Seculo

 

Lideranças já se movimentam para eventual nova eleição em Fundão


15/07/2017 às 19:20

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ainda não bateu o martelo, mas a expectativa em Fundão é de que o município passe por um novo pleito para a prefeitura e as lideranças locais já se movimentam para um novo processo eleitoral, que pode não ter nenhum dos nomes que disputaram a eleição em 2016.

Anderson Pedroni (PSD), com a confirmação da impugnação da candidatura, fica fora do pleito extemporâneo. Ele vai apoiar, porém, Pretinho Nunes (PDT), que compôs a chapa em outubro passado com ele, como vice. Quem deve fazer a campanha ao lado do pedetista no palanque é a mulher de Pedroni, Alessandra, o que reforça a presença do ex-prefeito no grupo. Pedroni teve 77% dos votos na eleição de 2016 e deve usar esse capital para tentar transferir os votos para os aliados.

Adriano Ramos (PMN), que ficou em segundo lugar na disputa, não estaria, segundo interlocutores, animado com um novo pleito. Ele chegou a ser diplomado em dezembro como prefeito e tenta validar esse diploma, que foi suspenso pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), mas se não conseguir, não há certeza de que entrará na nova disputa.

Um nome novo que deve aparecer no processo extemporâneo é o de Adriano Grazziotti (Pros). O PSC deve compor a chapa com Pastor Geter na vice. Eles vão tentar ocupar o espaço na expectativa de que os votos de Pedroni sejam intransferíveis.

Quem parece ter se animado com o cargo e pode entrar na disputa para continuar à frente do município é o prefeito interino Eliazar Ferreira (PCdoB). Ele foi eleito presidente da Câmara do município no dia 1º de janeiro e assumiu o município enquanto o processo de Pedroni corria nas instâncias superiores. Embora tenham sido aliados, ele não vai receber o apoio de Pedroni, caso decida se candidatar.

Fundão pode ser a segunda cidade a ter nova eleição no Estado, após o pleito de 2016. No último dia dois de julho, os eleitores de Muqui, no sul do Estado, voltaram às urnas para uma nova eleição. O candidato mais bem votado no município, Frei Paulão (PSB), teve a candidatura impugnada pela Justiça Eleitoral. Nesse período, a cidade também ficou sob administração do presidente da Câmara, o vereador Camarão (DEM). No novo pleito, venceu Renato Prúculi (PTB)

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Precipitou-se

Com um olho em 2018 e outro em 2020, Luciano Rezende antecipou o processo eleitoral, mas esqueceu a Lava Jato. Aí mora o problema.

OPINIÃO
Renata Oliveira
Bicho-papão
O ajuste fiscal de Paulo Hartung precisa do exemplo do Rio de Janeiro tanto para cortar quanto para supervalorizar a liberação de recursos
JR Mignone
Qual rádio ouviria hoje?
Sinceramente, não saberia explicar que tipo de rádio eu ouviria hoje, isto é, que me motivaria a ligar o botão para ouvi-la: uma de notícia ou uma só de música selecionada
Caetano Roque
Pressão neles
O movimento sindical deve conscientizar o trabalhador sobre quem estará na disputa do próximo ano contra ele
Geraldo Hasse
A doença da intolerância
Ela está nos estádios, nos governos, nas igrejas, nos parlamentos, nas ruas, nos tribunais
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Branca, o Teatro e a sala de estar
Panorama Atual

Roberto Junquilho

Fuzis e baionetas, nunca mais!
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Turista acidental
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Precipitou-se

Posse de tucano no Turismo é demonstração interna de força de Colnago

Subseção da OAB-ES cobra esclarecimento sobre atuação de Homero Mafra na defesa de acusado

Justiça Federal determina que 14 municípios adotem ponto eletrônico para médicos e dentistas

Dary Pagung vai fechar a porta para emendas de deputados no orçamento