Seculo

 

Prefeito interino consegue na Justiça direito de ser ouvido em CPI


05/10/2017 às 15:41
O prefeito interino de Jaguaré, no norte do Estado, Ruberci Casagrande (DEM), conseguiu na Justiça o direto de ser ouvido na Comissão Processante aberta na Câmara para investigá-lo. Na decisão da última segunda-feira (2), o juiz Douglas Demoner Figueiredo proibiu que a CPI tome qualquer decisão antes de ouvir Casagrande.
 
Na decisão o juiz explica que o requerimento foi motivado pela negativa do relator da Comissão, vereador Dejair de Siqueira, em redesignar o interrogatório do prefeito na Comissão, depois que o demista apresentou atestado médico, mostrando a impossibilidade de comparecer ao colegiado até o dia 13 de setembro passado. 
 
“Nesse ínterim, compulsando detidamente os autos, entendo que assiste razão o demandante quanto à alegação de cerceamento de defesa, quando não fora oportunizado a sustentação oral em plenário, mesmo por motivos alheios à sua vontade, tendo em vista encontrar-se de atestado médico, conforme verifica-se nos documentos acostados às fls. 66 e 89, denotando-se claro o prejuízo à defesa do ora demandante, vez que perdeu a oportunidade de realizar sustentação oral, o que caracteriza clarividente cerceamento de defesa por ofensa aos supracitados direitos fundamentais”, afirmou o juiz no mandado.
 
Além de ter de redesignar a data da oitiva, a CPI fica impedida de tomar qualquer decisão antes de ouvir o prefeito. “Defiro a liminar requerida e determino a suspensão de qualquer tipo de deliberação até que seja oportunizado ao impetrante e ao seu patrono sustentar em plenário da Câmara o que entender de direito, garantindo o direito do contraditório e a ampla defesa”, diz a sentença.
 
A comissão foi criada no dia 17 de julho e é composta por três vereadores: Gustavo Sossai (PMN), que é o presidente, Jorge Morelo (PP), Dejair Siqueira (PHS), que é o relator. A abertura da comissão foi motivada por denúncia de moradores da cidade em que constam irregularidades, como utilização de veículos e máquinas oficiais, superfaturamento em compras de produtos, entre outros.
 
Ruberci Casgrande está à frente da prefeitura desde abril deste ano, quando o prefeito Rogério Feitani (PMN) foi afastado do cargo em decorrência da Operação Arremate, do Ministério Público Estadual (MPES). Ele é acusado de participar em um esquema de fraudes a licitações, corrupção ativa e passiva.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
'Devoção' cega

Enquanto lideranças partidárias ecoam o ‘Volta Hartung’, o próprio lava as mãos e deixa seu exército fiel em apuros nas eleições deste ano

OPINIÃO
Piero Ruschi
O Governo do ES e seu amor antigo ao desamparo ambiental
Mais um ''Dia Mundial do Meio Ambiente'' se passou. Foi um dia de ''comemoração'' (política)
Gustavo Bastos
Carta ao inventor da música
''Mas que alma mora no sol?''
Erfen Santos
O Cidadão Ilustre
O filme suscita reflexões pertinentes sobre prêmios literários como o Nobel, que rejeitou grandes escritores
Roberto Junquilho
Tem jabuti na árvore
Por trás da conturbada escolha do candidato ao governo, há uma clara demostração de poder de Hartung
JR Mignone
A importância das eleições
Cada empresa de comunicação tem de se esmerar nas campanhas, sem partido ou cores políticas
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Último desejo
MAIS LIDAS

Ministério Público investiga suspeita de cartel em licitações da Secretaria de Agricultura

Amancio, um cantador da capoeira

'Devoção' cega

Vagas no Senado viram a grande disputa deste ano no Espírito Santo

A quadrilha democrática da Rua Sete