Seculo

 

Uma questão de adequação


15/08/2017 às 13:36
Este ano duas eleições do cenário sindical servem de parâmetro para observar o comportamento da Central Única dos Trabalhadores. De um lado os metalúrgicos fizeram uma eleição de chapa única, sem disputa e sem polêmicas. Do outro temos a eleição do Sindicato dos Comerciários que acabou judicializada. 
 
Cabe agora a CUT fazer a avaliação, a primeira não teve disputa porque a chapa manobrou bem? A outra eleição foi complicada porque o grupo manobrou mal? E como fica o papel dos trabalhadores das categorias nesse contexto? Os interesses do trabalhador, nas duas questões estão sendo contemplados?
 
Os metalúrgicos têm um desafio e tanto pela frente. O presidente do sindicato agora é funcionário da Samarco. A empresa responsável pelo crime ambiental em Mariana, que atingiu todo o rio Doce, agora tenta voltar ao funcionamento, enquanto tenta manobrar para não pagar por seus crimes. 
 
Caberá agora ao sindicato se posicionar. Não dá para colocar o galho dentro. Se o presidente atua apenas como sindicalista, defendendo emprego, vai deixar de lado sua função também social, esquecendo que a empresa é criminosa. Vai pagar esse preço? 
 
A responsabilidade do sindicato agora é brutal. A empresa não vem cumprindo os acordos trabalhistas e precisa ser enquadrada. Até porque as conquistas que estão lá são bem anteriores à atual crise e o fato de estar em crise não dá direito à empresa de fazer o que quiser. 
 
De uma forma geral, a CUT precisa avaliar qual o seu papel nas disputas sindicais, precisa encontrar uma forma de garantir a democracia. Uma dessas formas seria criar um estatuto padrão, mas também é preciso fiscalizar e impedir as manobras. É hora de depurar o movimento sindical e as eleições é uma excelente oportunidade para corrigir os desvios da função sindical.
 
É hora da mudança!

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Lá e cá

Enquanto Rose volta a se movimentar em Brasília, Casagrande delimita território no Estado. Cada um no seu quadrado...

OPINIÃO
Gustavo Bastos
Black Block
Pensou que a poeira iria baixar, que ele estava mascarado e ninguém iria identificá-lo. Resolveu ir ao RJ...
Geraldo Hasse
Vendilhões no comando
Os governos petistas deram mole aos Mercados, mas o MDB escancara a prática do entreguismo
Roberto Junquilho
Nem tudo o que parece é!
Investigação a Ferraço, exoneração no Iema...casos podem dar dor de cabeça aos envolvidos em ano de eleição
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Admirável mundo novo
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Familiares de soldado preso fazem manifestação em frente ao comando da PM

Bancários param atividades nas agências do BB por uma hora nesta sexta-feira

Filho de Jango vem a Vitória em março e lança candidatura à Presidência

Graffiti e o não graffiti de Renato Ren

Anama expõe argumentos ineptos da ArcelorMittal para se livrar de ação na Justiça