Seculo

 

Serra: marcada reintegração de posse contra Ocupação Bela Vista


12/08/2017 às 18:05
Uma ação de reintegração de posse está marcada a próxima terça-feira (15) contra a Ocupação Bela Vista, em Nova Almeida, na Serra. O terreno, localizado às margens da rodovia ES-010, abriga cerca de 350 famílias, formada na maioria por homens e mulheres desempregados, sem condições de pagar aluguel. “É muita angústia e tristeza. A gente não sabe ode colocar essas famílias, que não têm para onde ir”, diz a ocupante Marluce Abade.
 
O terreno, amplo e abandonado de propriedade particular, cumpria uma função que tantos terrenos igualmente amplos e abandonados cumprem na Grande Vitória: nenhuma. A área, explica Marluce, servia apenas para descarte de lixo quando cerca de 54  famílias chegaram ao local em fevereiro deste ano. Mas o loteamento realizado pela ocupação implantou áreas de escola, centro comunitário e lazer no terreno. Famílias cultivam horta na terra.
 
Após fevereiro, a ocupação amargou uma primeira ação de reintegração de posse em maio. As famílias, no entanto, voltaram ao local no mesmo mês. “É uma injustiça a terra ficar parada, enquanto tem tanta gente sem moradia. E aqui temos cadeirantes e crianças e adultos especiais”, diz Marluce. 
 
Ela mora em Jacaraípe com quatro filhos e paga R$ 750 de aluguel. Trabalhava como assistente de educação infantil numa escola particular em Vitória. Mas está desempregada há dois anos. Hoje ela e os filhos vivem para honrar o aluguel. A ocupação virou uma chance de melhorar a vida. 
 
A Prefeitura da Serra, conta a ocupante, não deu apoio para as famílias. “A gente não teve apoio nenhum. Em uma reunião com a Polícia Militar para discutir a reintegração, a prefeitura não ofereceu nada para a gente”, diz. A indiferença da gestão Audifax Barcelos (PSB) se repetiu nesta sexta-feira (11), quando houve nova reunião com representantes do poder municipal. “Ele disse que ia ver o que poderia fazer”, afirma Marluce.
 
É a segunda reintegração de posse contra movimentos de luta por moradia em menos de um mês na Grande Vitória. Uma ação foi executada em 23 de julho contra 150 famílias da Ocupação Chico Prego no antigo Instituto de Aposentadorias e Pensões dos Industriários (IAPI), no Centro de Vitória.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Cara e crachá

Uns publicaram vídeos e notas nas redes sociais, outros só notas, outros nada. Mas a CPI da Lava Jato continua na conta dos deputados arrependidos

OPINIÃO
Editorial
A Ponte da Discórdia
Terceira Ponte entra novamente no centro dos debates políticos em ano eleitoral. Enquanto isso, a Rodosol continua rindo à toa...
Piero Ruschi
O Governo do ES e seu amor antigo ao desamparo ambiental
Mais um ''Dia Mundial do Meio Ambiente'' se passou. Foi um dia de ''comemoração'' (política)
Gustavo Bastos
Conto surrealista
''virei pasta para entrar mais fácil na pintura de Dalí''
Bruno Toledo
Estado sem PIEDADE!
As tragédias que se sucedem no Morro da Piedade sintetizam as contradições mais evidentes e brutais do modelo de sociedade e de Estado que estamos mergulhados
Geraldo Hasse
Mundo velho sem catraca
Cinquenta anos depois, é possível fazer um curso técnico por correspondência via internet
Roberto Junquilho
Hartung, o suspense
O governador Paulo Hartung mantém o suspense e pode até não disputar a reeleição em 2018
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Entre a salada e o vinho
MAIS LIDAS

‘Lutava contra um sistema podre e falido com os braços amarrados. Agora estou livre’

Visita de interlocutores de Hartung a Rodrigo Maia sinaliza mudança de cenário

Juiz Leopoldo mais próximo de ir a Júri Popular por assassinato de Alexandre Martins

Hartung, o suspense

Agenda Cultural: festa do Caboclo Bernardo em Linhares