Seculo

 

Um Estado vulnerável à violência


31/10/2017 às 16:10
O Anuário Brasileiro de Segurança Pública divulgou nessa segunda-feira (30) os comparativos 2015/2016 sobre os dados de violência no Brasil. A taxa nacional média de homicídio dolosos subiu 2,4%, enquanto a de latrocínio (roubo seguido de morte) registrou crescimento de 11,5%. 
 
O secretário de Segurança Pública André Garcia repercutiu os dados. Destacou a queda na taxa de homicídios no Estado, que caiu 15% em comparação a 2015. Em números absolutos, foram 1.384 homicídios em 2015 contra 1.180 em 2016. Embora Garcia tenha enaltecido o resultado, a taxa de homicídios por 100 mil habitantes (29,7%) ainda se mantém superior à média nacional: 26,4%.
 
Se houve queda na taxa de homicídio, a de latrocínio, para desespero de Garcia, explodiu. Entre 2015 e 2016 o aumento foi de 41,7%, quase quatro vezes a média nacional (11,5%) nessa modalidade de crime. Apesar do aumento retumbante, o secretário tentou encontrar justificativas para mitigar o impacto negativo do índice. 
 
André Garcia atribuiu o crescimento dos crimes contra o patrimônio à crise econômica. “No primeiro momento tivemos uma expansão econômica muito forte, depois veio a crise”. Acrescentou: “Pessoas que não tinham bens cobiçados passaram a tê-los. Esse crime consequentemente se espalhou”. Ainda à procura de “culpados” para o crescimento dos crimes contra o patrimônio, Garcia recorreu a um argumento espúrio, comumente usado por agentes públicos que precisam blindar politicamente os resultados negativos do governo na área de segurança. O secretário tentou jogar a responsabilidade na “impunidade”. Aquela mesma ladainha: “A polícia prende e a Justiça solta”. Nas palavras do secretário ao jornal A Tribuna (31/10/17): “Depois de preso, o indivíduo é solto rapidamente”. 
 
André Garcia tentou aliviar a responsabilidade do Estado, mas os dados de homicídios deste ano, que não entraram no levantamento do Anuário, são ainda mais preocupantes. De janeiro a setembro deste ano, segundo dados da Secretaria de Segurança Pública, foram registrados 1.081 homicídios. O balanço dos primeiros nove meses do ano projeta 1.441 assassinatos para 2017, o que representa um aumento de 22% em relação aos 1.180 homicídios registrados em 2016.
 
As justificativas de Garcia ante a explosão das taxas de latrocínio e a perspectiva de aumento dos índices de homicídios para 2017 revelam a fragilidade da política pública de segurança do governo do Estado. A explosão dos homicídios este ano, como o próprio secretário reconheceu, pode ser atribuída, em parte, pela greve da Polícia Militar. Durante os 22 dias em que a PM parou, foram registrados quase 200 homicídios.
 
A inabilidade de diálogo do governo, que precisou de quase um mês para devolver a PM às ruas, sinaliza a vulnerabilidade da política de segurança. Se o Estado tivesse uma política de segurança estruturada, os jovens, sobretudo os negros e pobres da periferia, não estariam tão vulneráveis à crise econômica ou a qualquer outro solavanco social.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Mais um 'lote'

Depois de conseguir o controle do PSDB e retomar o do DEM, Hartung se volta para um antigo aliado: o PDT

OPINIÃO
Piero Ruschi
Perseguição à honra de Ruschi
Infelizmente, de nada valeram meus 14 anos de contribuição mediante a minha postura de defender o Museu Mello Leitão, criado por meu pai
Renata Oliveira
Cidadãos ilustres
Assembleia deve tomar cuidado com suas medalhas, pois os homenageados de hoje podem ser os apedrejados de amanhã
Gustavo Bastos
Bancas de jornal
A banca de jornal, hoje, é um mundo que tem tudo
JR Mignone
Rádio bandeira
A trajetória deste segmento de rádio em capitais é grande
Geraldo Hasse
Os golpes se sucedem
Em plena era do GPS, a reforma trabalhista sugere multiplicar os ''chapas''
Caetano Roque
Agora é tarde
Não adianta a bancada fazer discurso a favor do trabalhador se ela votou quase à unanimidade a favor do impeachment
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Fuga do Paraíso
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Mais um 'lote'

Operação da Polícia Federal pune empresa que lançava esgoto in natura no Rio Doce

MPES quer reinclusão do fundador da Imetame em ação de improbidade

PDT realiza convenção estadual em dezembro de olho em 2018

Empresários já pressionam Câmara de Vitória por 'ajustes'