Seculo

 

Prefeitura amplia Bike Vitória, mas melhorias em ciclovias emperram


05/08/2017 às 19:16
Bem acolhido pelos moradores, o Bike Vitória, serviço municipal de compartilhamento de bicicletas, será ampliado, ação que merecerá uma solenidade neste domingo (6), na Praia de Camburi. A boa recepção é indiscutível, seja como opção de lazer, seja como opção de transporte. Mas enquanto as “verdinhas” se espalham pela cidade, a infraestrutura cicloviária da Capital não evoluiu.
 
Nesse sentido, o projeto mais palpável é a implantação de uma ciclovia na Avenida Rio Branco, apresentado em junho de 2015. O início das obras, no entanto, foi prometido apenas para o início de 2018. Enquanto isso, a rede cicloviária de Vitória segue penando com os mesmos problemas: falta de conectividade e precária sinalização horizontal e vertical.
 
Em alguns pontos da cidade, o aumento de ciclistas está provocando uma disputa por espaço entre bicicletas e pedestres em vias compartilhadas. Uma disputa desigual: ciclistas reproduzem com pedestres a mesma lei do mais forte que os vitimam no asfalto quando disputam espaço com os carros. A cena é corriqueira na calçada compartilhada da Avenida Beira-Mar, no Centro de Vitória.
 
Desde 2012, uma série de projetos e iniciativas elevou o patamar da infraestrutura cicloviária de Vitória. Foram inauguradas a ciclovia entre a Ponte da Passagem e a Praça dos Namorados, na Praia do Canto, a ciclovia das Docas, no Centro de Vitória, e implantado o Bike Vitória.
 
O uso da bicicleta como meio de transporte se popularizou, mas sem um acompanhamento à altura de políticas públicas. 
 
Não há resposta, por exemplo, para demandas por vias exclusivas para bikes em eixos como a Avenida Maruípe – que já recebeu demarcações-protesto de ciclofaixas por ciclistas e cicloativistas, chamando a atenção justamente para o risco de se pedalar na área - ou em bairros como Jardim da Penha, para ligar a ciclovias da Avenida Fernando Ferrari à da Praia de Camburi.
 
Ou seja, mesmo com a ampliação do Bike Vitória, os ciclistas vão continuar disputando espaço com veículos nas ruas. Não à toa, das 20 estações do programa, 13 foram fixadas na orla da cidade, onde a segurança do ciclista é mais garantida, e outras três estão próximas à orla (Parque Moscoso, Tancredão e Santo Antônio).

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Só rabo preso

Se Majeski não conseguir acomodação para alçar voos mais altos em 2018, mercado já irá considerar Hartung reeleito no Estado. Assim, de mão beijada?

OPINIÃO
Piero Ruschi
Instituto Nacional Imoral da Mata Atlântica
O longo caminho até esse crime contra o patrimônio cultural foi repleto de ações tão indecorosas quanto seu indigno desfecho
Renata Oliveira
Hartung, o economista
O governador vem sendo incluído em uma casta de pensadores da economia brasileira; grupo arregimentado por Rodrigo Maia
JR Mignone
Radiamadores
Os radioamadores continuam na sua ação principal, aquela de ajudar, informar, localizar, conhecer e explorar as distâncias
Caetano Roque
Uma questão de adequação
A CUT capixaba tem que analisar onde está seu erro e como consertar a saída das ruas
BLOGS
Blog do Phil

Phil Palma

Um homem nu.
Flânerie

Manuela Neves

Sizino, o pioneiro
Panorama Atual

Roberto Junquilho

A Força Nacional e o marketing de uma falsa segurança
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

A árvore da via
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Só rabo preso

Parte dos tucanos quer Majeski como opositor de Hartung, mas PSDB não assume candidatura

Sejus rescinde contrato com empresa que forneceu comida imprópria a presos

Ministério Público arquiva inquérito contra ex-prefeito da Serra

Tribunal absolve funcionária pública acusada de acúmulo indevido de cargos