Seculo

 

Justiça determina execução de sentença para pagamento contingenciado de policiais civis


09/05/2017 às 17:12
A juíza Heloíza Cariello, da 2ª Vara de Fazenda Pública Estadual de Vitória, determinou a execução da sentença para o pagamento do contingenciamento de cerca de 2,3 mil policiais civis, que tiveram valores dos salários indevidamente restringidos nos anos de 1998 e 1999, com correção monetária e de juros. Na sentença final, a magistrada rejeitou as alegações do Estado e determinou o pagamento.
 
A batalha judicial teve início em 1999. Em 1998, os salários de outubro e novembro deixaram de ser pagos no ano seguinte houve o contingenciamento de parte dos salários dos policiais, para que eles pudessem ser pagos em dia. Diante disso, o Sindicato dos Policiais Civis do Estado (Sindipol-ES) acionou a Justiça pleiteando o pagamento integral dos salários e o pagamento do valor contingenciado corrigido monetariamente.
 
A entidade calcula que devam ser devolvidos mais de R$ 18 milhões aos policiais.
 
Na sentença, a juíza rejeitou as alegações do governo que, inicialmente, pediu a extinção do processo de execução, diante da ausência de memória de cálculo discriminada. A magistrada considerou que o sindicado anexou ao processo memória de cálculos, planilha dos valores individuais, além dos índices de correção e juros de mora.
 
O governo também alegou que os valores já haviam sido adimplidos, apontando que a Secretaria de Estado de Gestão e Recursos Humanos (Seger) já havia quitado os débitos referentes meses de outubro, novembro e dezembro de 1998 e o contingenciamento, porém sem correção monetária. No entanto, a juíza esclareceu que nos valores pagos não foram contabilizados juros de mora e correção monetária, justamente o objeto do cumprimento da sentença.
 
O governo também pediu que fosse produzida prova pericial para apurar corretamente os valores devidos e a magistrada reforçou que a sentença refere-se somente à correção monetária e aos juros de mora dos valores ilegalmente descontados e posteriormente pagos pelo Estado, sem atualização. Portanto, o montante a ser alcançado da condenação envolve apenas cálculos aritméticos, sendo desnecessária a produção de prova pericial.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Precipitou-se

Com um olho em 2018 e outro em 2020, Luciano Rezende antecipou o processo eleitoral, mas esqueceu a Lava Jato. Aí mora o problema.

OPINIÃO
Renata Oliveira
Bicho-papão
O ajuste fiscal de Paulo Hartung precisa do exemplo do Rio de Janeiro tanto para cortar quanto para supervalorizar a liberação de recursos
JR Mignone
Qual rádio ouviria hoje?
Sinceramente, não saberia explicar que tipo de rádio eu ouviria hoje, isto é, que me motivaria a ligar o botão para ouvi-la: uma de notícia ou uma só de música selecionada
Caetano Roque
Pressão neles
O movimento sindical deve conscientizar o trabalhador sobre quem estará na disputa do próximo ano contra ele
Geraldo Hasse
A doença da intolerância
Ela está nos estádios, nos governos, nas igrejas, nos parlamentos, nas ruas, nos tribunais
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Branca, o Teatro e a sala de estar
Panorama Atual

Roberto Junquilho

Fuzis e baionetas, nunca mais!
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Turista acidental
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Precipitou-se

Posse de tucano no Turismo é demonstração interna de força de Colnago

Subseção da OAB-ES cobra esclarecimento sobre atuação de Homero Mafra na defesa de acusado

Justiça Federal determina que 14 municípios adotem ponto eletrônico para médicos e dentistas

Dary Pagung vai fechar a porta para emendas de deputados no orçamento