Seculo

 

Deputado quer que Mesa da Assembleia divulgue execução de emendas


10/09/2017 às 19:09

O deputado Sergio Majeski (PSDB) apresentou Projeto de Resolução na Assembleia Legislatia que acrescenta dispositivo ao Regimento Interno, adicionando atribuição à Mesa Diretora quanto à publicidade da execução das emendas parlamentares. Com o mecanismo seria mais fácil acompanhar o valor aplicado das destinações do orçamento a cada deputado.

O projeto, que dificilmente será aprovado na Casa por causa da pressão palaciana na base, permitiria que mais deputados e, consequentemente, mais cidadãos pudessem ser beneficiados com os recursos, já que apenas aliados do governo têm conseguido liberação dos recursos. A estratégia do governador Paulo Hartung (PMDB) de usar as emendas para retaliar os deputados de oposição, acaba punido a população que está associada ao reduto eleitoral de determinado parlamentar. 

Esta semana, o deputado Euclério Sampaio (PDT), um dos que não são agraciados com emendas por não pertencer à base, reclamou da falta de isonomia do governo no atendimento das demandas.

No início de agosto, Século Diário teve acesso aos pagamentos de emendas feitas até então e constatou que os deputados desalinhados do governo não tinham sido contemplados com execução de emendas. De outro lado, os que fazem a defesa do governo e votam favoravelmente com o Palácio Anchieta conseguiram ter os recursos liberados. Os deputados Freitas (PSB), Marcos Bruno (REDE), Josias da Vitória (PDT)  e Theodorico Ferraço (DEM) não tinham nenhuma emenda paga. Sergio Majeski (PSDB) teve uma, mas que na verdade não era dele e sim da deputada Eliana Dadalta (PTC), que fez a emenda em nome do tucano.

Em maio passado, os deputados tiveram a chance de corrigir a falta de isonomia e ganhar liberdade em relação ao Palácio Anchieta, mas preferiram a subserviência. Um projeto, também de Majeski, buscava implantar na casa um mecanismo já existente na Câmara dos Deputados: as emendas impositivas. Esse mecanismo, inclusive, protegeu os deputados contrários ao presidente Michel Temer de ter suas emendas cortadas nos embates que vem sendo travados entre governo federal e Congresso Nacional.

Por 20 votos a seis, porém, os deputados estaduais preferiram continuar na dependência do Executivo para executar suas emendas, rejeitado a matéria do tucano. O Projeto de Resolução já foi lido em plenário e está em fase de análise técnica na diretoria da Casa.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
E o Homero, hein?

Defender o ex-marido da médica Milena Gottardi deve custar profundos arranhões a Homero Mafra

OPINIÃO
Editorial
Um Estado que mata suas mulheres
Crime da médica Milena Gottardi chama atenção para os casos de feminicídios, que fazem do ES um dos estados mais violentos do País para as mulheres
Piero Ruschi
ES: um inferno promissor economicamente moldado
Discursos empresariais e políticos são carregados de conotações sustentáveis, mas a verdadeira sustentabilidade não está incluída no planejamento econômico
Renata Oliveira
PSDB repete PT
A possibilidade de uma manobra no ninho tucano para eleger quem Hartung quer lembra a eleição do PT no inicio do ano
Gustavo Bastos
O Diabo é o pai do rock
Um fenômeno que envolve satanismo no rock e na música é a prática de rodar os discos ao contrário
Geraldo Hasse
A doença da intolerância
Ela está nos estádios, nos governos, nas igrejas, nos parlamentos, nas ruas, nos tribunais
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Branca, o Teatro e a sala de estar
Panorama Atual

Roberto Junquilho

Fuzis e baionetas, nunca mais!
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Turista acidental
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

PSDB repete PT

A doença da intolerância

Governo nomeia 30 auditores fiscais do concurso de 2013

E o Homero, hein?

Projeto revive o Melpômene, um dos teatros mais importantes da história capixaba