Seculo

 

Trabalhador é indenizado 24 anos depois de sofrer acidente de trabalho


07/05/2017 às 20:24
Um trabalhador contaminado por benzeno nas dependências da antiga Companhia Siderúrgica de Tubarão (CST), atual ArcelorMittal Tubarão, só conseguiu ser indenizado e garantir direito à pensão pelo acidente de trabalho 24 anos depois de dar entrada no pedido. Na última semana, o processo de Ademar Alves, de 62 anos, teve acordo homologado pelo juiz Adib Pereira Netto Salim, na 13ª Vara do Trabalho de Vitória.

O técnico em mecânica era empregado da empresa KNM Industrial Ltda, que prestava serviço na área da CST em 1991 quando ele, junto com outros trabalhadores, foi contaminado por benzeno. Por conta dessa contaminação, o trabalhador desenvolveu leucopenia, que é uma doença que se caracteriza pela redução de glóbulos brancos no sangue.

Em 1993 a ação foi ajuizada na Justiça estadual, mas foi enviada para a Justiça do Trabalho em 2005, por ocasião da ampliação de competência da Corte, em virtude da Emenda Constitucional nº 45/04, que determina que a Justiça do Trabalho é responsável por julgar ações de indenização decorrentes de relação de trabalho.

Desde então, o caso não foi concluído, em parte pelas tentativas frustradas de penhora de bens para indenizar o trabalhador. Em uma ocasião, um maquinários que se pretendia penhorar, não atingia metade do valor pelo qual havia sido adquirido, impossibilitando a penhora.

Em 2012 a empresa deixou de funcionar em virtude da desapropriação do terreno em que funcionava. A KNM alegou não conseguir arcar com a indenização por não ter recebido do Estado, mas a Justiça do Trabalho determinou que fosse feito um bloqueio direto nos créditos que a empresa tem a receber da Petrobras.

Além da indenização, o trabalhador vai receber pensão mensal até os 70 anos, no valor de mercado atualizado da função que exercia na época do acidente.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Precipitou-se

Com um olho em 2018 e outro em 2020, Luciano Rezende antecipou o processo eleitoral, mas esqueceu a Lava Jato. Aí mora o problema.

OPINIÃO
Renata Oliveira
Bicho-papão
O ajuste fiscal de Paulo Hartung precisa do exemplo do Rio de Janeiro tanto para cortar quanto para supervalorizar a liberação de recursos
JR Mignone
Qual rádio ouviria hoje?
Sinceramente, não saberia explicar que tipo de rádio eu ouviria hoje, isto é, que me motivaria a ligar o botão para ouvi-la: uma de notícia ou uma só de música selecionada
Caetano Roque
Pressão neles
O movimento sindical deve conscientizar o trabalhador sobre quem estará na disputa do próximo ano contra ele
Geraldo Hasse
A doença da intolerância
Ela está nos estádios, nos governos, nas igrejas, nos parlamentos, nas ruas, nos tribunais
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Branca, o Teatro e a sala de estar
Panorama Atual

Roberto Junquilho

Fuzis e baionetas, nunca mais!
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Turista acidental
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Precipitou-se

Posse de tucano no Turismo é demonstração interna de força de Colnago

Subseção da OAB-ES cobra esclarecimento sobre atuação de Homero Mafra na defesa de acusado

Justiça Federal determina que 14 municípios adotem ponto eletrônico para médicos e dentistas

Dary Pagung vai fechar a porta para emendas de deputados no orçamento