Seculo

 

Escola no campo recebe alimento da merenda fora das embalagens


07/09/2017 às 19:12
A comunidade escolar da Escola Estadual Unidocente de Ensino Fundamental (EEUEF) Maria Julita, na zona rural de Santa Teresa, região serrana do Estado, se espantou com a forma como a merenda escolar foi entregue na unidade, na remessa que vale para o intervalo entre 28 de agosto a oito de setembro.

A quantidade de alimento – que é pouca, considerando que a escola rural tem dez alunos e a remessa vale para dez dias – não foi razão do estranhamento, já que ela já havia sido reduzida, mas a forma como a alimentação foi entregue.

Os alimentos, que deveram estar embalados, com data de fabricação, origem e validade, foram entregues em sacolas plásticas sem qualquer identificação de procedência. Os alimentos, como grãos, farinhas, arroz e feijão, foram entregues em sacos amarrados, com as quantidades descritas na comanda de atendimento.

Os professores e pais de alunos estranharam a forma como os alimentos chegaram à escola. Eles alertam que, sem a indicação de procedência, não é possível garantir a qualidade dos alimentos servidos aos alunos.

Educação no campo

Movimentos de camponeses, sem-terras, indígenas e quilombolas sempre apontam para a necessidade de um ensino de qualidade voltado para a realidade dos moradores das zonas rurais.

Em contrapartida, escolas e turmas têm sido fechadas. Entre os anos de 2007 e 2015, foram fechadas 544 escolas do campo, entre estaduais e municipais.

As entidades que compõem o Comitê Estadual de Educação do Campo apontam que houve um retrocesso no setor desde o início do atual mandato e atribuem a responsabilidade ao governador Paulo Hartung, por não priorizar a educação.

Com a justificativa de corte de gastos, a atual gestão reduziu a contratação de professores para este ano e tentou extinguir a gerência da educação no campo. A Secretaria de Estado de Educação (Sedu) também fez pressão para fechar as escolas que têm poucos alunos e, em alguns municípios, quis fundir turmas de séries diferentes.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Cara e crachá

Uns publicaram vídeos e notas nas redes sociais, outros só notas, outros nada. Mas a CPI da Lava Jato continua na conta dos deputados arrependidos

OPINIÃO
Editorial
A Ponte da Discórdia
Terceira Ponte entra novamente no centro dos debates políticos em ano eleitoral. Enquanto isso, a Rodosol continua rindo à toa...
Piero Ruschi
O Governo do ES e seu amor antigo ao desamparo ambiental
Mais um ''Dia Mundial do Meio Ambiente'' se passou. Foi um dia de ''comemoração'' (política)
Bruno Toledo
Estado sem PIEDADE!
As tragédias que se sucedem no Morro da Piedade sintetizam as contradições mais evidentes e brutais do modelo de sociedade e de Estado que estamos mergulhados
Geraldo Hasse
Mundo velho sem catraca
Cinquenta anos depois, é possível fazer um curso técnico por correspondência via internet
Roberto Junquilho
Hartung, o suspense
O governador Paulo Hartung mantém o suspense e pode até não disputar a reeleição em 2018
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Uma revoada de colibris
MAIS LIDAS

Visita de interlocutores de Hartung a Rodrigo Maia sinaliza mudança de cenário

Juiz Leopoldo mais próximo de ir a Júri Popular por assassinato de Alexandre Martins

Contrato do governo do Estado com a Cetesb sobre poluição do ar continua sigiloso

Hartung, o suspense

LDO será votada na próxima segunda-feira na Assembleia