Seculo

 

Educadores denunciam na Assembleia fechamento irregular de escolas do campo pelo governo estadual


13/09/2017 às 17:47
Foi irregular a extinção da maioria das 89 escolas do campo, estaduais e municipais, no Espírito Santo nos últimos dois anos. E é necessário que o Estado promova a reabertura dessas unidades. Esse foi um dos principais pontos destacados pelos membros do Comitê Estadual de Educação do Campo presentes à reunião da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa realizada nessa terça-feira (12).

Apresentando sólido embasamento legal relativo à irregularidade dos fechamentos e a necessidade de reabrir as unidades extintas, os educadores explicaram ainda que, apesar da maioria das 89 escolas fechadas serem municipais, mais da metade delas segue o sistema estadual de ensino, pois foram municipalizadas sem que as prefeituras dispusessem de estrutura de pessoal e orçamento para criar seu próprio sistema.

“A Secretaria Estadual de Educação [Sedu] é tão responsável por políticas educacionais nas suas próprias escolas quanto nesses municípios a ela vinculados”, afirma a educadora Maria do Carmo Paolielo, do Comitê de Educação do Campo do Espírito Santo (Comeces).

Ela diz que a principal norma legal desrespeitada foi o artigo 28 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB). Segundo a legislação, é preciso que a secretaria estadual ou municipal elabore um diagnóstico, justificando porque pretende fazer aquele fechamento, e esse diagnóstico deve ser levado para apreciação da comunidade escolar em questão. Só então o conselho estadual ou municipal pode decidir se aprova ou não o fechamento.

Os fechamentos irregulares têm sido denunciados às comarcas municipais do Ministério Público Estadual (MPES), mas nem todos os promotores dão a atenção necessária ao assunto. “E muitos são convencidos, pela Sedu, de que não há o que fazer, e acabam arquivando os processos impetrados pelas comunidades”, relata Maria do Carmo, citando o exemplo de Mucurici, onde, após pressão da população, o promotor desarquivou a ação.

Outros cinco pontos foram enfatizados pelos membros do Comitê, todos integrantes da Pauta Unificada elaborada pelo coletivo ao longo de quatro anos de muitas discussões. São eles: implementação das especificidades das modalidades de educação indígena e quilombola; a expansão da Pedagogia da Alternância; o reconhecimento das Diretrizes Operacionais da Educação do Campo capixaba; a estruturação da Gerência de Educação do Campo, Indígena e Quilombola – que continua sem equipe necessária para a implementação das políticas; e a definição de uma política pública para a Educação de Jovens e Adultos do Campo.

Na próxima terça-feira (19), quem vai ser ouvido pela Comissão de Educação da Assembleia é a Sedu. “Não teremos voz, não terá debate, mas vamos estar presentes”, conta a educadora. 
 
O presidente da Comissão é o líder do governo na Casa, Rodrigo Coelho (PDT); e a vice é Luzia Toledo (PMDB), também da base palaciana. Os dois participararam da reunião, além da membro efetiva, deputada Eliana Dadalto (PTC).

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Agência Senado
Cotações

Apesar de já ter anunciado apoio a Majeski, sobem as apostas de que Max Filho poderá, mesmo, é fixar lugar no palanque de Rose

OPINIÃO
Piero Ruschi
Visita à coleção zoológica de Augusto Ruschi
Visitei a coleção zoológica criada por meu pai e seu túmulo na Estação Biológica. Por um lado, bom, por outro, angústia
Gustavo Bastos
Minha luta com o sol - Pentagrama - Parte I
''vi o sol inca ficar vermelho''
Wilson Márcio Depes
A Frente Ampla começou em Cachoeiro?
Município do sul do Estado mantém a falta de entressafra política
Eliza Bartolozzi Ferreira
Cada qual no seu lugar
As escolas fazem ciência; as igrejas doutrinação. Projeto Escola Sem Partido é, no mínimo, uma contradição de base do vereador de Vitória, Davi Esmael (PSB)
Roberto Junquilho
Gestão de marca
Manter elos com redutos eleitorais faz a cabeça da classe política
Geraldo Hasse
Refém do Mercado
O País está preso ao neoliberalismo do tucano Pedro Parente, presidente da BR
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Arrogância também conta?
MAIS LIDAS

Especialista critica projeto Escola Sem Partido proposto por vereador de Vitória

TSE define quanto cada partido receberá do Fundo Eleitoral

Pesquisa de R$ 2 milhões financiada pela ArcelorMittal é aprovada em regime de urgência pela Ufes

Procons fiscalizam aumentos nos preços dos combustíveis em postos de Vitória e Serra

Trabalhadores e empresários da Construção Civil dão trégua de um mês para negociações