Resolução nº 2.700, de 15 de julho de 2009.
 
A ideia era a de acrescentar a listagem com os votos dos deputados em ata, além de ser publicada no Diário do Poder Legislativo e no site da Assembleia Legislativa. Mas o que causou polêmica foi a apresentação de uma emenda pelo deputado Gildevan Fernandes, com objetivos bem diferentes.  
 
A emenda modificava o parágrafo 13 à resolução: “Será ineficaz a desistência manifestada por qualquer subscritor após o deferimento do requerimento de criação de Comissão Parlamentar de Inquérito já assinado por, no mínimo, um terço dos membros da Assembleia Legislativa”
 
Embora o líder negue o objetivo específico, a emenda foi apresentada para permitir que os deputados pudessem retirar as assinaturas do requerimento de criação da comissão, após o protocolo e antes do deferimento no plenário.
 
A manobra foi necessária porque o deputado Euclério Sampaio (PDT) havia conseguido o mínimo de assinaturas para a criação da comissão e protocolou sem que o líder pudesse tentar demover os deputados que haviam apoiado a matéria. Com a publicação da resolução, os deputados assediados pelo governo poderão tirar seus nomes do documento. No plenário, comenta-se que três deles já estariam dispostos a deixar o grupo: Padre Honório (PT), José Esmeraldo (PMDB) e Gilsinho Lopes (PR).

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Rabiscos eleitorais

Articuladores já fazem suas contas de 2018. Entre os deputados considerados reeleitos, está quase toda bancada do PMDB, incluindo Erick Musso. Mas, antes, terá que colocar um ''bonde'' pra correr

OPINIÃO
Editorial
À oposição, o respeito!
Seja manifestando uma simples opinião ou criticando medidas do próprio legislativo ou do governo, falou em Sergio Majeski, o tiroteio é garantido
Piero Ruschi
Carta de aniversário ao papai
‘Venho lhe desejar um feliz aniversário de 102 anos, o mais feliz possível, diante de todas mazelas que atormentam o Museu que o senhor criou e o meio ambiente que tanto defendeu
Gustavo Bastos
Destino e acaso
''Quanto ao cético do acaso, ele chama destino de delírio e acaso de nada''
Geraldo Hasse
Em defesa da soberania
Manifesto combate o entreguismo, filho dileto do colonialismo neoliberal
Roberto Junquilho
Hartung e seu muro
Sem a presença da senadora Rose de Freitas, evento com lideranças do PMDB vira palanque para o governador
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Quem quer dinheiro?
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Rabiscos eleitorais

Hartung reforça interesse em projeto nacional nas eleições de 2018

Greve dos auditores da Receita Federal adia início do 'Bike VV'

Manifesto denuncia ameaças a lideranças mobilizadas contra agrotóxicos em Boa Esperança

Prefeitura de Guarapari terá que indenizar idosa por queda de abrigo em ponto de ônibus