Seculo

 

Prefeitura da Serra leva ‘puxão de orelha’ do TCE por não divulgar licitação no Diário Oficial


10/09/2017 às 17:42
Após representação de duas concorrentes da licitação do estacionamento rotativo da Serra, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) deu um ‘puxão de orelha’ na gestão Audifax Barcelos (PSB) por não divulgar o aviso de concorrência no Diário Oficial do Estado, como determina a Lei de Licitações (8.666/93). 
 
Em decisão plenária, os conselheiros extinguiram o processo, mas determinaram à presidente da Comissão Permanente de Licitação da Secretaria de Administração, Giovanna Demarchi Rosa, e o secretário de Administração e Recursos Humanos, Alexandre Viana, para que passem a publicar os avisos de concorrência pública no Diário Oficial.
 
As empresas Expark Soluções em Trânsito e Vista Group Network Sistemas e Empreendimentos questionaram a ausência da publicação do aviso do edital no Diário Oficial e em jornais de grande circulação. O TCE, no entanto, constatou que a informação foi publicada em jornal de grande circulação. Por outro lado, constatou que o aviso não foi publicado no Diário Oficial. A informação foi prestada por telefone pela própria presidente da Comissão de Licitação, Giovanna Rosa.
 
“Ora, trata-se de procedimento licitatório, na modalidade de concorrência pública, realizado por entidade da administração pública municipal; assim, torna-se obrigatória a publicação do aviso de abertura do certame também no Diário Oficial do Estado, conforme determina o artigo 21, II, da Lei 8.666/93”, registra a decisão.
 
A prefeitura publicou em junho o decreto que cria o estacionamento rotativo no município. Serão criadas duas mil vagas em Serra-Sede e Laranjeiras, estabelecendo a criação de uma Zona Azul, em que os motoristas terão de pagar de R$ 1 a R$ 3,50 para estacionar. Ainda não há data para o início das cobranças. 
 
O rotativo vai funcionar de segunda a sexta-feira, de 8h às 18h, e aos sábados, de 8h às 14h. Também haverá cobrança em épocas de promoções ou datas comemorativas. Segundo a prefeitura, a fiscalização será realizada pelas autoridades públicas de trânsito e não pela concessionária. 
 
Segundo o decreto, os carros poderão ficar estacionados por um período máxim o de duas a três horas, dependendo do ponto de estacionamento. O decreto estabelece ainda áreas para estacionamento para idosos e deficientes, para carga e descarga e estacionamento para motocicletas, ambulâncias e veículos de uso público. Carga e descarga de veículos com capacidade acima de 23 toneladas terão de ser feitas após as 18h nos dias úteis.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
E o Homero, hein?

Defender o ex-marido da médica Milena Gottardi deve custar profundos arranhões a Homero Mafra

OPINIÃO
Editorial
Um Estado que mata suas mulheres
Crime da médica Milena Gottardi chama atenção para os casos de feminicídios, que fazem do ES um dos estados mais violentos do País para as mulheres
Piero Ruschi
ES: um inferno promissor economicamente moldado
Discursos empresariais e políticos são carregados de conotações sustentáveis, mas a verdadeira sustentabilidade não está incluída no planejamento econômico
Renata Oliveira
PSDB repete PT
A possibilidade de uma manobra no ninho tucano para eleger quem Hartung quer lembra a eleição do PT no inicio do ano
Gustavo Bastos
O Diabo é o pai do rock
Um fenômeno que envolve satanismo no rock e na música é a prática de rodar os discos ao contrário
Geraldo Hasse
A doença da intolerância
Ela está nos estádios, nos governos, nas igrejas, nos parlamentos, nas ruas, nos tribunais
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Branca, o Teatro e a sala de estar
Panorama Atual

Roberto Junquilho

Fuzis e baionetas, nunca mais!
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Turista acidental
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

PSDB repete PT

A doença da intolerância

Governo nomeia 30 auditores fiscais do concurso de 2013

E o Homero, hein?

Projeto revive o Melpômene, um dos teatros mais importantes da história capixaba