Seculo

 

Recado dado


12/09/2017 às 12:35
O deputado estadual Sergio Majeski (PSDB) fez uma brincadeira em seu Facebook, que é lido nos meios políticos como um recado preocupante para os nomes que buscam se credenciar para o processo eleitoral do próximo ano. Dono de um capital eleitoral invejável hoje, o deputado é uma preocupação para quem tem mandato e quem quer vaga.
 
Como destacou a coluna Socioeconômicas, de Século Diário, nessa segunda-feira (11), o tucano divulgou uma foto em frente ao estande do Senado, na XVIII Bienal Internacional do Livro no Rio de Janeiro, com a legenda: “Achei sugestivo o fundo da foto”. 
 
Seus seguidores, porém, querem a permanência do deputado no Estado, não na Assembleia, mas na disputa ao Palácio Anchieta. O deputado tem se mantido em uma posição de observação, sem descartar, porém, nenhuma das duas opções, mas precisa encontrar uma acomodação que lhe garanta a espaço e independência no processo, o que no PSDB, hoje é problema. 
 
O partido teria compromisso com a reeleição de Ricardo Ferraço ao Senado, o que dificulta a candidatura do deputado pelo ninho tucano. Em uma disputa ao governo, o cenário é impreciso no partido. O PSDB tem hoje o vice-governador, César Colnago, e apoiou Hartung em 2014. Com as aproximações do governador com a nacional do PSDB e com o aliado histórico do partido, o DEM, há possibilidade de o partido permanecer no palanque do governador, palanque em que Majeski já avisou, não subirá. 
 
Tido como um político que atende o perfil que o eleitor espera de um candidato, novo, sem amarras com grupos políticos e com postura questionadora, o deputado que chegou à Assembleia com pouco mais de 12 mil votos, hoje é tido como um candidato em potencial a voos bem mais altos. 
 
Sua candidatura pode tornar muito mais difícil a vida dos atuais senadores Ricardo Ferraço e Magno Malta (PR), que disputam a reeleição no próximo ano. Para os meios políticos, se Majeski entrar na disputa, dificilmente não levaria uma das vagas.
 
Para o grupo que tenta erguer um palanque de enfrentamento ao governador, a possibilidade de ter Majeski como candidato tanto ao Senado quanto ao governo é um trunfo a ser trabalhado. Resta saber se agrada também ao deputado a possibilidade de caminhar com esse grupo. De qualquer forma, a foto deve ter assustado o mercado.
 
Fragmentos
 
1 – O ex-governador Renato Casagrande (PSB), de bermudas, chinelo e boné fez um encontro com lideranças políticas de Marataízes, no litoral sul do Estado no último sábado (9). O look informal pode ser uma arma no enfrentamento, ainda que indireto, ao Paulo Hartung (PMDB), que dificilmente apareceria em um evento político assim. 
 
2 – Ao lado dele estava o deputado estadual Theodorico Ferraço (DEM), mais novo aliado fiel e o deputado federal Evair de Melo (PV), que está em todas, independentemente de escolher um lado para a disputa do próximo ano. 
 
3 – As medidas do governador Paulo Hartung em relação à concessionária ECO, sobre a responsabilidade na conclusão das obras de duplicação da BR-101, parecem bem tímidas diante da indignação da classe política. Dizer que o governador endureceu o discurso contra a empresa, não convence.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Lá e cá

Enquanto Rose volta a se movimentar em Brasília, Casagrande delimita território no Estado. Cada um no seu quadrado...

OPINIÃO
Geraldo Hasse
Vendilhões no comando
Os governos petistas deram mole aos Mercados, mas o MDB escancara a prática do entreguismo
Roberto Junquilho
Os calos da esquerda
Apesar de possuir lideranças bem posicionadas, a esquerda só aparece quando os fatos são diretamente ligados ao cenário político partidário
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Admirável mundo novo
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Os calos da esquerda

Comitê em Defesa de Lula é criado no Estado

Lá e cá

Relatório internacional de Direitos Humanos destaca violência policial no Brasil

Atílio Vivácqua decreta luto oficial de três dias por morte de prefeito