Seculo

 

24º Festival de Cinema de Vitória começa nesta segunda com maratona de exibições


11/09/2017 às 12:29
Começa nesta segunda-feira (11), o mais tradicional evento cinematográfico do Espírito Santo: o Festival de Cinema Vitória. Neste ano, a plateia vai poder conferir 116 obras, divididas em 11 mostras e sessões especiais, com o melhor da safra recente do cinema nacional. A programação segue até sábado (16), com homenagens, oficinas, debates e um lounge com programação musical para animar o público.

As atividades se dividem em três espaços da capital capixaba: o Teatro Carlos Gomes, no Centro, onde ocorrem as mostras, as sessões especiais e as homenagens; o Hotel Senac, na Ilha do Boi, que abriga debates com realizadores, lançamentos de publicações e entrevista coletiva; e na Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), onde serão realizadas as oficinas.

Três personalidades do cinema e das artes recebem tributo do festival por suas trajetórias. Na noite de abertura, às 19h, é a vez da Homenagem Capixaba a Margareth Galvão, atriz, diretora e dramaturga com estreita e produtiva relação com o cinema feito no Espírito Santo. Na terça-feira (12), o festival celebra os 40 anos de carreira do designer e gestor cultural Ronaldo Barbosa, com exibição de um de seus filmes. Já na quinta-feira (14) é a vez da Homenagem Nacional à atriz Zezé Motta, um dos nomes mais respeitados da TV e do cinema brasileiros.

Com 41 filmes, 35 produções para a TV e 13 discos no currículo, a artista receberá carinho do público na noite do dia 14. No mesmo dia, à tarde, ela participará de uma entrevista coletiva no Hotel Senac Ilha do Boi aberta a todos os interessados, quando será lançado o Caderno da Homenageada, publicação com reportagem e imagens de sua carreira artística.

Sessões especiais

As sessões especiais também prometem atrair o público. A primeira delas acontece na segunda-feira, com a exibição de um episódio inédito de “Irmão do Jorel”, desenho animado de grande sucesso, do criador capixaba Juliano Enrico. Juliano volta à programação do festival na sexta-feira, às 16h, para um bate-papo com o público sobre sua obra, que é sucesso em vários países. Na terça-feira, é a vez da exibição, fora de competição, do longa-metragem “A Serpente”, de Jura Capela, que conta com Matheus Nachtergaele e Lucélia Santos no elenco.

No sábado (16), a partir das 19h, duas obras contam com sessões especiais: “Minhas Horas com Camomila”, ficção dos capixabas Tati Rabello e Rodrigo Linhales; e “Introdução à Música do Sangue”, longa-metragem do cineasta veterano Luiz Carlos Lacerda que encerra a programação do 24º Festival de Cinema de Vitória.

Debates com realizadores também fazem parte das atividades. Entre a terça-feira e a quinta-feira, diretores, roteiristas e assistentes de direção dos longas-metragens “Como Nossos Pais”, “A Serpente”, “A Fera na Selva” e “Baronesa” participam de bate-papo com o público no Hotel Senac Ilha do Boi.

Filmes de todas as regiões do país integram a programação, que apresenta 11 janelas de exibição: 21ª Mostra Competitiva Nacional de Curtas; 7ª Mostra Competitiva de Longas; 6ª Mostra Foco Capixaba; 6ª Mostra Corsária; 7ª Mostra Quatro Estações; 18º Festivalzinho de Cinema de Vitória; 4ª Mostra de Animação; 4ª Mostra Outros Olhares; 2ª Mostra Mulheres no Cinema; 2ª Mostra Cinema e Negritude e, estreando entre nossas atividades, a Mostra Nacional de Videoclipes.

Oficinas

O festival ainda investe nas ações de formação, com cursos ministrados por importantes nomes do cenário audiovisual nacional. São elas: a Oficina de Realização em Cinema e Vídeo, comandada pelo cineasta Luiz Carlos Lacerda; a Oficina de Crítica Cinematográfica, que será realizada pelo jornalista e crítico André Dib; e duas novidades, a Oficina de Animação 2D, com o mestre do gênero Otto Guerra, e a Oficina de Preparação de Atores – Um Tiro no Escuro, com o ator Jefferson Almeida.

Ao final da programação, o 24º Festival de Cinema de Vitória vai premiar as melhores produções com o Troféu Vitória, em todas as mostras. Ao todo, serão distribuídos mais de 20 troféus, além das possíveis menções honrosas. A escolha dos filmes premiados é feita por júris formados por profissionais com reconhecida inserção e carreira na área audiovisual e também pelo público.

Além de disputarem o Troféu Vitória em diversas categorias, os filmes selecionados para a 21ª Mostra Competitiva Nacional de Curtas concorrem ao Prêmio Canal Brasil de Curtas – reconhecimento dado a produções exibidas nos principais festivais de cinema do país. A obra premiada será exibida na grade de programação do Canal Brasil e receberá o Troféu Canal Brasil, além de R$15 mil sob a forma de Contrato de Licenciamento.

Criado em 1998, o Prêmio Canal Brasil de Curtas tem como objetivo incentivar a produção, a exibição e a divulgação de curtas-metragens. Desde 2006, os filmes vencedores concorrem ainda ao Grande Prêmio Canal Brasil de Curtas-Metragens, no valor de R$ 50 mil reais também sob a forma de Contato de Licenciamento.

Ao longo de mais de duas décadas, o Festival de Cinema de Vitória acompanhou de perto a história do cinema brasileiro. Por nossas sessões, passaram importantes nomes e obras da cinematografia nacional. O Festival também contribui para que novos realizadores se lancem no mundo do cinema, por meio de nossas atividades de formação, da oferta de uma programação gratuita de filmes inéditos no Espírito Santo e da promoção do contato com realizadores e produtores de outras partes do Brasil.

Clique aqui e veja a programação completa do 24º Festival de Cinema de Vitória

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
E o Homero, hein?

Defender o ex-marido da médica Milena Gottardi deve custar profundos arranhões a Homero Mafra

OPINIÃO
Editorial
Um Estado que mata suas mulheres
Crime da médica Milena Gottardi chama atenção para os casos de feminicídios, que fazem do ES um dos estados mais violentos do País para as mulheres
Piero Ruschi
ES: um inferno promissor economicamente moldado
Discursos empresariais e políticos são carregados de conotações sustentáveis, mas a verdadeira sustentabilidade não está incluída no planejamento econômico
Renata Oliveira
PSDB repete PT
A possibilidade de uma manobra no ninho tucano para eleger quem Hartung quer lembra a eleição do PT no inicio do ano
Gustavo Bastos
O Diabo é o pai do rock
Um fenômeno que envolve satanismo no rock e na música é a prática de rodar os discos ao contrário
Geraldo Hasse
A doença da intolerância
Ela está nos estádios, nos governos, nas igrejas, nos parlamentos, nas ruas, nos tribunais
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Branca, o Teatro e a sala de estar
Panorama Atual

Roberto Junquilho

Fuzis e baionetas, nunca mais!
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Turista acidental
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

PSDB repete PT

A doença da intolerância

Governo nomeia 30 auditores fiscais do concurso de 2013

E o Homero, hein?

Projeto revive o Melpômene, um dos teatros mais importantes da história capixaba