Seculo

 

Prefeito interino consegue na Justiça direito de ser ouvido em CPI


05/10/2017 às 15:41
O prefeito interino de Jaguaré, no norte do Estado, Ruberci Casagrande (DEM), conseguiu na Justiça o direto de ser ouvido na Comissão Processante aberta na Câmara para investigá-lo. Na decisão da última segunda-feira (2), o juiz Douglas Demoner Figueiredo proibiu que a CPI tome qualquer decisão antes de ouvir Casagrande.
 
Na decisão o juiz explica que o requerimento foi motivado pela negativa do relator da Comissão, vereador Dejair de Siqueira, em redesignar o interrogatório do prefeito na Comissão, depois que o demista apresentou atestado médico, mostrando a impossibilidade de comparecer ao colegiado até o dia 13 de setembro passado. 
 
“Nesse ínterim, compulsando detidamente os autos, entendo que assiste razão o demandante quanto à alegação de cerceamento de defesa, quando não fora oportunizado a sustentação oral em plenário, mesmo por motivos alheios à sua vontade, tendo em vista encontrar-se de atestado médico, conforme verifica-se nos documentos acostados às fls. 66 e 89, denotando-se claro o prejuízo à defesa do ora demandante, vez que perdeu a oportunidade de realizar sustentação oral, o que caracteriza clarividente cerceamento de defesa por ofensa aos supracitados direitos fundamentais”, afirmou o juiz no mandado.
 
Além de ter de redesignar a data da oitiva, a CPI fica impedida de tomar qualquer decisão antes de ouvir o prefeito. “Defiro a liminar requerida e determino a suspensão de qualquer tipo de deliberação até que seja oportunizado ao impetrante e ao seu patrono sustentar em plenário da Câmara o que entender de direito, garantindo o direito do contraditório e a ampla defesa”, diz a sentença.
 
A comissão foi criada no dia 17 de julho e é composta por três vereadores: Gustavo Sossai (PMN), que é o presidente, Jorge Morelo (PP), Dejair Siqueira (PHS), que é o relator. A abertura da comissão foi motivada por denúncia de moradores da cidade em que constam irregularidades, como utilização de veículos e máquinas oficiais, superfaturamento em compras de produtos, entre outros.
 
Ruberci Casgrande está à frente da prefeitura desde abril deste ano, quando o prefeito Rogério Feitani (PMN) foi afastado do cargo em decorrência da Operação Arremate, do Ministério Público Estadual (MPES). Ele é acusado de participar em um esquema de fraudes a licitações, corrupção ativa e passiva.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Rabiscos eleitorais

Articuladores já fazem suas contas de 2018. Entre os deputados considerados reeleitos, está quase toda bancada do PMDB, incluindo Erick Musso. Mas, antes, terá que colocar um ''bonde'' pra correr

OPINIÃO
Editorial
À oposição, o respeito!
Seja manifestando uma simples opinião ou criticando medidas do próprio legislativo ou do governo, falou em Sergio Majeski, o tiroteio é garantido
Piero Ruschi
Carta de aniversário ao papai
‘Venho lhe desejar um feliz aniversário de 102 anos, o mais feliz possível, diante de todas mazelas que atormentam o Museu que o senhor criou e o meio ambiente que tanto defendeu
Gustavo Bastos
Destino e acaso
''Quanto ao cético do acaso, ele chama destino de delírio e acaso de nada''
Geraldo Hasse
Em defesa da soberania
Manifesto combate o entreguismo, filho dileto do colonialismo neoliberal
Roberto Junquilho
Hartung e seu muro
Sem a presença da senadora Rose de Freitas, evento com lideranças do PMDB vira palanque para o governador
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Quem quer dinheiro?
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Rabiscos eleitorais

Hartung reforça interesse em projeto nacional nas eleições de 2018

Greve dos auditores da Receita Federal adia início do 'Bike VV'

Manifesto denuncia ameaças a lideranças mobilizadas contra agrotóxicos em Boa Esperança

Fundação Renova é multada e Samarco/Vale-BHP vira alvo de mais uma ação civil pública