Seculo

 

Poluição sonora da ArcelorMittal é investigada pelo Ministério Público


25/08/2017 às 16:49
“Eu não me conformo!”. Contrariando a letargia comum aos vizinhos, que duvidam da efetividade de qualquer denúncia formal contra a poderosa produtora de aço ArcelorMittal, localizada nas redondezas, a auxiliar administrativo Eliane de Souza Moulin, moradora de Bela Aurora, em Cariacica, vem lutando desde maio de 2016 para resolver o problema de poluição sonora que perturba o sono dos moradores e, segundo os mesmos, só tem se agravado desde então.

“A minha filha não consegue dormir. E todo mundo aqui conta que acorda assustado várias vezes à noite por causa dos barulhos”, reclama, enfatizando que o problema atinge também os bairros Sotelândia e Boa Sorte. “As pessoas falam que ‘não adianta’, ‘a gente tem que se conformar, a empresa é muito grande’. Mas eu não me conformo”, repete Eliane.

O barulho começou a incomodar em abril de 2016, quando a auxiliar administrativo entrou em contato direto com a ArcelorMittal Cariacica. “Mas vi logo que não ia dar em nada, então comecei a denunciar aos órgãos”, conta.

No mês seguinte, Eliane acionou o Disque Silêncio municipal, o Instituto Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema) e o Ministério Público Federal (MPF), o qual direcionou o caso para o Estadual (MPES). 

As medições de ruídos foram feitas e uma primeira reunião aconteceu no Iema, junto com o promotor de justiça Luís Renato de Azevedo da Silveira, onde a indignada cidadã teve a confirmação técnica da ilegalidade dos ruídos vindos da fábrica.

“O técnico disse que estava acima do permitido e que eles levariam algum tempo pra descobrir a origem do problema, para então resolver. Foi só com a intimação do Iema que a empresa começou a fazer alguma coisa”, relata.

A partir daí, uma série de ofícios, estudos, prazos, novos prazos, cronogramas e reuniões se sucederam. A Prefeitura de Cariacica também foi acionada, para informar o limite de ruídos na região, porém, afirmou que só terá essa definição após a conclusão do Plano Diretor Municipal (PDM), prevista para dezembro próximo.

Até mesmo uma intervenção foi feita, a partir das indicações dos estudos feitos pela empresa Grow, contratada pela siderúrgica: a instalação de telhas termoacústicas para o fechamento lateral do galpão da Aciaria. Porém, a sensação de ruído, ao invés de diminuir, aumentou, na opinião dos moradores. “Só piorou”, afirma a denunciante.

No dia 10 de agosto último, um parecer técnico do Iema, assinado pelo servidor Alex Barcellos Vieira, defendeu a aplicação de duas multas, com base na Lei Estadual 7058/2002, totalizando R$ 103,5 mil.

Em seu parecer, o técnico conclui que “as operações da empresa ArcelorMittal Cariacica impactam significativamente nos níveis de ruído para a região onde está instalada, principalmente durante o período noturno e quando da operação da Aciaria, sendo assim medidas mitigadoras devem ser adotadas a fim de minimizar o impacto deste aspecto ambiental e adequá-lo aos níveis de critério de aceitação da legislação vigente”.

As multas, porém, ainda não foram aplicadas pela diretoria do órgão. “Meu medo é que Andreia Carvalho [diretora-presidenta do Iema] não multe a empresa”, confessa a moradora.

O último prazo determinado pelo MPES para solução do problema venceu no dia 15 de agosto, o que motivou o promotor a agendar uma oitiva com o Iema e a ArcelorMIttal para o próximo dia 19 de setembro, a fim de forçar uma conclusão favorável às necessidades da população.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
'Tapa na cara'

Na semana do Dia do Professor, os homenageados da Assembleia: Hartung, Haroldo Rocha e a vitrine Escola Viva. É mole ou quer mais?

OPINIÃO
Editorial
Ajuste fiscal, a 'isca' do negócio
Hartung tem feito publicidade nacional para mostrar que o ES é o novo paraíso para investidores. Esconde, porém, os problemas internos, que não são poucos
Renata Oliveira
Hartung fica?
O tempo passa e nada de Hartung deixar o PMDB. Já tem gente apostando que ele não sai do partido
JR Mignone
Meio a meio
Seria esta a solução para ter uma programação de rádio com a participação de emissora de fora?
Geraldo Hasse
Está começando o ano 2018
Tudo indica que o único evento positivo do próximo ano será a Copa do Mundo
Caetano Roque
Sindicalismo unilateral
O processo de debate no movimento sindical deve ser participativo, mas não é isso que vem acontecendo no país
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Panorama Atual

Roberto Junquilho

Este blog fica por aqui
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Algo de novo no ar
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

'Tapa na cara'

Está começando o ano 2018

Ricardo Ferraço tenta construir imagem de ficha limpa e prega tolerância zero à corrupção

Mais veneno para o Espírito Santo

Ajuste fiscal, a 'isca' do negócio