Seculo

 

Hartung inclui PSB na cesta de partidos para os quais pode migrar


06/09/2017 às 11:27
O governador Paulo Hartung deve se encontrar com o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, depois do feriado de 7 de Setembro. Eles devem conversar sobre a construção de uma agenda política para 2018. O encontro é desdobramento da entrevista do jornal Valor Econômico (01/09), em que o ex-ministro afirma que só entraria na disputa à Presidência da República se fosse ao lado de Hartung.
Uma nova reportagem do mesmo jornal nesta quarta-feira (6), repercutindo essa aproximação de Barbosa e Hartung, destaca a movimentação do governador, que agora inclui o PSB na cesta de partidos com os quais estaria conversando para uma iminente migração. Nessa cesta já estão o PSDB, DEM e PSD.
 
De acordo com a reportagem do Valor, a legenda mais simpática ao ex-ministro Joaquim Barbosa é o PSB, partido pelo qual Hartung foi eleito governador em 2002, mas que tem resistência em se reaproximar do partido, porque a principal liderança da legenda, o ex-governador Renato Casagrande, é adversário declarado do peemedebista.
 
“O deputado Júlio Delgado (MG), um dos mais ativos na aproximação entre o partido e o ex-ministro, pondera que uma aliança com Hartung teria como obstáculo o ex-governador Renato Casagrande, principal nome do PSB no Espírito Santo”, diz o Valor.
 
Mas Hartung, que evita qualquer contato direto com a legenda e suas lideranças no Estado, disse que não vê problema na movimentação. "Se fosse fácil essa costura já estava feita. Sempre haverá situações locais a serem solucionadas, mas as lideranças responsáveis estão se dando conta de que se não se unirem o país será dominado pelo populismo de direita ou de esquerda. Só vai ter lugar para quem quiser vender terreno na lua", advertiu o peemedebista. 
 
O discurso de Hartung no Valor vai ao encontro do discurso do deputado estadual Enivaldo dos Anjos (PSD), nessa terça-feira (5), na Assembleia Legislativa. Ele defendeu a união das lideranças em torno da ascensão do governador, como um representante das lideranças políticas do Estado no cenário nacional. 
 
Essa seria uma forma de fazer com que o grupo que começa a ganhar força no Estado buscando uma disputa contra o palanque palaciano se desidrate. A senadora Rose de Freitas (PMDB), embora não assuma uma postura oposicionista ao governo do Estado, tem buscando apoios para a construção de um palanque alternativo e tem conversado com Casagrande em busca de uma composição, que daria a esse palanque um perfil anti-Hartung. 
 
Esse discurso de unidade disparado por Enivaldo poderia oferecer a Casagrande uma acomodação no palanque palaciano, mas o ex-governador reagiu de forma negativa aos apontamentos do governador no Valor. Em sua página no Facebook, Casagrande questionou: “Que confiança a população capixaba pode ter em um governador que brinca com assunto tão sério”? A pergunta repudia a movimentação de Hartung em direção ao PSB.
 
No último sábado (2), o PSB realizou um encontro regional para a eleição da direção do partido no Estado e Casagrande foi festejado pelos correligionários como um nome ao governo. O socialista, porém, preferiu manter sua estratégia de não se colocar como candidato. Ele tem circulado pelo Estado, fazendo encontros nas Câmaras municipais desde o início do ano, para discutir o cenário político, mas não apresenta o espaço que pretende ocupar no processo do ano que vem.
 
Uma composição com o palanque de Hartung já estaria sendo proposta por interlocutores do Palácio Anchieta, mas o socialista não está disposto a ser parte desse grupo. Mas para os meios políticos, ainda há esperança de uma aliança indireta, em que Casagrande possa disputar o Senado, evitando o embate indireto com o governador. Para outras lideranças, porém, a sonhada unanimidade em torno de Hartung, que imperou no Estado nos dois primeiros mandatos do governador, hoje seria um projeto inviável.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
E o Homero, hein?

Defender o ex-marido da médica Milena Gottardi deve custar profundos arranhões a Homero Mafra

OPINIÃO
Editorial
Um Estado que mata suas mulheres
Crime da médica Milena Gottardi chama atenção para os casos de feminicídios, que fazem do ES um dos estados mais violentos do País para as mulheres
Piero Ruschi
ES: um inferno promissor economicamente moldado
Discursos empresariais e políticos são carregados de conotações sustentáveis, mas a verdadeira sustentabilidade não está incluída no planejamento econômico
Renata Oliveira
PSDB repete PT
A possibilidade de uma manobra no ninho tucano para eleger quem Hartung quer lembra a eleição do PT no inicio do ano
Gustavo Bastos
O Diabo é o pai do rock
Um fenômeno que envolve satanismo no rock e na música é a prática de rodar os discos ao contrário
Geraldo Hasse
A doença da intolerância
Ela está nos estádios, nos governos, nas igrejas, nos parlamentos, nas ruas, nos tribunais
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Branca, o Teatro e a sala de estar
Panorama Atual

Roberto Junquilho

Fuzis e baionetas, nunca mais!
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Turista acidental
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

PSDB repete PT

A doença da intolerância

Governo nomeia 30 auditores fiscais do concurso de 2013

E o Homero, hein?

Projeto revive o Melpômene, um dos teatros mais importantes da história capixaba