Seculo

 

Em mais um ato do Julho de Luta, servidores denunciam descaso do governo em frente ao TJES


14/07/2017 às 18:07
Na tarde desta sexta-feira (14) os servidores públicos estaduais de sindicatos e associações reunidos pelo Fórum das Entidades dos Servidores Públicos do Estado (Fespes) fizeram mais um ato público do Julho de Luta, uma série de manifestações que denunciam as condições precárias do funcionalismo e a falta de revisão geral anual, auxílio-alimentação e reajuste.

O protesto desta sexta-feira, denominado “Arraiá da Injustiça” aconteceu em frente ao Tribunal de Justiça do Estado (TJES). Além das denúncias, houve apresentação de atrações culturais.

No ato, os servidores da saúde também denunciaram o sucateamento de hospitais que ainda estão sob a gestão da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) e foi denunciado ao Tribunal sem que nenhuma medida fosse tomada.

A ação denunciava a falta de geradores em hospitais e nenhuma ação foi tomada para repor os aparelhos e, em consequência, quatro pacientes morreram em unidades diante de quedas de energia.

No Hospital Estadual Antônio Bezerra de Farias, em Vila Velha, por exemplo, a superlotação coloca em risco os pacientes que necessitam de aparelhos de respiração artificial, visto que a sala de emergência está frequentemente superlotada e a rede de oxigênio fica sobrecarregada e caindo.

No fim do mês de junho, foi anunciado que o governo não concederia a revisão anual dos vencimentos pelo terceiro ano consecutivo.

Desta vez, a alegação para a não concessão da revisão – que é estabelecida pela Constituição Federal – foi o fechamento da Samarco e uma ligeira nova redução no valor dos royalties do petróleo. Ainda assim, o chefe de Gabinete do governo, Paulo Roberto Ferreira, assumiu, em reunião com os sindicatos que representam servidores, que o governo fechará o ano com novo superávit.

As entidades consideraram desrespeitoso o tratamento aos servidores diante de mais um ano sem a revisão.

O próximo ato público do calendário do Julho de Luta será na próxima sexta-feira (21) em frente à Secretaria de Estado de Gestão e Recursos Humanos (Seger), no Centro de Vitória.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Tabuleiro de 2018

Ele já negou intenção de deixar o PT ou mudanças de planos, mas movimentações de Givaldo continuam chamando atenção do mercado político

OPINIÃO
Editorial
Fosso social
No Espírito Santo, população negra é mais vulnerável à violência, é maioria no sistema carcerário e nas filas de desempregados
Renata Oliveira
Solidão sem fim
A oposição de Majeski na Assembleia não encontra coro entre os pares, nem no grupo arredio
JR Mignone
Rádio bandeira
A trajetória deste segmento de rádio em capitais é grande
Caetano Roque
A força da CUT
É hora de a Central assumir sua função de agregadora dos trabalhadores e das bandeiras de luta
Geraldo Hasse
Os golpes se sucedem
Em plena era do GPS, a reforma trabalhista sugere multiplicar os ''chapas''
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Fuga do Paraíso
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

'Orgânico não tem que ser caro'

Tabuleiro de 2018

Conselheiro José Antônio Pimentel vira réu em ação penal por corrupção

Eleição da nacional alimenta divisão no PSDB capixaba

Cariacica pode ter redistribuição de votos para disputa eleitoral de 2018