Seculo

 

Revisão do PDU de Vitória entra em fase final


18/05/2017 às 18:06
Iniciada em junho do ano passado, a revisão da minuta do novo Plano Diretor Urbano (PDU) de Vitória pelo Conselho Municipal do PDU (CMPDU) foi concluída nessa quarta-feira (17). O texto será apreciado no Encontro da Cidade, que deve acontecer no final de junho, pelos delegados eleitos nas comunidades e indicados pelo poder público e representantes da sociedade civil. Uma vez aprovada, será, então, enviada para apreciação na Câmara de Vereadores.
 
Mas antes de chegar ao Encontro da Cidade, o documento deve ser disponibilizado até o fim deste mês no portal Minha Vitória para considerações dos moradores. Para isso, técnicos do município farão a formatação de textos, mapas e tabelas. Os moradores terão 20 dias para opinar sobre a minuta do novo plano diretor de Vitória. O portal registra todo o processo de revisão do PDU, com estudos, documentos e análises.
 
Antes de chegar a público, algumas ideias para o novo ordenamento urbano da capital provocam controvérsia. Moradores da Praia do Canto já se puseram contra a criação de uma zona especial de entretenimento no Triângulo das Bermudas, uma das principais áreas de lazer noturno de Vitória. 
 
Prevista no novo PDU, a ação prevê a duplicação do limite de tamanho para novos empreendimentos comerciais, de 300 para 600 metros quadrados. Os moradores temem pela qualidade de vida.
 
Por outro lado, as mudanças previstas na área do Centro de Vitória se mostraram bem acolhidas. Entre as principais mudanças, está a facilitação para a regularização das edificações existentes para incentivar novos negócios e estimular moradias. Foram flexibilizados os índices urbanísticos existentes e dispensada a oferta de vagas de estacionamento. Um exemplo é a liberação de gabarito e altura nos principais eixos viários, como as avenidas Jerônimo Monteiro e Princesa Isabel.
 
Já em Jardim Camburi, o líder comunitário Evandro Figueiredo entrará na próxima segunda-feira (22) com uma representação no Ministério Público Estadual (MPES) pedindo acompanhamento do processo de revisão do PDU. Ele suspeita que a demora do processo de revisão teria o objetivo de conferir mais tempo para que as empresas imobiliárias protocolem novos projetos na prefeitura. 
 
Assim, adverte, esses projetos responderiam à legislação atual e não à próxima, que deve ser mais restritiva com a construção de novos empreendimentos. O processo de revisão do PDU tem evidenciado que a principal demanda dos moradores do mais populoso bairro de Vitória é a restrição da altura dos prédios. A ideia é frear o crescimento da região.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Leonardo Duarte/Secom
Uma coisa só

Enquanto no campo nacional PRB e MDB ainda estão em fase de namoro, no Estado o partido já é um “puxadinho” de Hartung. E tudo começou com Roberto Carneiro...

OPINIÃO
Editorial
MPES omisso
Ministério Público decidiu não participar das audiências de custódia. Um dos prejuízos: denúncias contra tortura, comumente relatada por presos
Piero Ruschi
Pets: uma questão de responsabilidade socioambiental
Felizes as pessoas que podem ter um animal de estimação! Felizes os animais de estimação que têm um dono responsável!
Gustavo Bastos
Para que Filosofia?
''é melhor existir do que o nada''
Bruno Toledo
Por que negar os Direitos Humanos?
Não há nada de novo nesse discurso verde e amarelo que toma as ruas. É a simples manutenção das bases oligárquicas do Brasil
Eliza Bartolozzi Ferreira
Políticas de retrocesso
Dados educacionais do governo Paulo Hartung são alarmantes
Geraldo Hasse
Vampirismo neoliberal
O governo oferece refrescos aos trabalhadores enquanto suga seu sangue
Roberto Junquilho
Quem governa?
Um novo porto na região de Aracruz demonstra que, para as corporações, as minorias não importam
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Uh, Houston, temos um problem
MAIS LIDAS

Uma coisa só

MPES omisso

Processo de Valci Ferreira e Gratz por crime de peculato será remetido ao STF

Cedrolândia ainda aguarda resposta do prefeito sobre escola condenada

Diretoria do Heimaba não comparece em reunião do Conselho para explicar óbitos