Seculo

 

Secretário de Itapemirim foi morto por vingança, revela investigação


13/09/2017 às 12:59
O secretário de Gerência Geral de Itapemirim (região litoral sul), José Mauro Sales da Penha, 58, foi morto por vingança. O crime teria sido cometido pela servidora pública Carla Rogéria Ribeiro Lima, 46, exonerada do cargo de diretora da Defesa Civil municipal poucos dias antes do crime. Essa foi a conclusão do inquérito do homicídio pela Policia Civil, divulgada nesta quarta-feira (13). A Justiça já decretou a prisão preventiva de Carla, que se encontra foragida.

Em coletiva na sede da Secretaria de Segurança Pública (Sesp), o delegado Djalma Pereira Lemos, responsável pela investigação, revelou que os depoimentos de testemunhas indicam que Carla foi a autora dos seis disparos de arma de fogo que mataram o secretário. Ela teria ido à residência de José Mauro usando um taxi, cometido o crime e deixando o local no mesmo veículo.

O taxista foi identificado por imagens de câmeras de videmonitoramento e ouvido pela Polícia Civil, confessando que a suspeita teria admitido o crime. No entanto, ele disse não ter procurado as autoridades policiais antes por medo de morrer. A suspeita do crime teria inclusive falado para familiares da intenção de matar o secretário. O marido e o enteado de Carla também foram ouvidos pela Polícia.

A motivação do crime seria a vingança pela sua exoneração do cargo. Além disso, Carla também estaria insatisfeita com o secretário pela suposta perda de contratos da empresa do seu marido, que atua no ramo de fogos de artifício. Logo após o crime, a servidora pública – que tem o cargo efetivo de telefonista na Prefeitura – teria arrumado suas coisas em uma mala e viajado para destino ignorado. Hoje, a Polícia está à caça da assassina do secretário.

José Mauro Sales foi morto dentro de sua residência no balneário de Itaoca na noite do último dia 3. O caso teve grande repercussão em Itapemirim, tanto que a cúpula da Segurança Pública foi ao município no dia seguinte ao crime e garantiu o emprego de todos os esforços nos trabalhos de investigação. O secretário morto era apontado como o braço direito do prefeito interino Thiago Peçanha (PSDB).

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

De demolidor a demolido

Até outro dia, o MDB era o partido mais importante do Estado, mas entrou em agonia com a interferência de PH

OPINIÃO
Piero Ruschi
O Governo do ES e seu amor antigo ao desamparo ambiental
Mais um ''Dia Mundial do Meio Ambiente'' se passou. Foi um dia de ''comemoração'' (política)
Bruno Toledo
Estado sem PIEDADE!
As tragédias que se sucedem no Morro da Piedade sintetizam as contradições mais evidentes e brutais do modelo de sociedade e de Estado que estamos mergulhados
Geraldo Hasse
Mundo velho sem catraca
Cinquenta anos depois, é possível fazer um curso técnico por correspondência via internet
Roberto Junquilho
Hartung, o suspense
O governador Paulo Hartung mantém o suspense e pode até não disputar a reeleição em 2018
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Uma revoada de colibris
MAIS LIDAS

Visita de interlocutores de Hartung a Rodrigo Maia sinaliza mudança de cenário

Contrato do governo do Estado com a Cetesb sobre poluição do ar continua sigiloso

Juiz Leopoldo mais próximo de ir a Júri Popular por assassinato de Alexandre Martins

LDO será votada na próxima segunda-feira na Assembleia

Hartung, o suspense