Seculo

 

Justiça nega pedido de interrupção da exploração de água subterrânea pela Vale


07/10/2017 às 18:26
O juiz da 5ª Vara da Fazenda Pública Estadual, Ubirajara Paixão Pinheiro, negou o pedido de liminar feito pela Associação Juntos SOS Espírito Santo Ambiental para impedir que a mineradora Vale S/A continue a explorar água subterrânea, sem antes eliminar a contaminação em poços artesianos. Na decisão publicada nessa sexta-feira (6), o togado considerou que não foram juntadas novas provas para comprovar se a necessidade de intervenção verificada em 2014, por meio de laudo pericial, persiste até o momento.

“Assim sendo, em que pese os argumentos da autora pautarem-se pelo laudo juntado aos autos e pelos princípios ambientais norteadores do Direito Ambiental, quais sejam; isonomia, poluidor-pagador e princípio da precaução, neste momento processual, entendo que a liminar pleiteada encontra óbice em seu deferimento pela ausência de comprovação de que os poços em questão estão poluídos, conforme alega na inicial, e de que a captação das águas se dá de forma como mencionado na inicial”, afirmou.

A ação (0013741-46.2017.8.08.0024) inicialmente foi impetrada na Justiça Federal, porém, o caso foi remetido para a Justiça estadual. A ONG pede que a empresa apresente novas análises da qualidade de água e execute melhorias dos sistemas de tratamento sanitário. Na peça, a entidade aponta que a perícia judicial revelou a contaminação das águas subterrâneas com a presença de compostos altamente nocivos à saúde humana. A denúncia cita que a Vale tinha sete poços em 2007 e passou a 87 em 2015, sendo cada vez mais profundos – alguns já passam de 200 metros de profundidade.

Apesar disso, o juiz Ubirajara Pinheiro considerou a falta de novos laudos prejudica a demonstração da “probabilidade do direito”. Ele ponderou ainda que, caso a liminar fosse concedida e a empresa fosse proibida de explorar a água subterrânea, uma demora na realização de um estudo de impacto ambiental acarretaria danos imensuráveis à requerida.

A Juntos SOS ES Ambiental pede no processo que a empresa apresente novas análises da qualidade de água e execute melhorias dos sistemas de tratamento sanitário.

O laudo pericial citado faz parte de outra ação contra a Vale, que trata sobre a poluição provocada pela atividade de exportação de minério de ferro. No documento, o perito apontou a contaminação da água por compostos nocivos à saúde, como o benzeno, 1,1-dicloroeteno, tricloroeteno, tetacloroeteno e fenóide, além da presença de microbiológicos nos poços até então perfurados na área da planta industrial. Na ocasião, o especialista sugeriu a necessidade de intervenção nas áreas da Vale em relação ao solo e à água subterrânea.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Apertem os cintos...

Senadora Rose de Freitas, a ‘mãe do aeroporto’, corre o risco de perder o melhor da festa para Paulo Hartung

OPINIÃO
Editorial
Disciplina X Autoritarismo
Hartung tem sido um péssimo exemplo para a tropa da PM no que diz respeito ao cumprimento das leis
Gustavo Bastos
Sobre um pesadelo
“Nos meus oito ou nove anos de idade, eu tinha obsessão pelos diferentes nomes dados ao tinhoso”
Roberto Junquilho
Gestão hi-tech
O prefeito de Vitória, como seguidor da modernidade, agora virou ator de peças publicitárias
Geraldo Hasse
Cuba, Congo e Bolívia
Em livro extraordinário, o jornalista Flávio Tavares exuma o cadáver do mito Che Guevara
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

A arte de pilotar motocicletas – ou com Chico na garupa
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Yes, nós também!
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Prefeitura vende o Saldanha da Gama para a Fecomércio

Amaro Neto fica no Solidariedade e confirma disputa ao Senado

Cuba, Congo e Bolívia

Comunidade vence Hartung: abertas matriculas no ensino médio noturno

O último adeus do Adiós, Me Voy