Seculo

 

Guerra de nervos


06/10/2017 às 15:39
A classe política capixaba segue confusa sobre o processo eleitoral do próximo ano, no que se refere ao posicionamento das lideranças cotadas para a disputa ao governo do Estado, o que deixa em suspensão toda a cadeia de disputa. A expectativa de que as forças se definissem a partir do encerramento dos debates em Brasília sobre a reforma política parece que não vai se concretizar por hora. 
 
Com a manutenção da janela partidária para março do próximo ano, as lideranças devem aguardar até o último momento, para não gastar cartucho, já que qualquer antecipação pode fazer estragos. Foi o que aconteceu com a movimentação do secretário de Agricultura Octaciano Neto e como o diretor do Departamento de Estrada de Rodagem (DER) Enio Bergoli em suas filiações para o PSDB. 
 
Isso causou um alvoroço dentro e fora do PSDB, o que levou o Palácio Anchieta a frear as movimentações partidárias de outros secretários. Mas não é só isso. As dúvidas sobre o destino do próprio governador Paulo Hartung também causam curiosidade. Hartung diz que vai deixar o PMDB, mas até agora não saiu do partido. Falou-se em PSDB e DEM, mas até agora, nada. 
 
Outra liderança que confunde o mercado é o deputado estadual Sergio Majeski, que, provavelmente, não deve permanecer no PSDB. Seu destino politico também deve influenciar o cenário eleitoral. Isso porque o deputado tem um capital de votos e de influência no eleitorado e sua movimentação tem de ser acompanhada com interesse. Além do partido é interessante também acompanhar qual espaço o deputado pretende ocupar, já que é cotado tanto para o Senado quanto para o governo. 
 
Os secretários que ainda não se filiaram também devem atrair os holofotes para saber como serão as acomodações das demais lideranças. Lembrando que o governo parece pouco preocupado em proteger as vagas dos atuais deputados estaduais e federais. De certo mesmo, temos as candidaturas às reeleições de Ricardo Ferraço (PSDB) e Magno Malta (PR), que pela movimentação intensa de ambos, não parecem estar garantidas. 
 
No palanque de oposição que começa a ser desenhado, a dúvida é sobre a posição do ex-governador Renato Casagrande (PSB) e da senadora Rose de Freitas (PMDB) no tal palanque. Mas isso, o almoço deles de nessa quinta-feira (5), em Brasília, pode ter resolvido isso.
 
Fragmentos:
 
1 – O vice-governador César Colnago (PSDB) também está se aventurando fora do Estado. De passagem por São Paulo para conhecer o modelo de saúde, ele se encontrou também com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, na Fundação FHC. Pode não ser nada, mas em um momento de crise na disputa pela presidência do partido no Espírito Santo, a foto ao lado do ex-presidente fortalece a campanha dele para comandar o ninho tucano. 
 
2 – O vereador e presidente da Câmara Municipal de Aracruz, Alcântaro Filho (Rede) vai lançar um programa para prestar contas, discutir demandas e debater diversos temas relacionados ao município de Aracruz e região em sua página do Facebook
 
3 – Na próxima quarta-feira (11), às 18h30, Alcântaro apresentará o “Se Liga!”, uma live (divulgação ao vivo) com o resultado do trabalho da presidência e do mandato de vereador, além de entrevistas com personalidades e profissionais das mais variadas áreas de atuação.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

O poder político mudou de domicílio

Perfil de Marcelo Santos, um viciado governista, não interessa a PH no Tribunal de Contas. Mas, sim, um aliado fiel para todas as intempéries

OPINIÃO
JR Mignone
Sessão nostalgia
Músicas do passado continuam soberanas, encantando novos ouvintes e matando a saudade dos mais velhos
Geraldo Hasse
Aprimorando a arte das panacéias
Proliferam nas ruas os vendedores de panos de prato a 10 reais por meia dúzia
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Quem quer dinheiro?
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

O poder político mudou de domicílio

Polêmico projeto da Marina de Vitória é tema de audiência pública na Câmara