Seculo

 

Guinada à direita


05/08/2017 às 19:41
Muito tem se falado na possibilidade de o governador Paulo Hartung migrar do PMDB para o DEM, do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (RJ). A vitória de Michel Temer, com o arquivamento da denúncia contra o peemedebista, pode até colocar essa movimentação em risco, mas se as negociações avançarem, ele deve se filiar à sigla e levar aliados. Mas, como ficaria isso para a  história política do governador Paulo Hartung?
 
Nada contra o DEM, muito pelo contrário, é um partido que já faz parte da história política do Brasil, mas o perfil do governador Paulo Hartung combina com o DEM? Estaria mesmo disposto a essa guinada à direita, ou melhor, a admiti-la?
 
O Democratas é oriundo da Frente Liberal (PFL), que por sua vez foi uma dissidência do antigo Partido Democrático Social (PDS), sucessor da Aliança Renovadora Nacional e herdeiro ideológico da antiga União Democrática Nacional (UDN). A postura do partido, via de regra, é conservadora e radical de direita. 
 
Já o governador Paulo Hartung se orgulha em dizer que foi o primeiro presidente do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e de ter participado, no final da década de 1970, da reestruturação da União Nacional dos Estudantes (UNE). Como deputado estadual participou da elaboração da Constituinte Estadual. Partidariamente, Hartung passou por várias siglas, mas nunca chegou tão perto da direita. 
 
Começou no PMDB, migrou para o PSDB, em 1988, depois para o PPS, em 1999, disputou o governo pelo PSB, partido ao qual se filiou em 2001, e retornou ao PMDB, em 2005. Ainda no ano passado, Hartung em entrevista, afirmou que sua linha ideológica atual seria a Social Democracia, defendida no Brasil pelo PSDB, mas não conseguiu retornar ao ninho tucano, como pretendia e hoje estaria se aproximando do DEM. 
 
É verdade também que Hartung já chegou a declarar que se pudesse não teria partido, mas assumir uma filiação no DEM cobraria do governador uma mudança dura de posição diante de seu eleitorado. Se bem que, embora pregue sempre um discurso social, sua política é cada vez mais liberal.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Cara e crachá

Uns publicaram vídeos e notas nas redes sociais, outros só notas, outros nada. Mas a CPI da Lava Jato continua na conta dos deputados arrependidos

OPINIÃO
Editorial
A Ponte da Discórdia
Terceira Ponte entra novamente no centro dos debates políticos em ano eleitoral. Enquanto isso, a Rodosol continua rindo à toa...
Piero Ruschi
O Governo do ES e seu amor antigo ao desamparo ambiental
Mais um ''Dia Mundial do Meio Ambiente'' se passou. Foi um dia de ''comemoração'' (política)
Gustavo Bastos
Conto surrealista
''virei pasta para entrar mais fácil na pintura de Dalí''
Bruno Toledo
Estado sem PIEDADE!
As tragédias que se sucedem no Morro da Piedade sintetizam as contradições mais evidentes e brutais do modelo de sociedade e de Estado que estamos mergulhados
Geraldo Hasse
Mundo velho sem catraca
Cinquenta anos depois, é possível fazer um curso técnico por correspondência via internet
Roberto Junquilho
Hartung, o suspense
O governador Paulo Hartung mantém o suspense e pode até não disputar a reeleição em 2018
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Entre a salada e o vinho
MAIS LIDAS

‘Lutava contra um sistema podre e falido com os braços amarrados. Agora estou livre’

Visita de interlocutores de Hartung a Rodrigo Maia sinaliza mudança de cenário

Juiz Leopoldo mais próximo de ir a Júri Popular por assassinato de Alexandre Martins

Hartung, o suspense

Agenda Cultural: festa do Caboclo Bernardo em Linhares