Seculo

 

Festival Itaúnas & Sabores reúne culinária tradicional e alta gastronomia


06/09/2017 às 12:15
Em sintonia com a história local, a segunda edição do Festival Itaúnas & Sabores remonta, tanto ao legado tupiniquim, quanto ao quilombola. O festival tem início nesta quinta-feira (7) e segue até domingo (10), na Vila de Itaúnas, em Conceição da Barra (norte do Estado), trazendo a comida dos Quitungos para a praça. Isso quer dizer que, além de pratos da alta gastronomia, o visitante vai encontrar muito beiju, tapioca, bolo de aipim na palha da bananeira e pratos preparados com produtos e subprodutos das casas de farinha do Sapê do Norte.

Da comunidade Angelim I, a nutricionista Letícia Camillo Silvares e a mestra Dentina trarão a arte e o saber da fabricação da farinha de mandioca e seus derivados, acompanhada pelas várias histórias sobre as influências afro-indígenas, contadas pelo jornalista e pesquisador Enio Ardohain.

Os participantes irão dos muitos Quitungos da redondeza, como Chicão e Permínia Maia, cuja família colocará a Tapioca Nordestina (com recheio de abóbora e carne seca) entre os pratos apresentados. Letícia lembra que os produtos dos Quitungos ainda são os mesmos de séculos atrás. “Praticamente tudo continua igual. Temos os beijus de Fati, feitos da goma com coco e fechados, os beijus de massa, que são abertos com coco por cima, a pamonha e o bolo de aipim na palha da bananeira”, antecipa a nutricionista.

A ideia, segundo Enio, é montar um espaço com forno de farinheira na Praça da Vila de Itaúnas, onde os visitantes poderão vivenciar a experiência de produzir farinha, comer um pouco das delícias do aipim e ainda comprar quitutes diretamente dos produtores. “Quando o homem branco chegou aqui, os indígenas da faixa litorânea, os tupiniquins, já estavam sedentarizados pela mandioca. Eles desenvolveram a tecnologia para a produção de farinha e seus derivados. O Beiju, a tapioca, o bolo de puba, todos esses subprodutos da farinha já existiam quando o português chegou, em 1500. É muito antigo e tradicional”, conta.

Essa é apenas parte do que será encontrado nos dias de festival, que se estenderá até dia 30 de setembro com programação cultural nos fins de semana e todos os pratos à disposição do visitante. Durante o feriado, haverá ainda diversas aulas-show com mestres da culinária do Espírito Santo, como Alessandro Eler, além de atrações culturais. Dos sabores capixabas, a “Moqueca de Banana” e a “Casquinha de Siri com Camarão” marcarão presença e das iguarias do mundo vêm “Parmegiana de Picanha ao molho da casa, geleia vermelha e batata frita”, a “Piadina Recheada” e o “Tagliarim malagueta artesanal”, em pratos individuais e coletivos, dependendo da escolha.

Segundo a organização do festival, o visitante encontrará drinques, petiscos, lanches, pratos principais e sobremesas, entre os 44 inscritos. “Este é o maior festival gastronômico do Espírito Santo, em diversidade de pratos”, comemora Eduardo Destefani. Quem quiser conferir, pode começar pelo “Catuçaí Love Drink” (catuaba com açaí, gelo e limão), passando pelo “Barquete de Camarão” e fechando com “Bolo do Jabá com canela”, todos com preços acessíveis. Também serão servidos “Hambúrguer Artesanal de Boi ou Frango”,“Panqueca de Camarão” ou o “Sanduba da Padoka” (pão com linguiça, requeijão e cebola).

Serviço
 
Festival Itaúnas & Sabores
De 7 a 10 de setembro, com programação até o dia 30 de setembro aos fins de semana
Vila de Itaúnas, em Conceição da Barra
Como Chegar: Saindo de Vitória, siga pela BR-101 sentido norte - cerca de 3 a 4 horas de viagem. Entre à direita na Rodovia ES-421 sentido Conceição da Barra. Em seguida, vire à esquerda na ES 010 e siga por cerca de 20 km de estrada de chão até chegar à Vila.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Tabuleiro de 2018

Ele já negou intenção de deixar o PT ou mudanças de planos, mas movimentações de Givaldo continuam chamando atenção do mercado político

OPINIÃO
Editorial
Fosso social
No Espírito Santo, população negra é mais vulnerável à violência, é maioria no sistema carcerário e nas filas de desempregados
Renata Oliveira
Solidão sem fim
A oposição de Majeski na Assembleia não encontra coro entre os pares, nem no grupo arredio
JR Mignone
Rádio bandeira
A trajetória deste segmento de rádio em capitais é grande
Caetano Roque
A força da CUT
É hora de a Central assumir sua função de agregadora dos trabalhadores e das bandeiras de luta
Geraldo Hasse
Os golpes se sucedem
Em plena era do GPS, a reforma trabalhista sugere multiplicar os ''chapas''
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Fuga do Paraíso
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

'Orgânico não tem que ser caro'

Tabuleiro de 2018

Conselheiro José Antônio Pimentel vira réu em ação penal por corrupção

Eleição da nacional alimenta divisão no PSDB capixaba

Cariacica pode ter redistribuição de votos para disputa eleitoral de 2018