Seculo

 

Negócios


21/04/2017 às 23:16
A bomba Lava Jato explodiu no Estado e as delações e listas reveladas pelos ex-executivos da Odebrecht já causaram os devidos estragos às imagens das principais lideranças políticas capixabas. Passado esse primeiro impacto, o que vem pela frente? Os casos que vieram à tona até agora, envolvendo o governador Paulo Hartung (PMDB) e o antecessor Renato Casagrande (PSB), se referem às campanhas de 2010 e 2012, cujas doações foram apontadas como ilegais, realizadas por meio de caixa dois. A empreiteira, porém, continuou marcando seu território no Estado na disputa de 2014, quando o contexto político se alterou e os dois se enfrentaram numa disputa quase sangrenta. Atrás de garantir a retomada do lugar cativo que sempre ocupou nos primeiros mandatos de Hartung, principalmente após sofrer um revés durante a gestão socialista na negociação de um contrato e tanto na Serra, a empreiteira mais uma vez fez apostas altas, como indicaram dados da Justiça Eleitoral divulgados à época. As doações do Grupo Odebrecht a Hartung somaram R$ 730 mil e a Casagrande, que era o dono da caneta, R$ 770 mil. Já era tempo de Lava Jato, com a Odebrecht incluída nas investigações. A eleição acabou, o governo mudou de comando, a operação continuou a abalar a classe política, e as delações nunca mais pararam, até chegarem ao Espírito Santo. Se não fosse o atual contexto político, qual seria a “paga” da vez? Empresa, sabe como é, não doa, investe.
Sempre atual
Há quem diga que a história do posto fantasma retomada pelo deputado estadual Sérgio Majeski (PSDB) é velha, afinal, Euclério Sampaio (PDT) esteve lá em 2013. Mas o tema continua a despertar o interesse do eleitor. O vídeo gravado por Majeski no seu retorno ao local, divulgado nessa quinta-feira (19), repercute que é uma beleza nas redes sociais. Basta olhar os números... 
Sempre atual II
Somente no primeiro dia, no Facebook, foram 40 mil visualizações, mais de mil compartilhamentos e cerca de três mil curtidas. Daí pra frente, não parou de bombar.
Sempre atual III
Majeski, no vídeo, lembra que o dinheiro ilegal da Odebrecht, supostamente doado a políticos capixabas, é pequeno comparado aos R$ 40 milhões (valores atualizados) gastos com a obra do posto fantasma de Hartung em Mimoso do Sul, que não saiu da fase de terraplanagem. De fato, bem mais do que teria recebido o “Baianinho: pouco mais de R$ 1 milhão, para investir nas campanhas de aliados em 2010 e 2012. 
Atrás do prejuízo
A propósito, com o governador fora de alcance depois da bomba lançada em sua cabeça pelos executivos da empreiteira, quem circula o Estado para cima e para baixo é o vice César Colnago (PSDB). Haja inauguração, reunião, evento e oba-oba.
Sem vitrine
Por fala em fora de alcance, ausência sentida na segunda Caravana da Vida do senador Magno Malta (PR) nessa segunda-feira (17), em Viana: o também senador Ricardo Ferraço (PSDB). Na anterior, realizada na Serra, o tucano foi convidado especial e ficou bem no meio dos holofotes. 
Marcados
Também bomba nas redes sociais a publicação dessa quarta-feira (19) do Sindicato dos Trabalhadores e Servidores Públicos do Estado (Sindipúblicos), que mostra fotos e critica os deputados federais que votaram pelo regime de urgência para aprovação da Reforma Trabalhista. Já ultrapassou 1,2 mil compartilhamentos e quase 300 comentários.
Marcados II
A entidade destaca que Norma Ayub (DEM), Marcus Vicente (PP), Lelo Coimbra (PMDB) e Paulo Foletto (PSB), ao votarem em favor da proposta, agiram de forma submissa ao presidente Temer e contra os trabalhadores do País. 
140 toques
“Trata-se de um golpe à democracia proferido pelos que não aceitam a derrota e querem manter o partido [PT] atrelado ao golpista Hartung, além de continuar a ser um partido sem transparência e distante dos anseios da base militante”. (Chapa Pra Voltar a Sonhar – no Facebook - em reação à manobra que tenta anular vitória de Givalvo Vieira para o comando do PT).
PENSAMENTO:
“Os acontecimentos políticos humilham e desabonam mais a sabedoria humana que quaisquer outros eventos deste mundo”. Marquês de Maricá

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
'Tudo dominado'

Até agora, o terreno parece armado para permitir que César Colnago acumule a vice-governadoria com a presidência do PSDB no Estado. Só parece?

OPINIÃO
Editorial
Ajuste fiscal, a 'isca' do negócio
Hartung tem feito publicidade nacional para mostrar que o ES é o novo paraíso para investidores. Esconde, porém, os problemas internos, que não são poucos
Piero Ruschi
Risco à natureza gera efeito bolha em turismo de Santa Teresa
Desenvolvimento tem sido norteado pelo crescimento do turismo e seu potencial. Mas ‘corre solto’, o que pode ter um preço alto demais
Renata Oliveira
Tem que saber separar
Governador troca ministro por conversa com jornalistas, só para evitar Rose de Freitas
Gustavo Bastos
Swinging London
Um dos pontos de convergência em que a arte em geral se movia
Caetano Roque
Sindicalismo unilateral
O processo de debate no movimento sindical deve ser participativo, mas não é isso que vem acontecendo no país
JR Mignone
Proliferação de rádios na internet
Fazer rádio todo mundo gosta e quer fazer, mas fazer rádio de bom gosto ainda é difícil
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Panorama Atual

Roberto Junquilho

Este blog fica por aqui
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Algo de novo no ar
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

MPES arquiva investigação sobre nomeação de advogada em Aracruz

Hartung se reúne com Rodrigo Maia em Brasília

Tem que saber separar

O Martín Fierro de Jorge Luis Borges

Tribunal de Contas volta a cobrar informações sobre venda da Cesan