Seculo

 

Palácio Anchieta não vai interferir nos ataques de deputados a secretários


13/09/2017 às 16:06
Alguns deputados estaduais estão tentando convencer o governador Paulo Hartung (PMDB) a colocar um freio na movimentação de secretários e outros membros de sua equipe em relação à disputa do próximo ano, mas a ação é inócua. No Palácio Anchieta, o que corre pelos corredores é que o governo não vai interferir nessa briga. 
 
A visão do governo seria de que a movimentação dos secretários tem sido de grande contribuição para o projeto do governador de ampliar seu capital político em diversas frentes e que os secretários têm o aval de Hartung para se movimentarem em nome do governo. 
 
Na Assembleia, porém, a expectativa é de que essa disputa de espaço entre deputados e secretários deve recrudescer à medida que se aproxima o ano eleitoral. Os deputados não estão satisfeitos com a movimentação dos secretários em suas bases, porque isso estaria tomando seus espaços políticos e enfraquecendo a musculatura dos parlamentares. 
 
Os membros da equipe de Hartung estão entregando obras, participando de ordens de serviço, oferecendo cursos à população, desfilando ao lado do governador. Já os deputados não estão sendo privilegiados nessas andanças do governador e secretários, ou melhor, alguns parlamentares estão, mas nem todos da base conseguem espaço na comitiva de Hartung. 
 
Além disso, suas ferramentas não estão mais funcionando. A acomodação de cargos não é tão fácil como antes, já que Hartung não está mais tão generoso com as contratações e as emendas parlamentares não estão mais sendo cumpridas a contento. Não são apenas os deputados da oposição que não tiveram nada empenhado este ano que estão insatisfeitos. 
 
Do total de R$ 1,2 milhão que cada deputado tinha direito de indicar em emendas no orçamento deste ano nem a metade disso foi paga, mesmo àqueles que são mais próximos do governador. Tanto que o assunto deve esquentar a próxima reunião do colégio de líderes da Assembleia. 
 
Quanto ao embate entre os deputados e os secretários, para os interlocutores palacianos o governo espera que a briga na base seja dura para chamar atenção do governador e mostrar quem pode ser mais “útil” na capitação de votos para o palanque de Hartung. 
 
Já o governador estaria contando com a capacidade do presidente da Assembleia Erick Musso (PMDB), que tem bom trânsito no plenário, para conter qualquer ponto fora da curva nessa disputa de espaço entre os deputados e os secretários.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Tabuleiro de 2018

Ele já negou intenção de deixar o PT ou mudanças de planos, mas movimentações de Givaldo continuam chamando atenção do mercado político

OPINIÃO
Editorial
Fosso social
No Espírito Santo, população negra é mais vulnerável à violência, é maioria no sistema carcerário e nas filas de desempregados
Renata Oliveira
Solidão sem fim
A oposição de Majeski na Assembleia não encontra coro entre os pares, nem no grupo arredio
JR Mignone
Rádio bandeira
A trajetória deste segmento de rádio em capitais é grande
Caetano Roque
A força da CUT
É hora de a Central assumir sua função de agregadora dos trabalhadores e das bandeiras de luta
Geraldo Hasse
Os golpes se sucedem
Em plena era do GPS, a reforma trabalhista sugere multiplicar os ''chapas''
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Fuga do Paraíso
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

'Orgânico não tem que ser caro'

Tabuleiro de 2018

Conselheiro José Antônio Pimentel vira réu em ação penal por corrupção

Eleição da nacional alimenta divisão no PSDB capixaba

Cariacica pode ter redistribuição de votos para disputa eleitoral de 2018