Seculo

 

Culpa da crise


29/08/2017 às 10:24
A cada momento que passa a gente sente que a crise no país foi causada pela falta de informação e formação política da sociedade. Fica cada vez mais claro que a responsabilidade é do movimento sindical, que é quem tem estrutura, condições e que recebeu do governo os recursos para isso. 
 
O movimento social e dos bairros aderiu aos prefeitos, entregando as associações de moradores às gestões municipais e aos movimentos políticos dos agentes locais. Isso também diminuiu a possibilidade de ação vinda da sociedade, de organização política e conscientização de classe social. 
 
Com a omissão ou cooptação desses dois que teriam as condições para a aglutinação da sociedade, sobrou para o Movimento Sem Terra (MST) e o Movimento Sem Teto (MTST) a tarefa de lutar contra o gigante do capitalismo que se infiltrou no campo político e tem mantido a posição, contra tudo e contra todos. 
 
Isso torna a luta enfraquecida. Resguardando-se todos os méritos dos dois movimentos, são grupos de choque, de volume e luta na rua ou no campo. Não tem recursos, nem a estrutura que o movimento sindical tem. Faltou ao movimento sindical entender essa realidade e buscar a movimentação para que a luta pudesse ser organizada.
 
Fica a impressão de que o movimento sindical não importa com isso, pois assiste a tudo de braços cruzados. Todas as ações geradas no Congresso Nacional, pós-golpe, não se viu nenhuma movimentação de luta permanente contra as perdas de garantias da classe trabalhadora e das ações de manutenção do golpe. 
 
As direções sindicais, envolvidas apenas com suas eleições internas e brigas de grupo pela manutenção de poder à frente das entidades, não se dão conta de em breve isso tudo será inócuo. Estamos vivendo em uma séria crise de governo, que está ponto em risco a democracia e tudo que foi conquistado com ela. Enquanto, o movimento se prende nos anéis, o trabalhador já vem perdendo os dedos. 
 
Acorda, sindicato!

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Tabuleiro de 2018

Ele já negou intenção de deixar o PT ou mudanças de planos, mas movimentações de Givaldo continuam chamando atenção do mercado político

OPINIÃO
Editorial
Fosso social
No Espírito Santo, população negra é mais vulnerável à violência, é maioria no sistema carcerário e nas filas de desempregados
Renata Oliveira
Solidão sem fim
A oposição de Majeski na Assembleia não encontra coro entre os pares, nem no grupo arredio
JR Mignone
Rádio bandeira
A trajetória deste segmento de rádio em capitais é grande
Geraldo Hasse
Os golpes se sucedem
Em plena era do GPS, a reforma trabalhista sugere multiplicar os ''chapas''
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Fuga do Paraíso
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

'Orgânico não tem que ser caro'

Seminário debate formas de erradicar o trabalho infantil

Tabuleiro de 2018

Eleição da nacional alimenta divisão no PSDB capixaba

Cariacica pode ter redistribuição de votos para disputa eleitoral de 2018