Seculo

 

Regenera Rio Doce inicia programação em Regência


12/07/2017 às 17:23
O foco é inusitado: promover o afeto como forma de regenerar emocionalmente os indivíduos, de restaurar – cultural e socialmente – suas comunidades e integrar a luta de todos os atingidos, com auxílio de pessoas e coletivos de várias regiões do país, sensibilizados com o drama do Rio Doce.

O Festival Regenera Rio Doce reunirá, de 14 a 30 de julho, em Regência, Linhares (norte do Estado), atingidos pelo crime da Samarco/Vale-BHP vindos de diversos pontos da Bacia Hidrográfica, além de coletivos de Permacultura, Artes e Comunicação de outros estados, em uma programação diversificada.

“É um evento colaborativo, feito a muitas mãos. Na verdade, é um laboratório, de experiências que estamos vivendo no dia a dia. Um espaço de diálogo para possibilitar as contribuições de muitos atores, sejam atingidos ou de outros coletivos”, explica o sociólogo Hauley Valim, surfista e atingido em Regência, e membro da Aliança Rio Doce, coletivo responsável pela organização do Festival.

A dimensão afetiva é inusitada, sim. Ao longo de quase dois anos transcorridos do maior crime socioambiental do país, a indisposição do Estado e da empresa de atender às necessidades econômicas e sanitárias básicas dos atingidos impressiona e submete comunidades inteiras a uma situação humilhante de desestruturação social.

Diante da fome, dos despejos, do desemprego, das doenças, do consumo excessivo de álcool e drogas, da violência ... soa quase supérfluo. Mas é fundamental e combate exatamente a principal estratégia utilizada pelas grandes empresas ao longo da história, que é desestruturar emocional e psicologicamente as pessoas atingidas por seus crimes socioambientais, para enfraquecer sua capacidade de luta pelos direitos.

Afeto é fundamental

“’Dividir para conquistar’. Já conhecem esse termo? É uma estratégia de guerra que todas as grandes empresas usam. Foi assim com a Manabi e está sendo assim com a Samarco. Isso é o comum: querer dividir as pessoas. Se vocês não cuidarem disso, elas vão passar por cima de vocês. Tem que estar unidos e usar suas associações como veículos de luta”, bem afirmou o procurador da República em Linhares, Paulo Henrique Camargos Trazzi, em palestra com os atingidos em Linhares em dezembro passado.

“Afeto é fundamental, é ele que impulsiona os outros processos. O afeto estabelece vínculos entre os indivíduos e indivíduos com vínculos constituem comunidades e coletivos e, assim, conseguem transformar as coisas em outra medida”, discursa o sociólogo Hauley Valim. “Conforme a gente vai se curando, vai se fortalecendo e amplia a capacidade de regeneração”, complementa.
 
A abertura do evento acontece na próxima sexta-feira (14), com o II Encontro de Cultura Ancestral de Areal, reunindo representantes dos povos indígenas Krenak (Resplendor/MG), Botocudos (Areal-Linhares/ES) e Tupiniquim e Guarani (Aracruz/ES), além dos quilombolas (Degredo-Linhares/ES) e dos catadores de caranguejo (Campo Grande-São Mateus/ES).

“Vamos pensar juntos como a tradição e a ancestralidade podem ajudar a encontrar soluções e fortalecer os laços comunitários”, antecipa Hauley Valim.

Nos dias que se seguirão, até o final de julho, muitas oficinas, vivências, práticas, apresentações e ações diversas serão realizadas, com base nos nove eixos temáticos propostos: Ancestralidade; Arte, Cultura e Celebração; Comunicação e mídias livres; Direitos humanos, mulheres e luta política; Educação e ludicidade; Inovação, pesquisa e solução; Permacultura e agroecologia; Saúde, alimentação e corpo; Tecnologias sociais, cooperativas e econômicas.

Entre os participantes confirmados, estão o jornal A Sirene – mídia especializada produzida pelos atingidos em Minas Gerais –, a Comissão dos Atingidos, pesquisadores independentes de universidades capixabas, paulistas e cariocas, permacultores, artistas, agroecologistas, movimentos sociais ...  “Não é evento grande, mas está ancorado numa diversidade”, ressalta Hauley.

Doações

O Festival ainda está recebendo doações, por meio de financiamento colaborativo, até o dia 24. “Conforme avança em captação, ampliamos a participação dos atingidos”, convoca.

Para contribuir financeiramente com o Festival, o endereço é: http://juntos.com.vc/pt/regenerariodoce

Para acessar a programação e outros detalhes do evento, acesse: http://www.regenerariodoce.org/

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Precipitou-se

Com um olho em 2018 e outro em 2020, Luciano Rezende antecipou o processo eleitoral, mas esqueceu a Lava Jato. Aí mora o problema.

OPINIÃO
Renata Oliveira
Bicho-papão
O ajuste fiscal de Paulo Hartung precisa do exemplo do Rio de Janeiro tanto para cortar quanto para supervalorizar a liberação de recursos
JR Mignone
Qual rádio ouviria hoje?
Sinceramente, não saberia explicar que tipo de rádio eu ouviria hoje, isto é, que me motivaria a ligar o botão para ouvi-la: uma de notícia ou uma só de música selecionada
Caetano Roque
Pressão neles
O movimento sindical deve conscientizar o trabalhador sobre quem estará na disputa do próximo ano contra ele
Geraldo Hasse
A doença da intolerância
Ela está nos estádios, nos governos, nas igrejas, nos parlamentos, nas ruas, nos tribunais
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Branca, o Teatro e a sala de estar
Panorama Atual

Roberto Junquilho

Fuzis e baionetas, nunca mais!
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Turista acidental
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Precipitou-se

Posse de tucano no Turismo é demonstração interna de força de Colnago

Justiça Federal determina que 14 municípios adotem ponto eletrônico para médicos e dentistas

Subseção da OAB-ES cobra esclarecimento sobre atuação de Homero Mafra na defesa de acusado

Dary Pagung vai fechar a porta para emendas de deputados no orçamento