Seculo

 

A menos de um mês para o pleito, esquenta o clima eleitoral em Fundão


09/09/2017 às 19:05

Faltando menos de um mês para a eleição extemporânea no município de Fundão, o clima na cidade é efervescente, com os dois candidatos dividindo bem o eleitorado em suas campanhas, e a tendência é de que o clima esquente até 1 de outubro, quando acontecerá a votação. Provocações nas redes sociais e entre correligionários é o que não falta em uma disputa com apenas dois nomes no cenário: Pretinho Nunes (PDT) e João Manoel (DEM).

O grupo do pedetista mudou de estratégia, se no início estava evitando colar a imagem em Anderson Pedroni (PSD), candidato impugnado na eleição passada, agora aposta na transferência de votos. É que no período que antecedeu a disputa, comentava-se na cidade que muitos eleitores não estavam satisfeitos com o fato de terem de voltar às urnas e que isso aconteceu porque Pedroni não conseguiu cumprir a garantia feita no pleito de 2016, de que reverteria o processo na justiça.

Mesmo com cerca de 70% dos votos, não conseguiu tomar posse. O grupo tem investido contra o palanque do adversário, dizendo que ele esconde apoiadores, mas do lado do demista a situação é mais tranqüila, sem ataques diretos.

O discurso, porém, é duro. O fato de Fundão nos últimos anos não conseguir ter estabilidade política na prefeitura, incluindo a passagem de Pedroni pela administração, vem pautando a campanha de João Manoel, que já disputou três vezes o comando do município.

As convenções dos dois grupos no mês passado mostrou a divisão da cidade e das forças políticas, sinalizando que o pleito de outubro pode ser bem diferente do que aconteceu na cidade no ano passado. Enquanto Pretinho aposta na transferência de votos do aliado, o outro lado tenta conquistar os insatisfeitos com o processo eleitoral de 2016.
 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
E o Homero, hein?

Defender o ex-marido da médica Milena Gottardi deve custar profundos arranhões a Homero Mafra

OPINIÃO
Editorial
Um Estado que mata suas mulheres
Crime da médica Milena Gottardi chama atenção para os casos de feminicídios, que fazem do ES um dos estados mais violentos do País para as mulheres
Piero Ruschi
ES: um inferno promissor economicamente moldado
Discursos empresariais e políticos são carregados de conotações sustentáveis, mas a verdadeira sustentabilidade não está incluída no planejamento econômico
Renata Oliveira
PSDB repete PT
A possibilidade de uma manobra no ninho tucano para eleger quem Hartung quer lembra a eleição do PT no inicio do ano
Gustavo Bastos
O Diabo é o pai do rock
Um fenômeno que envolve satanismo no rock e na música é a prática de rodar os discos ao contrário
Geraldo Hasse
A doença da intolerância
Ela está nos estádios, nos governos, nas igrejas, nos parlamentos, nas ruas, nos tribunais
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Branca, o Teatro e a sala de estar
Panorama Atual

Roberto Junquilho

Fuzis e baionetas, nunca mais!
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Turista acidental
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

PSDB repete PT

A doença da intolerância

Governo nomeia 30 auditores fiscais do concurso de 2013

E o Homero, hein?

Projeto revive o Melpômene, um dos teatros mais importantes da história capixaba