Seculo

 

Governo cancela prova para graduação de cabos da PM em cima da hora


07/08/2017 às 17:23
O cancelamento da Prova de Conhecimento Intelecto-Profissional (PCIP), para o quadro de acesso à graduação de cabos da Polícia Militar – que deveria ter sido realizada neste domingo (6) – repercutiu na sessão extraordinária da Assembleia Legislativa desta segunda-feira (7). A prova foi cancelada apenas três dias antes da realização, a despeito da preparação que os policiais vinham fazendo para melhorar a graduação na carreira.

O deputado estadual Sérgio Majeski (PSDB) lembrou que os policiais estavam preparados para fazer a prova e davam como certa a realização do exame que permitiria uma evolução na graduação desses profissionais.

O parlamentar também lembrou que, quando o Estado age desta forma, a segurança pública não ganha com a atitude, porque a realização da prova não se trata de um privilégio, mas de um direito adquirido pelos policiais militares, que têm a possibilidade de acesso a uma nova graduação, com novo patamar da carreira. “Quero registrar aqui minha indignação com o que foi feito mais uma vez e claramente no sentido de vingar-se da PM por aquilo que ocorreu em fevereiro”, disse Majeski, se referindo à paralisação do policiamento em fevereiro deste ano por 22 dias, em virtude do protesto de familiares dos policiais militares.

De acordo com o presidente da Associação de Cabos e Soldados do Estado (ACS/PMBM-ES), sargento Renato Martins Conceição, por mais que o governo afirmar que são medidas de reestruturação, não há mais como esconder o viés punitivo das ações. “Essa mudança afetou principalmente os policiais mais novos, esses tidos por muitos como os maiores responsáveis pela paralisação”, conta ele.

No entanto, o sargento aponta que a maior razão dos eventos de fevereiro foi a falta de diálogo e de valorização dos policiais militares, não a ação dos profissionais ou dos familiares.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Equilibrista

Reestruturação de Luciano Rezende joga luz, mais uma vez, na delimitação de espaços de aliados da linha de frente, Gandini e Sérgio de Sá

OPINIÃO
Editorial
Morta-viva
Enfim, cumpre-se o destino óbvio no País das relações promíscuas: a Samarco/Vale-BHP tem as primeiras licenças ambientais para voltar a operar
Piero Ruschi
Carta de aniversário ao papai
‘Venho lhe desejar um feliz aniversário de 102 anos, o mais feliz possível, diante de todas mazelas que atormentam o Museu que o senhor criou e o meio ambiente que tanto defendeu
Gustavo Bastos
Destino e acaso
''Quanto ao cético do acaso, ele chama destino de delírio e acaso de nada''
Roberto Junquilho
A política e os poker face
Transferência de atribuições de César Colnago deixa o terreno limpo para movimentações de 2018
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Quem quer dinheiro?
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Destino e acaso

A política e os poker face

Deputados querem explicações do secretário de Meio Ambiente sobre licenças à ETE da Vale

Equilibrista

Governo reduz atribuições de Colnago e cria sistema de políticas sobre drogas