Seculo

 

'O barulho vai continuar e, agora, com muito mais pessoas'


16/09/2017 às 22:08

 
“Para fazer movimento social, ajudar o planeta, ajudar o ambiente que vivemos, ajudar a humanidade, fazer educação ambiental, não precisa ter registro, papel, nada disso. Basta ter boa vontade e propósito na vida”.

A declaração de Paulo Fernando Pedrosa, ex-presidente da Associação dos Amigos da Praia de Camburi (AAPC), é uma resposta a quem imagina que a extinção da ONG significa o fim da luta empreendida por seus integrantes.

“Não estamos nem um pouco desanimados. O barulho vai continuar e, agora, com muito mais pessoas”, avisa o militante, liderança de uma das mais combativas entidades ambientalistas do Estado.  

A decisão pela extinção foi unânime dentro da AAPC, conta Paulo, devido ao cansaço de todos com os processos burocráticos que minavam energia para realizar ações concretas, diretamente com a população, e que mostram resultados imediatos incontestes.

“É muito desgastante. Um tempo que você usaria pra levantar fontes de renda para sua família, acaba entrando em discussões onde muitas vezes não se é ouvido”, reclama.

Nos conselhos de meio ambiente, enfatiza, “o voto que ganha não é da sociedade. Não tem divisão de poder”, lamenta.

A diretoria e demais membros da extinta entidade, no entanto, continuam unidos, e utilizando a AAPC como nome fantasia para divulgar as ações de educação ambiental que realizam. “Agora a gente não vai ter que mexer com documentação e burocracia. Vai poder trabalhar mais e tudo o que gerar de fruto de educação ambiental vai ser efeito de verdade”, comemora.

Mesmo sendo informal, sem registro em qualquer órgão oficial, a entidade-fantasia tem um estatuto e diretoria, pra facilitar o trabalho de todos e as tomadas de decisão. “Todos nós nos respeitamos. Informal agora é mais forte do que era”, assegura.

O grupo pode, inclusive, continuar impetrando ações civis públicas e solicitando parcerias para suas atividades. “Tem uma ideia, vai ajudar a humanidade? Bola pra frente”, convoca Paulo, avisando que as trilhas mensais continuam, assim como as natações noturnas e diversas outras atividades esportistas e de lazer. 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Lá e cá

Enquanto Rose volta a se movimentar em Brasília, Casagrande delimita território no Estado. Cada um no seu quadrado...

OPINIÃO
Geraldo Hasse
Vendilhões no comando
Os governos petistas deram mole aos Mercados, mas o MDB escancara a prática do entreguismo
Roberto Junquilho
Os calos da esquerda
Apesar de possuir lideranças bem posicionadas, a esquerda só aparece quando os fatos são diretamente ligados ao cenário político partidário
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Admirável mundo novo
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Os calos da esquerda

Comitê em Defesa de Lula é criado no Estado

Lá e cá

Atílio Vivácqua decreta luto oficial de três dias por morte de prefeito

Relatório internacional de Direitos Humanos destaca violência policial no Brasil