Seculo

 

Quem ajudará?


19/05/2017 às 15:00
Elo mais frágil do sistema político, mas ao mesmo tempo tão importante no processo eleitoral como indutores de votos, os prefeitos vivem momentos de apreensão com tanta movimentação em nível nacional e local. No cenário do Estado, muita gente quer se arvorar de padrinho dos prefeitos, mas a situação política pode colocar, quem diria, nas mãos deles, a escolha.
 
A balançada no Palácio do Planalto preocupa porque a senadora Rose de Freitas (PMDB), que tem acesso livre com ministros e até mesmo com o presidente Michel Temer, consegue com essa relação preciosas emendas para ajudar a prefeitada. Se a porta fechar vai ficar complicado.
 
Rose cultivou durante anos uma quota de prefeitos que garantiu suas eleições. Mas uma coisa é ter Rose de Freitas, a senadora já sinalizou o desejo de disputar a eleição ao governo e aí os prefeitos vão ter de decidir se isso é interessante.
 
No âmbito estadual, o governador, por meio da Secretaria de Agricultura, tem ensaiado a abertura do cofre que tanto blindou na primeira parte de seu mandato. Para tentar salvar sua imagem no Estado, o governador estaria disposto a ajudar os prefeitos, de olho no próximo ano quando vai precisar dos votos do interior, tão decisivos para sua vitoria no embate contra Renato Casagrande (PSB) em 2014.
 
Mas Hartung agora é uma liderança fragilizada. As denúncias de envolvimento com a Odebrecht o tiraram de um pedestal, em que ficava em um patamar diferenciado das demais lideranças do Estado. Mesmo que as informações sejam represadas na Grande Vitória, mais cedo ou mais tarde, o estrago na imagem do governador vai mostrar seu tamanho real.
 
O fato de não ter comparecido à Assembleia para enfrentar seu algoz Sérgio Majeski (PSDB) também pode ter sido uma escolha errada, mostrou fraqueza do governador. Ir para a Europa em meio a uma crise nunca é bem aceito pela população.
 
Os prefeitos que passaram os dois primeiros anos do governo Paulo Hartung enfrentando aperto com os pires vazios na mão, agora se tornam atraentes para o governador e para outras lideranças com interesse na disputa do próximo ano. Neste momento, quem ajudar mais os prefeitos pode ganhar o apoio nos municípios, o que pode ser decisivo.
 
Fragmentos:
 
1 – O senador Ricardo Ferraço (PMDB) suspendeu o calendário da Reforma Trabalhista, mas o líder da maioria da Câmara dos Deputados, Lelo Coimbra, continua tocando o barco. Nesta sexta-feira, ele está em São Roque do Canaã debatendo a importância de avançar no debate.
 
2 – O presidente da OAB-ES, Homero Mafra, repudiou o pronunciamento realizado na tarde desta quinta-feira (18) pelo presidente da República, Michel Temer, sobre as acusações de obstrução da Justiça que vem sendo imputadas a ele.
 
3 – A história de que o prefeito interino de Itapemirim, no sul do Estado, Thiago Peçanha (PSDB) seria uma continuidade do titular Luciano Paiva (Pros) não procede. Ele tem imposto sua postura à frente da prefeitura.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Lá e cá

Enquanto Rose volta a se movimentar em Brasília, Casagrande delimita território no Estado. Cada um no seu quadrado...

OPINIÃO
Gustavo Bastos
Black Block
Pensou que a poeira iria baixar, que ele estava mascarado e ninguém iria identificá-lo. Resolveu ir ao RJ...
Geraldo Hasse
Vendilhões no comando
Os governos petistas deram mole aos Mercados, mas o MDB escancara a prática do entreguismo
Roberto Junquilho
Nem tudo o que parece é!
Investigação a Ferraço, exoneração no Iema...casos podem dar dor de cabeça aos envolvidos em ano de eleição
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Admirável mundo novo
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Familiares de soldado preso fazem manifestação em frente ao comando da PM

Bancários param atividades nas agências do BB por uma hora nesta sexta-feira

Filho de Jango vem a Vitória em março e lança candidatura à Presidência

Graffiti e o não graffiti de Renato Ren

Anama expõe argumentos ineptos da ArcelorMittal para se livrar de ação na Justiça