Seculo

 

A menos de um mês para o pleito, esquenta o clima eleitoral em Fundão


09/09/2017 às 19:05

Faltando menos de um mês para a eleição extemporânea no município de Fundão, o clima na cidade é efervescente, com os dois candidatos dividindo bem o eleitorado em suas campanhas, e a tendência é de que o clima esquente até 1 de outubro, quando acontecerá a votação. Provocações nas redes sociais e entre correligionários é o que não falta em uma disputa com apenas dois nomes no cenário: Pretinho Nunes (PDT) e João Manoel (DEM).

O grupo do pedetista mudou de estratégia, se no início estava evitando colar a imagem em Anderson Pedroni (PSD), candidato impugnado na eleição passada, agora aposta na transferência de votos. É que no período que antecedeu a disputa, comentava-se na cidade que muitos eleitores não estavam satisfeitos com o fato de terem de voltar às urnas e que isso aconteceu porque Pedroni não conseguiu cumprir a garantia feita no pleito de 2016, de que reverteria o processo na justiça.

Mesmo com cerca de 70% dos votos, não conseguiu tomar posse. O grupo tem investido contra o palanque do adversário, dizendo que ele esconde apoiadores, mas do lado do demista a situação é mais tranqüila, sem ataques diretos.

O discurso, porém, é duro. O fato de Fundão nos últimos anos não conseguir ter estabilidade política na prefeitura, incluindo a passagem de Pedroni pela administração, vem pautando a campanha de João Manoel, que já disputou três vezes o comando do município.

As convenções dos dois grupos no mês passado mostrou a divisão da cidade e das forças políticas, sinalizando que o pleito de outubro pode ser bem diferente do que aconteceu na cidade no ano passado. Enquanto Pretinho aposta na transferência de votos do aliado, o outro lado tenta conquistar os insatisfeitos com o processo eleitoral de 2016.
 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Agência Senado
Cotações

Apesar de já ter anunciado apoio a Majeski, sobem as apostas de que Max Filho poderá, mesmo, é fixar lugar no palanque de Rose

OPINIÃO
Piero Ruschi
Visita à coleção zoológica de Augusto Ruschi
Visitei a coleção zoológica criada por meu pai e seu túmulo na Estação Biológica. Por um lado, bom, por outro, angústia
Gustavo Bastos
Minha luta com o sol - Pentagrama - Parte I
''vi o sol inca ficar vermelho''
Wilson Márcio Depes
A Frente Ampla começou em Cachoeiro?
Município do sul do Estado mantém a falta de entressafra política
Eliza Bartolozzi Ferreira
Cada qual no seu lugar
As escolas fazem ciência; as igrejas doutrinação. Projeto Escola Sem Partido é, no mínimo, uma contradição de base do vereador de Vitória, Davi Esmael (PSB)
Roberto Junquilho
Gestão de marca
Manter elos com redutos eleitorais faz a cabeça da classe política
Geraldo Hasse
Refém do Mercado
O País está preso ao neoliberalismo do tucano Pedro Parente, presidente da BR
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Arrogância também conta?
MAIS LIDAS

Especialista critica projeto Escola Sem Partido proposto por vereador de Vitória

TSE define quanto cada partido receberá do Fundo Eleitoral

Pesquisa de R$ 2 milhões financiada pela ArcelorMittal é aprovada em regime de urgência pela Ufes

Procons fiscalizam aumentos nos preços dos combustíveis em postos de Vitória e Serra

Trabalhadores e empresários da Construção Civil dão trégua de um mês para negociações