Seculo

 

Festa de fachada


12/07/2017 às 14:40
No dia 10 de junho deste ano, aconteceu uma celebração bastante peculiar no Instituto Nacional da Mata Atlântica - instituição que se apropriou de todo patrimônio do Museu Mello Leitão, em Santa Teresa, ES. Na data, por incrível que pareça, foi comemorado o aniversário de 30 anos da Sambio, a Sociedade de Amigos do Museu de Biologia Mello Leitão.
 
Uma comemoração estranha! Celebrar o aniversário de uma Sociedade que tem descumprido seus deveres estatutários e desrespeitado seus sócios e ainda disseminado informações falsas e enganado a sociedade em pedido por apoio a atos de desrespeito à história da pesquisa e conservação da Mata Atlântica e dos cidadãos capixabas e teresenses? E poucos dias depois (26 de junho), passar em branco o aniversário da própria instituição teoricamente defendida pela Sociedade em questão? Como se a Sociedade fosse mais importante que o Museu a ser defendido por ela? 
 
Sim, exatamente. A Sambio foi utilizada para destruir o Museu Mello Leitão. E a festa de seu 30o aniversário foi de fachada! 
 
Nela não se comemorou orgulho pelo Museu, pois não houve empenho para salvá-lo, nem sequer o seu nome, o qual foi abandonado de uso por diretor e pesquisadores anos antes da própria destruição do Museu em prol do Instituto recém-criado.
 
Não se comemorou a amizade com o Museu, pois não se deixa um amigo na mão em momentos de dificuldade, muito menos se ajuda terceiros a tomar-lhe os bens. 
 
Não se comemorou a ética ou a responsabilidade da Sociedade, pois seu estatuto sequer foi seguido para defender o Museu. 
 
Não se comemorou a transparência, pois esse assunto tem sido omitido mesmo sob questionamento de sócios. 
 
Não foi festa para quem defende verdadeiramente a obra de A. Ruschi. Eu mesmo não fui convidado, o que em primeiro momento me causou estranheza, já que estou acostumado a receber e-mails da Sambio e do Movimento em defesa do INMA com informações falsas a respeito do verdadeiro desmanche do Museu Mello Leitão.
 
Mas tenho certeza que dessa vez a minha exclusão não foi pessoal. Diversos outros sócios não receberam convites. Inclusive a minha própria mãe, Marilande Angeli – sócio-fundadora da Sambio, que ainda hoje, mesmo aposentada, frequenta o setor de RH do Instituto para auxiliar com a documentação de seus antigos colegas de trabalho. Essa foi a primeira vez na história que ela não participou e não organizou a comemoração do aniversário da Sambio. 
 
A essa altura o leitor deve se perguntar: qual foi a coerência dessa festa de fachada?
 
Bem, dentre os presentes destacavam-se três pessoas que não compareceram aos eventos de comemoração dos 100 anos de Augusto Ruschi: Sérgio Lucena Mendes (coordenador do MoveINMA), Arlindo Serpa Filha (presidente da Sambio) e Helio de Queiroz B. Fernandes (ex-diretor do Museu e atual diretor do INMA). 
 
Exatamente os principais representantes que mais disseminaram a falsa informação de que A. Ruschi teria criado o Instituto Nacional da Mata Atlântica. Todavia, essa lorota já começa a ser desmentida pelos próprios mentirosos. A Sambio, por exemplo, passou a afirmar em seu site que o Instituto Nacional da Mata Atlântica foi criado em 2014.
 
Essa comemoração evidencia que a Sambio vem sendo utilizada, na verdade, como amiga do INMA, apenas. Só falta agora criarem uma associação chamada Sociedade de Amigos do INMA, e essa se apropriar do patrimônio, direitos e obrigações da Sambio. “Déjà vu“!
 
O Museu Mello Leitão segue precisando de verdadeiros amigos.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
E o Homero, hein?

Defender o ex-marido da médica Milena Gottardi deve custar profundos arranhões a Homero Mafra

OPINIÃO
Editorial
Um Estado que mata suas mulheres
Crime da médica Milena Gottardi chama atenção para os casos de feminicídios, que fazem do ES um dos estados mais violentos do País para as mulheres
Piero Ruschi
ES: um inferno promissor economicamente moldado
Discursos empresariais e políticos são carregados de conotações sustentáveis, mas a verdadeira sustentabilidade não está incluída no planejamento econômico
Renata Oliveira
PSDB repete PT
A possibilidade de uma manobra no ninho tucano para eleger quem Hartung quer lembra a eleição do PT no inicio do ano
Gustavo Bastos
O Diabo é o pai do rock
Um fenômeno que envolve satanismo no rock e na música é a prática de rodar os discos ao contrário
Geraldo Hasse
A doença da intolerância
Ela está nos estádios, nos governos, nas igrejas, nos parlamentos, nas ruas, nos tribunais
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Branca, o Teatro e a sala de estar
Panorama Atual

Roberto Junquilho

Fuzis e baionetas, nunca mais!
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Turista acidental
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

PSDB repete PT

A doença da intolerância

Governo nomeia 30 auditores fiscais do concurso de 2013

E o Homero, hein?

Projeto revive o Melpômene, um dos teatros mais importantes da história capixaba