Seculo

 

Presidente do Comdema insiste em erro e publica resolução em desacordo com deliberações de conselheiros


04/07/2017 às 16:21
A Resolução 009/2017 do Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente de Vitória (Comdema), publicada nessa segunda-feira (3), no Diário Oficial, insiste no erro já denunciado ao Ministério Público Estadual (MPES), por meio de Notícia de Fato, com relação ao zoneamento ambiental a ser considerado na elaboração do novo Plano Diretor Urbano (PDU) da capital.

A irregularidade diz respeito à incoerência entre o que foi deliberado pelos conselheiros do Comdema e o que tem sido dito e assinado pelos gestores do colegiado com relação às áreas verdes e corpos hídricos presentes dentro da Ponta de Tubarão, onde estão instaladas as plantas industriais da Vale e da ArcelorMittal.

O encaminhamento dos conselheiros – em reunião ordinária realizada no último dia cinco de junho – foi no sentido de garantir que os citados bens ambientais continuem com as mesmas garantias legais atuais de proteção e no entendimento de que tais áreas não se encaixam em nenhuma das categorias de Zona de Proteção Ambiental (ZPA) vigentes.

A Resolução 009/2017, no entanto, apenas afirma essa impossibilidade e cita alguns dispositivos legais que devem ser atendidos visando a proteção dos remanescentes de vegetação, nascentes, córregos e lagos existentes entre os dois complexos industriais.

“Nós, conselheiros do Comdema, fizemos uma reflexão: tudo foi aprovado a toque de caixa e muito mal apresentado para os conselheiros [do Conselho Municipal do Plano Diretor Urbano, CMPDU]”, conta Eraylton Moreschi Junior, autor da Notícia de Fato protocolada no MPES.

A pressa em atender aos prazos da elaboração do PDU fez com que a resolução fosse publicada antes mesmo de formalização da ata da reunião em que o zoneamento foi deliberado. “A ata é vinculante à reunião”, adverte o conselheiro.

No mesmo dia da publicada da Resolução (3), em reunião ordinária, o presidente do Comdema e titular da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Serviços Urbanos (Semmam), Luiz Emanuel Zouain da Rocha, anunciou que irá atender às reivindicações e convocar uma reunião extraordinária para formalizar a ata da RO nº 396, de cinco de junho e retificar o texto da Resolução, de forma que todas as deliberações feitas na ocasião sejam contempladas.

A criação de uma nova categoria de ZPA, a Zona de Proteção Ambiental em Áreas Industriais (ZPA – I ), é uma das possíveis soluções para consolidar as deliberações dos conselheiros. “Todas as áreas existentes hoje no interior da Ponta de Tubarão devem ser geoprocessadas e registradas no mapa da região, passando a integrar a Resolução e a nova Lei do PDU”, propõe o ambientalista. 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
'Devoção' cega

Enquanto lideranças partidárias ecoam o ‘Volta Hartung’, o próprio lava as mãos e deixa seu exército fiel em apuros nas eleições deste ano

OPINIÃO
Erfen Santos
O Cidadão Ilustre
O filme suscita reflexões pertinentes sobre prêmios literários como o Nobel, que rejeitou grandes escritores
Geraldo Hasse
Notícias do fundo do poço
Se não ceder às pressões externas, a Petrobras pode voltar a liderar a economia
JR Mignone
A importância das eleições
Cada empresa de comunicação tem de se esmerar nas campanhas, sem partido ou cores políticas
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Além das lágrimas
MAIS LIDAS

Ministério Público investiga suspeita de cartel em licitações da Secretaria de Agricultura

Amancio, um cantador da capoeira

Vagas no Senado viram a grande disputa deste ano no Espírito Santo

A quadrilha democrática da Rua Sete

Contratação do Instituto da Mata Atlântica gera PAD contra gerente do Iema