Seculo

 

Alunos de curso da Sedu relatam a deputado dificuldade de acesso a emprego


08/08/2017 às 14:23
Estudantes do curso técnico em Serviços Jurídicos, oferecido pela Secretaria de Estado da Educação (Sedu), procuraram o deputado estadual Sergio Majeski (PSDB) para relatar as dificuldades em conseguir posicionamento no mercado de trabalho, mesmo depois de concluírem o curso técnico.

Ao deputado, os alunos relataram que não conseguem nem estágio nem emprego, já que as instituições, escritórios e empresas desconhecem a existência do curso. Para o deputado, além de criar os cursos técnicos, o Estado deveria divulgar a importância deles para o mercado e criar programas e parcerias, inclusive com as instituições e secretarias do próprio Estado para o encaminhamento dos alunos para estágios e empregos, do contrário, a criação destes cursos se torna inócua.

Os cursos técnicos e tecnólogos de Serviços Jurídicos já chegaram a ser questionados pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Em 12 de abril deste ano, a OAB emitiu uma nota repudiando a decisão do Conselho Nacional de Educação (CNE) em concordar com a manutenção destes cursos técnicos.

A entidade aponta que o aval para estes cursos pode criar uma classe indefinida de profissionais e atrapalhar a vida de bacharéis em Direito, formados por universidades autorizadas pelo Ministério da Educação (MEC) que encontram dificuldades de colocação profissional.

De acordo com a nota, “é preciso garantir a qualidade da formação dos bacharéis em direito. Os cursos técnicos e tecnólogos não são habilitados a formar bacharéis em direito, como já ficou claro em tentativas anteriores de autorizar esse tipo de curso”.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Equilibrista

Reestruturação de Luciano Rezende joga luz, mais uma vez, na delimitação de espaços de aliados da linha de frente, Gandini e Sérgio de Sá

OPINIÃO
Editorial
Morta-viva
Enfim, cumpre-se o destino óbvio no País das relações promíscuas: a Samarco/Vale-BHP tem as primeiras licenças ambientais para voltar a operar
Piero Ruschi
Carta de aniversário ao papai
‘Venho lhe desejar um feliz aniversário de 102 anos, o mais feliz possível, diante de todas mazelas que atormentam o Museu que o senhor criou e o meio ambiente que tanto defendeu
Gustavo Bastos
Destino e acaso
''Quanto ao cético do acaso, ele chama destino de delírio e acaso de nada''
Roberto Junquilho
A política e os poker face
Transferência de atribuições de César Colnago deixa o terreno limpo para movimentações de 2018
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Quem quer dinheiro?
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Destino e acaso

A política e os poker face

Deputados querem explicações do secretário de Meio Ambiente sobre licenças à ETE da Vale

Equilibrista

Governo reduz atribuições de Colnago e cria sistema de políticas sobre drogas