Seculo

 

Vitamina C


02/10/2017 às 16:45
O governador Paulo Hartung fez uma viagem à Itália para participar de uma feira de rochas ornamentais. Uma ação que pareceu ser sem nenhum propósito político, mas foi. O vice Cesar Colnago teria pedido ao governador para se afastar estrategicamente por uns dias para que ele pudesse dar posse ao secretário de Turismo, Nerleu Caus. 
 
Isso seria uma demonstração de força para que Colnago pudesse cumprir o acordo com Hartung, de vencer a disputa dentro do PSDB, na convenção do dia 11 de novembro, e garantir o partido no palanque do governador em 2018. Com o partido dividido, Colnago precisa mostrar que tem condições de abrir caminhos para o partido no Palácio Anchieta. 
 
Mas a dúvida do mercado político é se o governador vai dar mais espaço para que seu vice consiga a musculatura de que ele precisa para fortalecer seu palanque em 2018. Desde o início do governo, o vice-governador não conseguiu o mesmo espaço que os vices anteriores de Hartung. Ricardo Ferraço (PSDB) foi secretário de Agricultura e Transportes; Lelo Coimbra, de Educação. Pastas que garantiram visibilidade aos vices.
 
Colnago já foi secretario de Agricultura do Estado, mas isso faz tempo. Como vice-governador, ele assumiu, no início do governo, o programa Ocupação Social. À época, o programa era tocado pela Coordenadoria de Direitos Humanos, que já tinha Júlio Pompeu à frente, mas estava embutido na vice-governadoria. No início deste ano, a coordenadoria ganhou status de secretaria, e Colnago perdeu o programa que poderia lhe dar alguma visibilidade. 
 
O vice assumiu a interinidade em momentos difíceis para Hartung. Primeiro durante a crise na Polícia Militar, quando o governador que havia acabado de passar por um procedimento cirúrgico, se afastou do cargo, deixando seu vice no olho do furacão. Em maio, Hartung novamente se afastou por recomendação médica e foi para Paris, enquanto Colnago foi à Assembleia Legislativa prestar contas e enfrentar (de forma um pouco desproporcional) o grande incômodo para o Palácio, chamado Sergio Majeski (PSDB). 
 
Que Colnago dá nó em pingo d’água, Hartung sabe e, talvez por isso mesmo, evitou esse tempo todo dar muito espaço para seu vice. Mas diante da mudança de cenário e de todo interesse envolvendo o tucanato, poderá ser agora o momento de Colnago brilhar.
 
Fragmentos:
 
1 – O deputado Sergio Majeski (PSDB) reclamou dos emissários do governo do Estado que dizem pelas redes sociais que ele critica mais não propõe. Disse que propõe, sim, e muito, mas o governo não faz a parte dele. Lembrou que muitas coisas que o governo precisa fazer não passam por leis ou indicações de emendas.
 
2 – O ex-deputado estadual Roberto Carlos se filiou à Rede já de olho na sucessão do prefeito Audifax Barcelos, na prefeitura da Serra. Resta saber se Roberto Carlos vai conseguir furar a fila que tem à frente Bruno Lamas (PSB) e o secretário de obras Guto Lorenzoni (Rede). 
 
3 – O ex-governador Renato Casagrande (PSB) estará na noite desta segunda-feira (2) em Santa Teresa para debater a conjuntura nacional e o desenvolvimento local. O município é administrado por Gilson Amaro (DEM), aliado de primeira linha de Paulo Hartung.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

O poder político mudou de domicílio

Perfil de Marcelo Santos, um viciado governista, não interessa a PH no Tribunal de Contas. Mas, sim, um aliado fiel para todas as intempéries

OPINIÃO
JR Mignone
Sessão nostalgia
Músicas do passado continuam soberanas, encantando novos ouvintes e matando a saudade dos mais velhos
Geraldo Hasse
Aprimorando a arte das panacéias
Proliferam nas ruas os vendedores de panos de prato a 10 reais por meia dúzia
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Quem quer dinheiro?
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

O poder político mudou de domicílio

Polêmico projeto da Marina de Vitória é tema de audiência pública na Câmara