Seculo

 

Poluição sonora da ArcelorMittal é investigada pelo Ministério Público


25/08/2017 às 16:49
“Eu não me conformo!”. Contrariando a letargia comum aos vizinhos, que duvidam da efetividade de qualquer denúncia formal contra a poderosa produtora de aço ArcelorMittal, localizada nas redondezas, a auxiliar administrativo Eliane de Souza Moulin, moradora de Bela Aurora, em Cariacica, vem lutando desde maio de 2016 para resolver o problema de poluição sonora que perturba o sono dos moradores e, segundo os mesmos, só tem se agravado desde então.

“A minha filha não consegue dormir. E todo mundo aqui conta que acorda assustado várias vezes à noite por causa dos barulhos”, reclama, enfatizando que o problema atinge também os bairros Sotelândia e Boa Sorte. “As pessoas falam que ‘não adianta’, ‘a gente tem que se conformar, a empresa é muito grande’. Mas eu não me conformo”, repete Eliane.

O barulho começou a incomodar em abril de 2016, quando a auxiliar administrativo entrou em contato direto com a ArcelorMittal Cariacica. “Mas vi logo que não ia dar em nada, então comecei a denunciar aos órgãos”, conta.

No mês seguinte, Eliane acionou o Disque Silêncio municipal, o Instituto Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema) e o Ministério Público Federal (MPF), o qual direcionou o caso para o Estadual (MPES). 

As medições de ruídos foram feitas e uma primeira reunião aconteceu no Iema, junto com o promotor de justiça Luís Renato de Azevedo da Silveira, onde a indignada cidadã teve a confirmação técnica da ilegalidade dos ruídos vindos da fábrica.

“O técnico disse que estava acima do permitido e que eles levariam algum tempo pra descobrir a origem do problema, para então resolver. Foi só com a intimação do Iema que a empresa começou a fazer alguma coisa”, relata.

A partir daí, uma série de ofícios, estudos, prazos, novos prazos, cronogramas e reuniões se sucederam. A Prefeitura de Cariacica também foi acionada, para informar o limite de ruídos na região, porém, afirmou que só terá essa definição após a conclusão do Plano Diretor Municipal (PDM), prevista para dezembro próximo.

Até mesmo uma intervenção foi feita, a partir das indicações dos estudos feitos pela empresa Grow, contratada pela siderúrgica: a instalação de telhas termoacústicas para o fechamento lateral do galpão da Aciaria. Porém, a sensação de ruído, ao invés de diminuir, aumentou, na opinião dos moradores. “Só piorou”, afirma a denunciante.

No dia 10 de agosto último, um parecer técnico do Iema, assinado pelo servidor Alex Barcellos Vieira, defendeu a aplicação de duas multas, com base na Lei Estadual 7058/2002, totalizando R$ 103,5 mil.

Em seu parecer, o técnico conclui que “as operações da empresa ArcelorMittal Cariacica impactam significativamente nos níveis de ruído para a região onde está instalada, principalmente durante o período noturno e quando da operação da Aciaria, sendo assim medidas mitigadoras devem ser adotadas a fim de minimizar o impacto deste aspecto ambiental e adequá-lo aos níveis de critério de aceitação da legislação vigente”.

As multas, porém, ainda não foram aplicadas pela diretoria do órgão. “Meu medo é que Andreia Carvalho [diretora-presidenta do Iema] não multe a empresa”, confessa a moradora.

O último prazo determinado pelo MPES para solução do problema venceu no dia 15 de agosto, o que motivou o promotor a agendar uma oitiva com o Iema e a ArcelorMIttal para o próximo dia 19 de setembro, a fim de forçar uma conclusão favorável às necessidades da população.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

Deu zebra

Já está na hora de passar o governador Paulo Hartung a limpo...

OPINIÃO
Editorial
Mais uma porta na cara
O racismo institucional do Palácio Anchieta ficou ainda mais claro com a presença do jornalista Willian Waack, demitido da Rede Globo por comentários racistas
Bruno Toledo
Estado sem PIEDADE!
As tragédias que se sucedem no Morro da Piedade sintetizam as contradições mais evidentes e brutais do modelo de sociedade e de Estado que estamos mergulhados
Erfen Santos
O Cidadão Ilustre
O filme suscita reflexões pertinentes sobre prêmios literários como o Nobel, que rejeitou grandes escritores
Geraldo Hasse
Notícias do fundo do poço
Se não ceder às pressões externas, a Petrobras pode voltar a liderar a economia
JR Mignone
A importância das eleições
Cada empresa de comunicação tem de se esmerar nas campanhas, sem partido ou cores políticas
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Além das lágrimas
MAIS LIDAS

Enivaldo diverge de Neucimar e expõe risco de racha na base governista

Corregedoria da Prefeitura de Vitória é acionada para investigar perda de recursos de compensação ambiental

Fase Escelsa e Rádio Capixaba de Hugo Borges

Chapa de deputados estaduais do PCdoB se arma para fortalecer Givaldo Vieira

A importância das eleições