Seculo

 

'O barulho vai continuar e, agora, com muito mais pessoas'


16/09/2017 às 22:08

 
“Para fazer movimento social, ajudar o planeta, ajudar o ambiente que vivemos, ajudar a humanidade, fazer educação ambiental, não precisa ter registro, papel, nada disso. Basta ter boa vontade e propósito na vida”.

A declaração de Paulo Fernando Pedrosa, ex-presidente da Associação dos Amigos da Praia de Camburi (AAPC), é uma resposta a quem imagina que a extinção da ONG significa o fim da luta empreendida por seus integrantes.

“Não estamos nem um pouco desanimados. O barulho vai continuar e, agora, com muito mais pessoas”, avisa o militante, liderança de uma das mais combativas entidades ambientalistas do Estado.  

A decisão pela extinção foi unânime dentro da AAPC, conta Paulo, devido ao cansaço de todos com os processos burocráticos que minavam energia para realizar ações concretas, diretamente com a população, e que mostram resultados imediatos incontestes.

“É muito desgastante. Um tempo que você usaria pra levantar fontes de renda para sua família, acaba entrando em discussões onde muitas vezes não se é ouvido”, reclama.

Nos conselhos de meio ambiente, enfatiza, “o voto que ganha não é da sociedade. Não tem divisão de poder”, lamenta.

A diretoria e demais membros da extinta entidade, no entanto, continuam unidos, e utilizando a AAPC como nome fantasia para divulgar as ações de educação ambiental que realizam. “Agora a gente não vai ter que mexer com documentação e burocracia. Vai poder trabalhar mais e tudo o que gerar de fruto de educação ambiental vai ser efeito de verdade”, comemora.

Mesmo sendo informal, sem registro em qualquer órgão oficial, a entidade-fantasia tem um estatuto e diretoria, pra facilitar o trabalho de todos e as tomadas de decisão. “Todos nós nos respeitamos. Informal agora é mais forte do que era”, assegura.

O grupo pode, inclusive, continuar impetrando ações civis públicas e solicitando parcerias para suas atividades. “Tem uma ideia, vai ajudar a humanidade? Bola pra frente”, convoca Paulo, avisando que as trilhas mensais continuam, assim como as natações noturnas e diversas outras atividades esportistas e de lazer. 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Facebook/Eliana
Território político

Inferno astral do prefeito de Linhares, Guerino Zanon, deixa o campo aberto para a deputada estadual Eliana Dadalto

OPINIÃO
Editorial
'Gestão compartilhada'
Ofensiva de Luciano Rezende contra movimento dos professores revela autoritarismo e inabilidade política
Piero Ruschi
Pets: uma questão de responsabilidade socioambiental
Felizes as pessoas que podem ter um animal de estimação! Felizes os animais de estimação que têm um dono responsável!
Gustavo Bastos
Para que Filosofia?
''é melhor existir do que o nada''
Bruno Toledo
Por que negar os Direitos Humanos?
Não há nada de novo nesse discurso verde e amarelo que toma as ruas. É a simples manutenção das bases oligárquicas do Brasil
JR Mignone
O voto facultativo
Atual insatisfação com a política seria uma chance para começar a estudar a implantação do voto facultativo?
Roberto Junquilho
Que novo é esse?
O presidenciável do PRB, Flávio Rocha, apresenta velhas fórmulas de gestão e envolve jovens lideranças
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Para, relógio
MAIS LIDAS

Procon multa imobiliária e construtora responsáveis por condomínio em Setiba

Justiça realiza audiência do processo contra seminarista de Boa Esperança

TJES adia pela quinta vez processo de Dr. Hércules sobre dívida de campanha

Sindipol denuncia 'mentiras' do governo sobre médicos legistas

Ministério da Segurança Pública anuncia mutirão para reduzir população carcerária