Seculo

 

Cenário de sonhos


10/07/2017 às 12:13
Cresce nos meios políticos a aposta de que a expectativa do governador Paulo Hartung (PMDB) é mesmo disputar a reeleição em 2018. Nesse sentido, o peemedebista já entra em campo para criar o cenário dos sonhos para o processo eleitoral. Um dos principais entraves para esse projeto, porém, está dentro do PMDB. Ele tenta neutralizar Rose de Feitas, seu alvo prioritário desde que a senadora manifestou a intenção de disputar o governo.
 
Prestes a sair do partido, ele poderia deixar o caminho livre para que Rose reorganize o PMDB e consiga os apoios necessários para seu palanque. Neste sentido, Hartung estaria trabalhando em várias frentes para isolar a senadora, que tem um forte apelo municipalista.
 
Esta, aliás, foi a primeira investida de Hartung para tirar força política de Rose de Freitas. Na eleição da Associação dos Municípios do Estado (Amunes), o governador impôs uma derrota indireta à senadora, que apoiava Gilson Daniel, prefeito de Viana. O candidato palaciano, o prefeito de Linhares Guerino Zanon (PMDB), levou a melhor na disputa pelo comando da entidade. A movimentação, porém, exigiu um gasto de energia grande por parte do governador e seus emissários.
 
A aproximação com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), é outra movimentação importante para tirar a influência de Rose sobre os prefeitos. A iminente derrocada do presidente Temer fecharia as portas do Palácio do Planalto para a senadora, tirando seu principal atrativo, o de ser um atalho para os prefeitos em busca de recursos para os municípios.
 
Paralelamente, a flexibilização dos royalties para o pagamento de custeio também permite que o governador ganhe pontos com a prefeitada. O interior foi decisivo na eleição de 2014, Hartung sabe disso e quer cuidar para que seu capital se fortaleça fora da Grande Vitória.
 
Politicamente outro foco atacado é o do apoio político. A ideia é desmobilizar um bloco que se articula em torno do ex-governador Renato Casagrande (PSB), o prefeito de Vitória, Luciano Rezende (PPS) e a senadora. O esvaziamento do PV é um dos sintomas do ataque palaciano, o governador vem atacando os pontos frágeis do grupo para tirar força de um possível palanque de oposição.
 
Com a imagem arranhada, o governador precisa disputar a eleição sem grades atropelos, para evitar desgastes como o de 2014, assegurando uma reeleição tranquila com o apoio de todos, como aconteceu em 2006, quando disputou com o dócil Sérgio Vidigal (PDT).  
 
Fragmentos:
 
1 – Os vereadores da Serra estarão no bairro Vista da Serra I, dentro do projeto Câmara nos Bairros. Será nesta  segunda-feira (10), às 18 horas,  no Ginásio da EMEF Professora Alba Lilia Castelo Miguel. A Ouvidoria da Casa vai disponibilizar uma urna, para os cidadãos relatarem queixas e solicitarem melhorias para o bairro.
 
2 – O prefeito de Guarapari, Edson Magalhães (PSD), é mais um da lista de gestores pendurados na Justiça Eleitoral, ainda por denúncias de irregularidades na disputa de 2016. Ele teria recebido recursos acima do teto estipulado pela legislação.
 
3 – O prefeito de Irupi, na região do Caparaó, Carlos Henrique Storck (PSDB), condenado à perda do mandato por crime eleitoral, entrou com recurso para se manter no cargo. Ele também tenta, sem sucesso até aqui, conseguir a suspeição da juíza de primeiro grau, Graziela Rezende.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Facebook/Eliana
Território político

Inferno astral do prefeito de Linhares, Guerino Zanon, deixa o campo aberto para a deputada estadual Eliana Dadalto

OPINIÃO
Editorial
'Gestão compartilhada'
Ofensiva de Luciano Rezende contra movimento dos professores revela autoritarismo e inabilidade política
Piero Ruschi
Pets: uma questão de responsabilidade socioambiental
Felizes as pessoas que podem ter um animal de estimação! Felizes os animais de estimação que têm um dono responsável!
Gustavo Bastos
Para que Filosofia?
''é melhor existir do que o nada''
Bruno Toledo
Por que negar os Direitos Humanos?
Não há nada de novo nesse discurso verde e amarelo que toma as ruas. É a simples manutenção das bases oligárquicas do Brasil
Eliza Bartolozzi Ferreira
Políticas de retrocesso
Dados educacionais do governo Paulo Hartung são alarmantes
Roberto Junquilho
Que novo é esse?
O presidenciável do PRB, Flávio Rocha, apresenta velhas fórmulas de gestão e envolve jovens lideranças
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Para, relógio
MAIS LIDAS

Território político

Procon multa imobiliária e construtora responsáveis por condomínio em Setiba

TJES adia pela quinta vez processo de Dr. Hércules sobre dívida de campanha

Justiça realiza audiência do processo contra seminarista de Boa Esperança

Sindipol denuncia 'mentiras' do governo sobre médicos legistas