Seculo

 

O Diabo é o pai do rock


20/09/2017 às 12:16
Para falar da presença do Diabo no rock, precisamos recuar um pouco no tempo e relatar uma das primeiras histórias (ou estória?) que envolve pactos e afins, que é a lenda em torno de Robert Johnson, este que foi um dos músicos mais influentes do chamado delta blues.
 
Tendo vivido no Mississippi, Johnson é um dos músicos mais influentes tanto para o blues como para o rock. A lenda em questão, por sua vez, é um mito popular que afirma que o músico teria vendido a sua alma ao Diabo, isto na encruzilhada das rodovias 61 e 49 em Clarksdale, Mississippi, entidade que teria, então, afinado o violão do músico um tom abaixo, e com isto consagrando Robert Johnson como uma das figuras centrais do blues, mito que foi propagado por outro mestre blueseiro, Son House, e que tinha supostas evidências em letras de músicas de Robert Johnson como “Crossroads Blues", "Me And The Devil Blues" e "Hellhound On My Trail", lenda que ficou mais famosa ainda com o filme de 1986 Crossroads, o qual descreve tal história ou estória.
 
No rock, por sua vez, temos fenômenos como a música dos Rolling Stones, Sympathy for the Devil, faixa de abertura do sétimo álbum de estúdio da banda, Beggar’s Banquet, de 1968, música que teria sido inspirada no livro O Mestre e Margarida, do escritor soviético Mikhail Bulgakov, e também no poeta francês Charles Baudelaire, e que também pode ter sido em seu instrumental inspirada numa visita de Mick Jagger a um centro de candomblé na Bahia. Tal música que logo causou polêmica e foi motivo de várias acusações de satanismo contra a banda.
 
Uma das primeiras bandas a tematizar o ocultismo no rock, por sua vez, foi a Coven, banda formada no final dos anos 1960, cujo primeiro álbum “Witchcraft Destroys Minds And Reaps Souls", de 1969, apresenta a temática ocultista, muito por influência da vocalista da banda Jinx, que estudava o tema, e caindo por fim no satanismo.
 
Mas a banda de rock que ficou mais famosa tanto pelo som como pelos temas satânicos foram os fundadores do heavy metal, Black Sabbath, banda que começou como blues rock e logo após incorporou o nome Black Sabbath, inspirado num filme que o baixista Geezer Butler havia visto, colocando tanto o ocultismo como o terror como inspiração para as letras e músicas que fariam a banda uma das maiores e mais influentes da História do rock, passando a usar guitarras com baixa afinação.
 
No Brasil temos a letra de Rock do Diabo, composta por Raul Seixas e Paulo Coelho, música que foi lançada por Raul Seixas no álbum Novo Aeon, em 1975, como uma alusão bem humorada da presença do Diabo na História do rock, e outra banda que fez polêmica em torno do “tinhoso” foi a inglesa Iron Maiden, com a música e álbum “The Number of the Beast”, controvérsia que só serviu para alavancar as vendas do disco do Maiden.
 
Mas a face mais extrema do satanismo no cenário rock ainda estaria por vir, pois tivemos uma primeira geração do metal extremo ainda na década de 1980, com bandas precursoras do que viria a ser a vertente black metal, bandas influentes como Venom, Celtic Frost e Mercyful Fate, que dariam na segunda geração do black metal na década de 1990, a chamada cena norueguesa do Inner Circle, no que esta história inocente do flerte do rock com o Diabo começou a ficar um tanto séria, até demais.
 
No início da década de 1990 temos uma série de eventos na Noruega em torno deste grupo chamado Inner Circle, pois há uma sucessão de incêndios terroristas que tinham como alvo antigas igrejas históricas e ainda temos casos de homicídio envolvendo alguns músicos desta cena norueguesa do Black Metal Inner Circle. E um dos idealizadores do movimento, com a sua loja Helvete (inferno em norueguês) era o líder da banda Mayhem, Euronymous. Por conseguinte, o chamado Inner Circle era composto por membros das primeiras bandas de black metal norueguês como Mayhem, Burzum, Darkthrone, Immortal, Emperor e Enslaved.
 
A série de eventos do Inner Circle dá uma conta macabra de 52 igrejas incendiadas, com a cena atraindo atenção massiva da mídia quando descobriram que seus membros eram os responsáveis por dois assassinatos e vários incêndios de igrejas norueguesas. Com a atenção da mídia, logo se descobre que tal grupo se intitulava "The Black Circle" ou "Black Metal Inner Circle", com visões anticristãs, como satanistas que adotavam pseudônimos e que apareciam em fotografias usando corpse paint (pintura facial).
 
Por fim, em agosto de 1993 tivemos a prisão de vários dos integrantes do movimento Inner Circle, tendo a condenação em maio de 1994 por crimes como incêndio, assassinato, assalto e posse de explosivos. E como fatos que marcaram a trajetória do Inner Circle temos também que em 8 de Abril de 1991, o vocalista Dead da banda Mayhem comete suicídio, em 21 de agosto de 1992, Bård 'Faust' Eithun, da banda Emperor, esfaqueia até a morte um homem gay em uma floresta nos arredores de Lillehammer, e em 10 de agosto de 1993 o fato que mais marcou a cena norueguesa, que foi quando Varg Vikernes, único membro da banda Burzum, e Snorre Ruch viajaram de Bergen até o apartamento de Euronymous em Tøyengata, no que houve uma discussão que resultou na morte de Euronymous a facadas pelas mãos de Varg, que se autointitulava Count Grishnackh, no que Varg Vikernes foi preso em 19 de agosto de 1993 em Bergen, que foi quando o movimento enfraqueceu.  
 
Para citar outro músico cuja presença satânica também é garantida, temos Marilyn Manson, com seu álbum de 1996 intitulado Antichrist Superstar, por exemplo. E um fenômeno que envolve satanismo no rock e na música é a prática de rodar os discos ao contrário para ouvir mensagens diabólicas escondidas nas músicas originais, que rodadas ao contrário, as revelariam, no que temos Stairway to Heaven do Led Zeppelin, e músicas dos Menudos e da Xuxa figurando na tal lenda, o que é uma junção de sugestão psicológica com divertimento mórbido e mistificação.
 

Gustavo Bastos, filósofo e escritor
Blog: http://poesiaeconhecimento.blogspot.com

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Rabiscos eleitorais

Articuladores já fazem suas contas de 2018. Entre os deputados considerados reeleitos, está quase toda bancada do PMDB, incluindo Erick Musso. Mas, antes, terá que colocar um ''bonde'' pra correr

OPINIÃO
Editorial
À oposição, o respeito!
Seja manifestando uma simples opinião ou criticando medidas do próprio legislativo ou do governo, falou em Sergio Majeski, o tiroteio é garantido
Piero Ruschi
Carta de aniversário ao papai
‘Venho lhe desejar um feliz aniversário de 102 anos, o mais feliz possível, diante de todas mazelas que atormentam o Museu que o senhor criou e o meio ambiente que tanto defendeu
Gustavo Bastos
Destino e acaso
''Quanto ao cético do acaso, ele chama destino de delírio e acaso de nada''
Geraldo Hasse
Em defesa da soberania
Manifesto combate o entreguismo, filho dileto do colonialismo neoliberal
Roberto Junquilho
Hartung e seu muro
Sem a presença da senadora Rose de Freitas, evento com lideranças do PMDB vira palanque para o governador
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Quem quer dinheiro?
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Rabiscos eleitorais

Hartung reforça interesse em projeto nacional nas eleições de 2018

Greve dos auditores da Receita Federal adia início do 'Bike VV'

Manifesto denuncia ameaças a lideranças mobilizadas contra agrotóxicos em Boa Esperança

Fundação Renova é multada e Samarco/Vale-BHP vira alvo de mais uma ação civil pública