Seculo

 

Lideranças já se movimentam para eventual nova eleição em Fundão


15/07/2017 às 19:20

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ainda não bateu o martelo, mas a expectativa em Fundão é de que o município passe por um novo pleito para a prefeitura e as lideranças locais já se movimentam para um novo processo eleitoral, que pode não ter nenhum dos nomes que disputaram a eleição em 2016.

Anderson Pedroni (PSD), com a confirmação da impugnação da candidatura, fica fora do pleito extemporâneo. Ele vai apoiar, porém, Pretinho Nunes (PDT), que compôs a chapa em outubro passado com ele, como vice. Quem deve fazer a campanha ao lado do pedetista no palanque é a mulher de Pedroni, Alessandra, o que reforça a presença do ex-prefeito no grupo. Pedroni teve 77% dos votos na eleição de 2016 e deve usar esse capital para tentar transferir os votos para os aliados.

Adriano Ramos (PMN), que ficou em segundo lugar na disputa, não estaria, segundo interlocutores, animado com um novo pleito. Ele chegou a ser diplomado em dezembro como prefeito e tenta validar esse diploma, que foi suspenso pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), mas se não conseguir, não há certeza de que entrará na nova disputa.

Um nome novo que deve aparecer no processo extemporâneo é o de Adriano Grazziotti (Pros). O PSC deve compor a chapa com Pastor Geter na vice. Eles vão tentar ocupar o espaço na expectativa de que os votos de Pedroni sejam intransferíveis.

Quem parece ter se animado com o cargo e pode entrar na disputa para continuar à frente do município é o prefeito interino Eliazar Ferreira (PCdoB). Ele foi eleito presidente da Câmara do município no dia 1º de janeiro e assumiu o município enquanto o processo de Pedroni corria nas instâncias superiores. Embora tenham sido aliados, ele não vai receber o apoio de Pedroni, caso decida se candidatar.

Fundão pode ser a segunda cidade a ter nova eleição no Estado, após o pleito de 2016. No último dia dois de julho, os eleitores de Muqui, no sul do Estado, voltaram às urnas para uma nova eleição. O candidato mais bem votado no município, Frei Paulão (PSB), teve a candidatura impugnada pela Justiça Eleitoral. Nesse período, a cidade também ficou sob administração do presidente da Câmara, o vereador Camarão (DEM). No novo pleito, venceu Renato Prúculi (PTB)

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Fazendo escola

Temer em Brasília, Hartung e Luciano Rezende no Espírito Santo: retaliações a quem anda “fora da linha” nunca estiveram tão na moda como agora

OPINIÃO
Editorial
Em causa própria
Promotor Marcelo Zenkner usa cargo público para promover projeto pessoal
Piero Ruschi
Festa de fachada
Comemoração da Sambio evidencia que o Museu Mello Leitão segue precisando de verdadeiros amigos
Renata Oliveira
Pela emoção
Magno Malta sempre tem uma carta na manga para a disputa eleitoral. Mas desta vez o cenário é diferente
JR Mignone
O repórter e a polícia
A vítima não foi repórter, foi a professora
Caetano Roque
Inversão de papéis
O movimento sindical foi dar uma de direita e agora perdeu o caminho da rua
BLOGS
Blog do Phil

Phil Palma

Um homem nu.
Flânerie

Manuela Neves

Sizino, o pioneiro
Panorama Atual

Roberto Junquilho

O cinismo explícito e a esperança de fora Temer renovada
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

O tempo entre as vírgulas
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Família busca indenização por morte de jovem em unidade prisional

Grupo de Luciano tenta sufocar oposição com corte de cargos

PP classifica como 'desproporcional' críticas de vereador contra Hartung

Hartung e Casagrande seguem disputando espaço no interior

Fazendo escola