Seculo

 

Cenário de sonhos


10/07/2017 às 12:13
Cresce nos meios políticos a aposta de que a expectativa do governador Paulo Hartung (PMDB) é mesmo disputar a reeleição em 2018. Nesse sentido, o peemedebista já entra em campo para criar o cenário dos sonhos para o processo eleitoral. Um dos principais entraves para esse projeto, porém, está dentro do PMDB. Ele tenta neutralizar Rose de Feitas, seu alvo prioritário desde que a senadora manifestou a intenção de disputar o governo.
 
Prestes a sair do partido, ele poderia deixar o caminho livre para que Rose reorganize o PMDB e consiga os apoios necessários para seu palanque. Neste sentido, Hartung estaria trabalhando em várias frentes para isolar a senadora, que tem um forte apelo municipalista.
 
Esta, aliás, foi a primeira investida de Hartung para tirar força política de Rose de Freitas. Na eleição da Associação dos Municípios do Estado (Amunes), o governador impôs uma derrota indireta à senadora, que apoiava Gilson Daniel, prefeito de Viana. O candidato palaciano, o prefeito de Linhares Guerino Zanon (PMDB), levou a melhor na disputa pelo comando da entidade. A movimentação, porém, exigiu um gasto de energia grande por parte do governador e seus emissários.
 
A aproximação com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), é outra movimentação importante para tirar a influência de Rose sobre os prefeitos. A iminente derrocada do presidente Temer fecharia as portas do Palácio do Planalto para a senadora, tirando seu principal atrativo, o de ser um atalho para os prefeitos em busca de recursos para os municípios.
 
Paralelamente, a flexibilização dos royalties para o pagamento de custeio também permite que o governador ganhe pontos com a prefeitada. O interior foi decisivo na eleição de 2014, Hartung sabe disso e quer cuidar para que seu capital se fortaleça fora da Grande Vitória.
 
Politicamente outro foco atacado é o do apoio político. A ideia é desmobilizar um bloco que se articula em torno do ex-governador Renato Casagrande (PSB), o prefeito de Vitória, Luciano Rezende (PPS) e a senadora. O esvaziamento do PV é um dos sintomas do ataque palaciano, o governador vem atacando os pontos frágeis do grupo para tirar força de um possível palanque de oposição.
 
Com a imagem arranhada, o governador precisa disputar a eleição sem grades atropelos, para evitar desgastes como o de 2014, assegurando uma reeleição tranquila com o apoio de todos, como aconteceu em 2006, quando disputou com o dócil Sérgio Vidigal (PDT).  
 
Fragmentos:
 
1 – Os vereadores da Serra estarão no bairro Vista da Serra I, dentro do projeto Câmara nos Bairros. Será nesta  segunda-feira (10), às 18 horas,  no Ginásio da EMEF Professora Alba Lilia Castelo Miguel. A Ouvidoria da Casa vai disponibilizar uma urna, para os cidadãos relatarem queixas e solicitarem melhorias para o bairro.
 
2 – O prefeito de Guarapari, Edson Magalhães (PSD), é mais um da lista de gestores pendurados na Justiça Eleitoral, ainda por denúncias de irregularidades na disputa de 2016. Ele teria recebido recursos acima do teto estipulado pela legislação.
 
3 – O prefeito de Irupi, na região do Caparaó, Carlos Henrique Storck (PSDB), condenado à perda do mandato por crime eleitoral, entrou com recurso para se manter no cargo. Ele também tenta, sem sucesso até aqui, conseguir a suspeição da juíza de primeiro grau, Graziela Rezende.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Mesmo barco

Se Majeski deixar o PSDB e decidir por uma candidatura majoritária, primeiro tucano a revoar atrás será Luiz Paulo Vellozo Lucas

OPINIÃO
Editorial
Fosso social
No Espírito Santo, população negra é mais vulnerável à violência, é maioria no sistema carcerário e nas filas de desempregados
Renata Oliveira
Só espuma
Os pretensos vices-presidentes Paulo Hartung e Magno Malta se mostram ao mercado, mas só terão seus encaixes em 2018
JR Mignone
Rádio bandeira
A trajetória deste segmento de rádio em capitais é grande
Geraldo Hasse
Os golpes se sucedem
Em plena era do GPS, a reforma trabalhista sugere multiplicar os ''chapas''
Caetano Roque
Agora é tarde
Não adianta a bancada fazer discurso a favor do trabalhador se ela votou quase à unanimidade a favor do impeachment
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Fuga do Paraíso
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Conselheiro José Antônio Pimentel vira réu em ação penal por corrupção

MPES quer fim do uso de comissionados na segurança da Assembleia

Mesmo barco

Mesa Diretora da Assembleia 'desomenageia' ex-presidente Lula

Arquivada denúncia de irregularidades na compra de software pelo IPAJM