Seculo

 

Moradores conseguem reverter fechamento de posto de atendimento do Banestes em Barra do Riacho


13/05/2017 às 18:45
Os moradores da localidade de Barra do Riacho, em Aracruz, norte do Estado, se uniram e conseguiram que o Banestes revertesse o fechamento do posto de atendimento do distrito. Ao anúncio de fechamento, os moradores acionaram a prefeitura e os vereadores do município e pressionaram o banco para que mantivesse a unidade aberta.

Somente o posto de Barra do Riacho atende a cerca de 30 mil pessoas na região, que compreende aos distritos de Barra do Riacho, Vila do Riacho, Barra do Sahy e Cachoeirinha. Mesmo com esse volume de atendimentos, a instituição alegava que o posto não é rentável.

A possibilidade de fechamento levou a uma reunião, na última quarta-feira (10), com presença massiva de moradores no Centro de Saúde da localidade, para cobrar a permanência do posto na comunidade. A audiência teve presença de representantes do banco, do prefeito de Aracruz, Jones Cavaglieri (SD), e do Sindicato dos Bancários do Estado (Sindibancários-ES).

No dia seguinte à reunião, a comunidade fez um ato público em frente ao posto, pedindo que ele fosse mantido em Barra do Riacho.

Piaçu

O mesmo caso aconteceu em dezembro de 2016, no distrito de Piaçu, em Muniz Freire, na região do Caparaó. Os moradores e produtores rurais foram surpreendidos pelo fechamento do posto de atendimento que funcionava havia 37 anos no distrito.

A indignação tomou conta de Piaçu, que tem cerca de seis mil habitantes, e houve uma reunião entre os moradores; o diretor comercial do banco, Alexandre Ceotto; os diretores do Sindibancários, Jonas Freire e Paulo Soares; o pároco Carlos Renato de Carvalho; a senadora Rose de Freitas (PMDB); a deputada estadual Luzia Toledo (PMDB); e o prefeito de Muniz Freire, Dr. Carlinho (Pros).

A comunidade fez um protesto contra o fechamento do posto, que prejudicou a todos os moradores, que teriam de se deslocar 18 quilômetros para ter acesso à agência do banco, no Centro de Muniz Freire.

O acesso à agência de Muniz Freire para os moradores da localidade que não têm veículo próprio é difícil, já que o ônibus que faz o itinerário entre o Centro e Piaçu passa de quatro em quatro horas.

Grande parte dos moradores da localidade recebe salários e aposentadorias pelo Banestes e também utiliza o posto para o pagamento de contas.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Missão socialista

Assim como Casagrande, deputado Paulo Foletto mostra que tem sola de sapato para gastar até eleição de 2018

OPINIÃO
Editorial
Não tem almoço nem jantar grátis
Hartung convidou para o banquete palaciano apenas os fiéis que pagaram o jantar ao longo do semestre. Afinal, cada voto a favor do governo tem um valor
Piero Ruschi
Festa de fachada
Comemoração da Sambio evidencia que o Museu Mello Leitão segue precisando de verdadeiros amigos
Renata Oliveira
E agora, Rose?
A senadora sempre trilhou seu caminho político sozinha, mas disputar o governo do Estado é diferente
Geraldo Hasse
Sr. Rolando Boldrin, o Brasil de verdade
A biografia do apresentador de TV louva a autêntica cultura caipira, que vai do baião ao samba
Caetano Roque
Nada de festa
Enquanto não houver democracia interna nos sindicatos não há motivo para comemorar a perpetuações no poder
BLOGS
Blog do Phil

Phil Palma

Um homem nu.
Flânerie

Manuela Neves

Sizino, o pioneiro
Panorama Atual

Roberto Junquilho

O cinismo explícito e a esperança de fora Temer renovada
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

O presente
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Temendo insatisfação da tropa, governo cancela evento para promoções de policiais militares

Não tem almoço nem jantar grátis

Disputa entre Temer e Maia por insatisfeitos do PSB afeta partido no Estado

Pesquisa vai avaliar a qualidade do acesso às informações nos órgãos do Judiciário

Missão socialista