Seculo

 

Governo cancela prova para graduação de cabos da PM em cima da hora


07/08/2017 às 17:23
O cancelamento da Prova de Conhecimento Intelecto-Profissional (PCIP), para o quadro de acesso à graduação de cabos da Polícia Militar – que deveria ter sido realizada neste domingo (6) – repercutiu na sessão extraordinária da Assembleia Legislativa desta segunda-feira (7). A prova foi cancelada apenas três dias antes da realização, a despeito da preparação que os policiais vinham fazendo para melhorar a graduação na carreira.

O deputado estadual Sérgio Majeski (PSDB) lembrou que os policiais estavam preparados para fazer a prova e davam como certa a realização do exame que permitiria uma evolução na graduação desses profissionais.

O parlamentar também lembrou que, quando o Estado age desta forma, a segurança pública não ganha com a atitude, porque a realização da prova não se trata de um privilégio, mas de um direito adquirido pelos policiais militares, que têm a possibilidade de acesso a uma nova graduação, com novo patamar da carreira. “Quero registrar aqui minha indignação com o que foi feito mais uma vez e claramente no sentido de vingar-se da PM por aquilo que ocorreu em fevereiro”, disse Majeski, se referindo à paralisação do policiamento em fevereiro deste ano por 22 dias, em virtude do protesto de familiares dos policiais militares.

De acordo com o presidente da Associação de Cabos e Soldados do Estado (ACS/PMBM-ES), sargento Renato Martins Conceição, por mais que o governo afirmar que são medidas de reestruturação, não há mais como esconder o viés punitivo das ações. “Essa mudança afetou principalmente os policiais mais novos, esses tidos por muitos como os maiores responsáveis pela paralisação”, conta ele.

No entanto, o sargento aponta que a maior razão dos eventos de fevereiro foi a falta de diálogo e de valorização dos policiais militares, não a ação dos profissionais ou dos familiares.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
'Devoção' cega

Enquanto lideranças partidárias ecoam o ‘Volta Hartung’, o próprio lava as mãos e deixa seu exército fiel em apuros nas eleições deste ano

OPINIÃO
Erfen Santos
O Cidadão Ilustre
O filme suscita reflexões pertinentes sobre prêmios literários como o Nobel, que rejeitou grandes escritores
Geraldo Hasse
Notícias do fundo do poço
Se não ceder às pressões externas, a Petrobras pode voltar a liderar a economia
JR Mignone
A importância das eleições
Cada empresa de comunicação tem de se esmerar nas campanhas, sem partido ou cores políticas
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Além das lágrimas
MAIS LIDAS

Ministério Público investiga suspeita de cartel em licitações da Secretaria de Agricultura

Amancio, um cantador da capoeira

Vagas no Senado viram a grande disputa deste ano no Espírito Santo

A quadrilha democrática da Rua Sete

Contratação do Instituto da Mata Atlântica gera PAD contra gerente do Iema