Seculo

 

CPI da Odebrecht quer investigar contratos de empreiteiras com setor público


25/04/2017 às 14:53
Os deputados Euclério Sampaio e Josias da Vitória, ambos do PDT, correm atrás de assinaturas para instalar uma nova Comissão Parlamentar de Inquérito. A CPI da Odebrecht quer investigar os contratos do governo do Estado com a empreiteira mais falada do País. No alvo da CPI também estão a Camargo Corrêa e a Delta.
A movimentação para emplacar uma nova comissão surge dias depois dos deputados pedetistas fazerem uma tentativa frustrada de emplacar uma CPI para investigar irregularidades na Cesan. Não por acaso, as três empreiteiras têm contratos com a companhia de águas.
Depois da pressão do governo do Estado para esvaziar a CPI da Cesan, os deputados parecem ter mudado de estratégia ao propor uma nova abordagem na CPI da Odebrecht.
Nesta terça-feira (25), Da Vitória e Euclério começaram a correr atrás dos colegas para coletar assinaturas para a nova comissão. A ideia é mirar nos contratos firmados com órgãos públicos estaduais, municipais, por meio de suas secretarias. A CPI também quer analisar as licitações, contratos e todos os serviços efetuados e prestados também pela Cesan, como cobranças abusivas de taxa de esgoto, sem contraprestação de serviços, cobrança de taxa de instalação abusiva cobrança de taxa casada, corte de fornecimento sem comunicação prévia e poluição, entre outras questões. E como se a natimorta CPI da Cesan renascesse dentro da CPI da Odebrecht.
A iniciativa, se sair do papel, deixa alguns parlamentares em situação delicada. O desgaste causado pela retirada dos nomes do requerimento da CPI da Cesan, após manobra do governo que possibilitou a saída de quem já havia assinado o documento, ainda vem trazendo prejuízo à imagem dos parlamentares. Novas denúncias envolvendo a Cesan e a Odebrecht confirmam que a CPI era imprescindível para esclarecer se houve irregularidades em contratos e licitações entre as duas empresas.
Com a nova investida, Euclério e Da Vitória pretendem trazer os deputados à responsabilidade, envolvendo a Casa no debate sobre a Cesan. Se antes o governo conseguia passar ao largo das questões envolvendo a companhia, tratando-as como “conspiração política”, depois das denúncias de irregularidades envolvendo também a Delta, a coisa muda de figura. 
A dificuldade dos pedetistas será, mais uma vez, driblar o cerco do governo e conseguir a adesão de ao menos 10 deputados para abrir a CPI.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

Disputa indefinida

Hoje, a raia que tem a linha de chegada no Palácio Anchieta tem apenas dois competidores: PH e Rose. O campo de oposição às lideranças de perfil tradicional ainda está aberto

OPINIÃO
Editorial
Operação seletiva
Mandado de busca coletivo cumprido nesta quinta (17) em Jesus de Nazareth viola Estado Democrático de Direito
Renata Oliveira
A escolha de Sofia
Os prefeitos do Estado têm de escolher entre Rose de Freitas ou Paulo Hartung
JR Mignone
Radiamadores
Os radioamadores continuam na sua ação principal, aquela de ajudar, informar, localizar, conhecer e explorar as distâncias
Geraldo Hasse
Pedalando rumo ao Norte
Até quando os brasileiros se deixarão governar por quem não os representa?
BLOGS
Blog do Phil

Phil Palma

Um homem nu.
Flânerie

Manuela Neves

Sizino, o pioneiro
Panorama Atual

Roberto Junquilho

A Força Nacional e o marketing de uma falsa segurança
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Sopa de Letrinhas
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Disputa indefinida

Mexer no PDU pode custar caro aos vereadores

À medida que a eleição se aproxima, perfil da equipe de Hartung se torna mais político

Justiça recebe ação penal contra ex-prefeito e vereadores de Barra de São Francisco

'Agricultura e cultura no nosso quilombo é a mesma coisa'