Seculo

 

Em mais um ato do Julho de Luta, servidores denunciam descaso do governo em frente ao TJES


14/07/2017 às 18:07
Na tarde desta sexta-feira (14) os servidores públicos estaduais de sindicatos e associações reunidos pelo Fórum das Entidades dos Servidores Públicos do Estado (Fespes) fizeram mais um ato público do Julho de Luta, uma série de manifestações que denunciam as condições precárias do funcionalismo e a falta de revisão geral anual, auxílio-alimentação e reajuste.

O protesto desta sexta-feira, denominado “Arraiá da Injustiça” aconteceu em frente ao Tribunal de Justiça do Estado (TJES). Além das denúncias, houve apresentação de atrações culturais.

No ato, os servidores da saúde também denunciaram o sucateamento de hospitais que ainda estão sob a gestão da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) e foi denunciado ao Tribunal sem que nenhuma medida fosse tomada.

A ação denunciava a falta de geradores em hospitais e nenhuma ação foi tomada para repor os aparelhos e, em consequência, quatro pacientes morreram em unidades diante de quedas de energia.

No Hospital Estadual Antônio Bezerra de Farias, em Vila Velha, por exemplo, a superlotação coloca em risco os pacientes que necessitam de aparelhos de respiração artificial, visto que a sala de emergência está frequentemente superlotada e a rede de oxigênio fica sobrecarregada e caindo.

No fim do mês de junho, foi anunciado que o governo não concederia a revisão anual dos vencimentos pelo terceiro ano consecutivo.

Desta vez, a alegação para a não concessão da revisão – que é estabelecida pela Constituição Federal – foi o fechamento da Samarco e uma ligeira nova redução no valor dos royalties do petróleo. Ainda assim, o chefe de Gabinete do governo, Paulo Roberto Ferreira, assumiu, em reunião com os sindicatos que representam servidores, que o governo fechará o ano com novo superávit.

As entidades consideraram desrespeitoso o tratamento aos servidores diante de mais um ano sem a revisão.

O próximo ato público do calendário do Julho de Luta será na próxima sexta-feira (21) em frente à Secretaria de Estado de Gestão e Recursos Humanos (Seger), no Centro de Vitória.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Facebook/Eliana
Território político

Inferno astral do prefeito de Linhares, Guerino Zanon, deixa o campo aberto para a deputada estadual Eliana Dadalto

OPINIÃO
Editorial
'Gestão compartilhada'
Ofensiva de Luciano Rezende contra movimento dos professores revela autoritarismo e inabilidade política
Piero Ruschi
Pets: uma questão de responsabilidade socioambiental
Felizes as pessoas que podem ter um animal de estimação! Felizes os animais de estimação que têm um dono responsável!
Gustavo Bastos
Para que Filosofia?
''é melhor existir do que o nada''
Bruno Toledo
Por que negar os Direitos Humanos?
Não há nada de novo nesse discurso verde e amarelo que toma as ruas. É a simples manutenção das bases oligárquicas do Brasil
Eliza Bartolozzi Ferreira
Políticas de retrocesso
Dados educacionais do governo Paulo Hartung são alarmantes
Roberto Junquilho
Que novo é esse?
O presidenciável do PRB, Flávio Rocha, apresenta velhas fórmulas de gestão e envolve jovens lideranças
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Para, relógio
MAIS LIDAS

Território político

Procon multa imobiliária e construtora responsáveis por condomínio em Setiba

TJES adia pela quinta vez processo de Dr. Hércules sobre dívida de campanha

Sindipol denuncia 'mentiras' do governo sobre médicos legistas

Justiça realiza audiência do processo contra seminarista de Boa Esperança