Seculo

 

O 'pacto social' goela abaixo


24/07/2017 às 17:56
Aprovada às pressas, a reforma trabalhista favorece o mundo empresarial e precariza dramaticamente a vida dos trabalhadores. As contradições entre o novo e o antigo regime vão desaguar na Justiça do Trabalho, formada por uma maioria de juízes inclinados a garantir o lado mais fraco da relação trabalho-capital. Nesse aspecto, faz sentido a declaração de um deputado antitrabalhista que disse na maior cara de pau: “Feita a reforma, agora é preciso acabar com a Justiça do Trabalho”.
 
No entanto, se a Justiça do Trabalho for desmantelada, será dado o passo final para instalar o caos na economia e em diversos setores da vida nacional. Ficará aberta a porteira para a entrada de aventureiros adeptos do capitalismo selvagem. “Nenhuma multinacional vai investir no país com base nessas reformas”, escreveu o experiente jornalista Luis Nassif, que possui grande interlocução com o mundo empresarial.
 
No entanto, é possível que Nassif se engane: a precarização das relações de trabalho interessa a muitos empresários de fora. Basta lembrar que o recente boom econômico da China foi iniciado por capitais norte-americanos e europeus que buscaram o grande país asiático para desfrutar do baixo custo de sua mão-de-obra. Passadas duas décadas, porém, os salários melhoraram na China. Estariam os aventureiros procurando novos territórios de operação? É possível que o Brasil seja a bola da vez, no aspecto trabalhista.
 
Há indícios de que o capital internacional quer fazer do Brasil uma plataforma rentável de produção global. Com a ajuda de brasileiros dispostos a servir como capachos (testas de ferro, segundo o jargão de 50 anos atrás), os EUA estão conspirando mais ou menos abertamente para reduzir o índice de conteúdo nacional de equipamentos de prospecção de petróleo, que se tornaram o filé da indústria brasileira desde a descoberta de petróleo na camada pré-sal da plataforma continental, em 2006.
 
Ao analisar as plataformas de petróleo construídas em estaleiros nacionais, os advogados do diabo alegam que o custo brasil é muito alto e a qualidade da mão-de-obra, muito baixa. Em outras palavras, querem nos fazer crer que o país não tem futuro senão como colônia. É a segunda vez que se desmantela a indústria naval brasileira.  
 
Não se sabe até onde vai essa onda reacionária, mas trata-se de um retrocesso que faz o Brasil retornar a antes de 1932, quando Getulio Vargas iniciou a regulamentação do trabalho e da previdência social.
 
A reforma das leis trabalhistas do governo Temer deixou intacta a Justiça do Trabalho, que deverá se tornar alvo de uma grande ofensiva conservadora para desfazer direitos consagrados e favorecer a implantação de novas formas de relações de trabalho, como está acontecendo com a multinacional Uber e seus motoristas.
 
Onde caberia um novo pacto social modernizador, foi imposto goela abaixo das centrais sindicais dos trabalhadores um regramento que vai favorecer a parte mais forte da relação capital-trabalho. No mínimo, o resultado será um boom de ações trabalhistas. Mas ninguém em sã consciência é capaz de imaginar até onde a reforma Temer pode levar o Brasil.
 
LEMBRETE DE OCASIÃO
 
“A reconquista dos direitos perdidos trará de volta as grandes batalhas campais dos primórdios do capitalismo.”
 
Luis Nassif, jornalista 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Só rabo preso

Se Majeski não conseguir acomodação para alçar voos mais altos em 2018, mercado já irá considerar Hartung reeleito no Estado. Assim, de mão beijada?

OPINIÃO
Piero Ruschi
Instituto Nacional Imoral da Mata Atlântica
O longo caminho até esse crime contra o patrimônio cultural foi repleto de ações tão indecorosas quanto seu indigno desfecho
Renata Oliveira
Hartung, o economista
O governador vem sendo incluído em uma casta de pensadores da economia brasileira; grupo arregimentado por Rodrigo Maia
JR Mignone
Radiamadores
Os radioamadores continuam na sua ação principal, aquela de ajudar, informar, localizar, conhecer e explorar as distâncias
Caetano Roque
Uma questão de adequação
A CUT capixaba tem que analisar onde está seu erro e como consertar a saída das ruas
BLOGS
Blog do Phil

Phil Palma

Um homem nu.
Flânerie

Manuela Neves

Sizino, o pioneiro
Panorama Atual

Roberto Junquilho

A Força Nacional e o marketing de uma falsa segurança
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

A árvore da via
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Só rabo preso

Parte dos tucanos quer Majeski como opositor de Hartung, mas PSDB não assume candidatura

Sejus rescinde contrato com empresa que forneceu comida imprópria a presos

Ministério Público arquiva inquérito contra ex-prefeito da Serra

Tribunal absolve funcionária pública acusada de acúmulo indevido de cargos