Seculo

 

Theodorico Ferraço defende legado de Casagrande na Assembleia


12/06/2017 às 17:37
No final de maio, durante encontro regional do PSB em Cachoeiro de Itapemirim, sul do Estado, o “convidado de honra” veio de fora do partido. O deputado estadual Theodorico Ferraço (DEM) roubou a cena no encontro ao manifestar apoio ao ex-governador Renato Casagrande, projetando que o socialista é virtual candidato ao Palácio Anchieta em 2018. “Daqui pra frente, só não estarei ao lado de Casagrande se ele não quiser”, avisou. 
 
Na sessão desta segunda-feira (12) na Assembleia o deputado mostrou que o apoio não era só da boca pra fora. Desde que anunciou o apoio ao socialista, Ferraço fez a primeira intervenção em defesa do mandato do ex-governador. O deputado do DEM lembrou que o então governador do PSB conquistou importantes linhas de empréstimos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), já prevendo que esse reforço no caixa poderia compensar as perdas impostas pelo fim do Fundo de Desenvolvimento das Atividades Portuárias (Fundap). 
 
O ex-presidente da Assembleia se referia ao empréstimo de R$ 3 bilhões contraído junto ao BNDES. Ferraço justificou que alguns projetos que seriam financiados com esses recursos não chegaram a ser concluídos, porque não houve tempo, e foram transferidos para a gestão atual. O deputado criticou a gestão do governador Paulo Hartung, que teria abandonado alguns projetos do antecessor e dado prosseguimento apenas aos que lhe interessavam politicamente. 
 
Ferraço, após esclarecer que falava com propriedade porque não havia feito parte do palanque que elegeu Casagrande — do que disse se arrepender —, afirmou que as obras que foram retomadas agora só estão andando graças a esse empréstimo. 
 
A defesa de Ferraço ao legado do socialista talvez tenha sido feita pela primeira vez como sempre sonhou o ex-governador. O partido tem dois deputados na Assembleia: Freitas e Bruno Lamas. O primeiro até tem se esforçado para defender o mandato de Casagrande. Já o segundo, abre mão da defesa sempre que o assunto esbarra nos interesses do atual governo. 
 
Considerando a imprevisibilidade de Ferraço, é difícil prever qual a longevidade desse apoio, mas Casagrande ganha, ao menos por enquanto, um defensor de peso na Assembleia.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Agência Senado
Cotações

Apesar de já ter anunciado apoio a Majeski, sobem as apostas de que Max Filho poderá, mesmo, é fixar lugar no palanque de Rose

OPINIÃO
Editorial
Quem paga a conta senta na cabeceira?
O financiamento pela Arcelor de uma pesquisa da Ufes de R$ 2 milhões acende o alerta sobre a autonomia universitária e a transparência nos acordos entre academia e capital privado
Piero Ruschi
Visita à coleção zoológica de Augusto Ruschi
Visitei a coleção zoológica criada por meu pai e seu túmulo na Estação Biológica. Por um lado, bom, por outro, angústia
JR Mignone
Uma análise
Algumas emissoras, aquelas que detêm alguma ou boa audiência, dedicam-se pouco à situação do país
Geraldo Hasse
Refém do Mercado
O País está preso ao neoliberalismo do tucano Pedro Parente, presidente da BR
Roberto Junquilho
A montagem da cena
Em baixa junto aos prefeitos da Grande Vitória, Hartung dispara para o interior do Estado
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Arrogância também conta?
MAIS LIDAS

Candidatura de Lula à Presidência será lançada neste domingo em Vitória e Serra

Servidores do Ibama e ICMBio no Estado protestam contra loteamento político do órgão

O 7x1 da literatura

Quem paga a conta senta na cabeceira?

Projeto da nova sede do IPAJM é 'reavaliado' por Instituto de Obras do Estado