Seculo

 

Áreas de risco deverão ser delimitadas e sinalizadas


05/09/2017 às 16:05
A Câmara de Vila Velha aprovou projeto de lei que obriga o Poder Executivo a executar obras de delimitação e sinalização das Áreas de Risco Ambiental no município. A matéria foi votada em segunda discussão e já seguiu para sanção do prefeito Max Filho (PSDB). Segundo o projeto, são áreas de risco os locais que podem sofrer acidentes de grande proporção, que comprometa a população ou o ecossistema.
 
A autoria da matéria é de Patrícia Crizanto (PMB), vereadora com reduto eleitoral em Morro da Boa Vista, localidade da região de São Torquato que escapou por milagre de uma grande tragédia em janeiro de 2016. O rolamento de uma rocha gigante destruiu diversas casas, deixando cerca de mil pessoas desabrigados ou desalojados. Ninguém morreu.
 
Segundo o projeto, o Executivo deverá analisar e declarar os locais considerados áreas de risco. Comunidades organizadas, organizações não governamentais e a Defesa Civil poderão sugerir delimitação das áreas. 
 
Os locais deverão dispor de sinalização instalada no quilômetro anterior e posterior de sua extensão, as obras para minimizar os riscos de acidentes ambientais (amuradas de contenção, iluminação noturna, entre outros) e placas identificando o local, o perigo ambiental em potencial e a orientação do procedimento para avisar as autoridades responsáveis em caso de acidente. 
 
Em 2012, um trabalho de mapeamento feito pela Defesa Civil em parceria com o governo federal identificou pelo menos 17 áreas de risco ambiental no município: Mangal, Guaranhuns, Prainha da Glória, Parque da Manteigueira, Ataide, Aribiri, Zumbi dos Palmares, Santa Rita, Alecrim, Vila Garrido, Cobi de Cima, São Torquato, Sagrada Família, Pedra do Búzio, Ilha da Conceição, Rio Marinho e Morro do Moreno.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Tabuleiro de 2018

Ele já negou intenção de deixar o PT ou mudanças de planos, mas movimentações de Givaldo continuam chamando atenção do mercado político

OPINIÃO
Editorial
Fosso social
No Espírito Santo, população negra é mais vulnerável à violência, é maioria no sistema carcerário e nas filas de desempregados
Renata Oliveira
Solidão sem fim
A oposição de Majeski na Assembleia não encontra coro entre os pares, nem no grupo arredio
JR Mignone
Rádio bandeira
A trajetória deste segmento de rádio em capitais é grande
Geraldo Hasse
Os golpes se sucedem
Em plena era do GPS, a reforma trabalhista sugere multiplicar os ''chapas''
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Fuga do Paraíso
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

'Orgânico não tem que ser caro'

Seminário debate formas de erradicar o trabalho infantil

Tabuleiro de 2018

Eleição da nacional alimenta divisão no PSDB capixaba

Cariacica pode ter redistribuição de votos para disputa eleitoral de 2018