Seculo

 

Hartung inclui PSB na cesta de partidos para os quais pode migrar


06/09/2017 às 11:27
O governador Paulo Hartung deve se encontrar com o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, depois do feriado de 7 de Setembro. Eles devem conversar sobre a construção de uma agenda política para 2018. O encontro é desdobramento da entrevista do jornal Valor Econômico (01/09), em que o ex-ministro afirma que só entraria na disputa à Presidência da República se fosse ao lado de Hartung.
Uma nova reportagem do mesmo jornal nesta quarta-feira (6), repercutindo essa aproximação de Barbosa e Hartung, destaca a movimentação do governador, que agora inclui o PSB na cesta de partidos com os quais estaria conversando para uma iminente migração. Nessa cesta já estão o PSDB, DEM e PSD.
 
De acordo com a reportagem do Valor, a legenda mais simpática ao ex-ministro Joaquim Barbosa é o PSB, partido pelo qual Hartung foi eleito governador em 2002, mas que tem resistência em se reaproximar do partido, porque a principal liderança da legenda, o ex-governador Renato Casagrande, é adversário declarado do peemedebista.
 
“O deputado Júlio Delgado (MG), um dos mais ativos na aproximação entre o partido e o ex-ministro, pondera que uma aliança com Hartung teria como obstáculo o ex-governador Renato Casagrande, principal nome do PSB no Espírito Santo”, diz o Valor.
 
Mas Hartung, que evita qualquer contato direto com a legenda e suas lideranças no Estado, disse que não vê problema na movimentação. "Se fosse fácil essa costura já estava feita. Sempre haverá situações locais a serem solucionadas, mas as lideranças responsáveis estão se dando conta de que se não se unirem o país será dominado pelo populismo de direita ou de esquerda. Só vai ter lugar para quem quiser vender terreno na lua", advertiu o peemedebista. 
 
O discurso de Hartung no Valor vai ao encontro do discurso do deputado estadual Enivaldo dos Anjos (PSD), nessa terça-feira (5), na Assembleia Legislativa. Ele defendeu a união das lideranças em torno da ascensão do governador, como um representante das lideranças políticas do Estado no cenário nacional. 
 
Essa seria uma forma de fazer com que o grupo que começa a ganhar força no Estado buscando uma disputa contra o palanque palaciano se desidrate. A senadora Rose de Freitas (PMDB), embora não assuma uma postura oposicionista ao governo do Estado, tem buscando apoios para a construção de um palanque alternativo e tem conversado com Casagrande em busca de uma composição, que daria a esse palanque um perfil anti-Hartung. 
 
Esse discurso de unidade disparado por Enivaldo poderia oferecer a Casagrande uma acomodação no palanque palaciano, mas o ex-governador reagiu de forma negativa aos apontamentos do governador no Valor. Em sua página no Facebook, Casagrande questionou: “Que confiança a população capixaba pode ter em um governador que brinca com assunto tão sério”? A pergunta repudia a movimentação de Hartung em direção ao PSB.
 
No último sábado (2), o PSB realizou um encontro regional para a eleição da direção do partido no Estado e Casagrande foi festejado pelos correligionários como um nome ao governo. O socialista, porém, preferiu manter sua estratégia de não se colocar como candidato. Ele tem circulado pelo Estado, fazendo encontros nas Câmaras municipais desde o início do ano, para discutir o cenário político, mas não apresenta o espaço que pretende ocupar no processo do ano que vem.
 
Uma composição com o palanque de Hartung já estaria sendo proposta por interlocutores do Palácio Anchieta, mas o socialista não está disposto a ser parte desse grupo. Mas para os meios políticos, ainda há esperança de uma aliança indireta, em que Casagrande possa disputar o Senado, evitando o embate indireto com o governador. Para outras lideranças, porém, a sonhada unanimidade em torno de Hartung, que imperou no Estado nos dois primeiros mandatos do governador, hoje seria um projeto inviável.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Tabuleiro de 2018

Ele já negou intenção de deixar o PT ou mudanças de planos, mas movimentações de Givaldo continuam chamando atenção do mercado político

OPINIÃO
Editorial
Fosso social
No Espírito Santo, população negra é mais vulnerável à violência, é maioria no sistema carcerário e nas filas de desempregados
Renata Oliveira
Solidão sem fim
A oposição de Majeski na Assembleia não encontra coro entre os pares, nem no grupo arredio
JR Mignone
Rádio bandeira
A trajetória deste segmento de rádio em capitais é grande
Geraldo Hasse
Os golpes se sucedem
Em plena era do GPS, a reforma trabalhista sugere multiplicar os ''chapas''
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Fuga do Paraíso
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

'Orgânico não tem que ser caro'

Seminário debate formas de erradicar o trabalho infantil

Tabuleiro de 2018

Eleição da nacional alimenta divisão no PSDB capixaba

Cariacica pode ter redistribuição de votos para disputa eleitoral de 2018