Seculo

 

'Você pode fazer tudo ouvindo rádio'


31/07/2017 às 14:56
A Gazeta fez uma matéria sobre o rádio. Talvez para “vender” mais um dos produtos da empresa, mas no fundo foi uma matéria interessante, principalmente para quem gosta desse veículo.
 
A reportagem entrevistou alguns ouvintes. Dessas entrevistas apareceram verdadeiras pérolas. Uma disse que em meio aos afazeres domésticos aumenta o volume do rádio para dar um “gás” no trabalho.
 
A matéria quer dar importância não só ao veículo em si, mas ao aparelho, que continua ativo na maioria dos lares do país, embora o streaming seja a opção da internet.
 
O melhor da reportagem foi quando uma ouvinte deu uma boa definição do rádio (veículo). “Sei que tem o spotify, mas rádio (aparelho) fica mais próximo de nós”
 
E outra boa. “A televisão nos prende, o rádio nos deixa livre. Você pode fazer tudo ouvindo rádio”, disse uma ouvinte. E é verdade.
 
Quando estive por seis anos nos Estados Unidos, consegui fazer uma análise da audiência do americano. Ele só liga o rádio no carro, assim mesmo para saber da previsão do tempo, que lá é violento.
 
Com isso, ele escuta a programação enquanto estiver ao volante. As distâncias são grandes e ele pode ouvir música, notícia e saber sobre o tempo. A indústria automobilística investe no aparelho. Conhecedores dos hábitos dos americanos, os carros já saem de fábrica com rádio.
 
O rádio, aparelho ou no veículo, ainda é o mais importante perante todos os outros concorrentes que vieram depois, até da internet. Sem modéstia!
 
PARABÓLICAS
 
Jorge Buery deixou a Gazeta, mas continua ativo. Atua em equipes de rádio ou TV cobrindo todos os esportes, como sempre fez
 
Parece que a crise atingiu também as agências de propagada. Notamos os comerciais pobres em produção. O custo deve estar bem baixo. Ainda tem a veiculação etc
 
O nosso preclaro José Carlos Correa continua escrevendo bons artigos em A Gazeta. É patrimônio do grupo Lindemberg
 
Outro dia vi João Luiz Caser na rua. Caser é remanescente do grupo que criou a então nova Tribuna e ficou até hoje. Os seus pares saíram todos.
 
MENSAGEM FINAL
 
O homem nasce com as mãos fechadas, mas agoniza com as mãos abertas, porque, ao entrar no mundo, ele deseja agarrar tudo, mas ao deixá-lo, não leva nada consigo. Talmude (livro de doutrina e jurisprudência)

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
E o Homero, hein?

Defender o ex-marido da médica Milena Gottardi deve custar profundos arranhões a Homero Mafra

OPINIÃO
Editorial
Um Estado que mata suas mulheres
Crime da médica Milena Gottardi chama atenção para os casos de feminicídios, que fazem do ES um dos estados mais violentos do País para as mulheres
Piero Ruschi
ES: um inferno promissor economicamente moldado
Discursos empresariais e políticos são carregados de conotações sustentáveis, mas a verdadeira sustentabilidade não está incluída no planejamento econômico
Renata Oliveira
PSDB repete PT
A possibilidade de uma manobra no ninho tucano para eleger quem Hartung quer lembra a eleição do PT no inicio do ano
Gustavo Bastos
O Diabo é o pai do rock
Um fenômeno que envolve satanismo no rock e na música é a prática de rodar os discos ao contrário
Geraldo Hasse
A doença da intolerância
Ela está nos estádios, nos governos, nas igrejas, nos parlamentos, nas ruas, nos tribunais
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Branca, o Teatro e a sala de estar
Panorama Atual

Roberto Junquilho

Fuzis e baionetas, nunca mais!
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Turista acidental
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

PSDB repete PT

A doença da intolerância

Governo nomeia 30 auditores fiscais do concurso de 2013

E o Homero, hein?

Projeto revive o Melpômene, um dos teatros mais importantes da história capixaba